BUSCAR
BUSCAR
América do Sul

Na Argentina, Javier Milei surpreende e tem maior votação na eleições primárias

Ultradireitista Javier Milei é o grande vencedor das PASO que são um termômetro para a disputa presidencial da Argentina
14/08/2023 | 12:50

O ultradireitista Javier Milei é o grande vencedor das PASO, as Primárias, Abertas, Simultâneas e Obrigatórias, que são um termômetro para a disputa presidencial da Argentina. O economista que surgiu com uma terceira força política virou o jogo e saiu como protagonista da votação do domingo, 13.

Com 97,42% dos votos apurados, Javier Milei tem 30,04% dos votos À frente da coalizão de centro-direita Juntos por el Cambio (28,27%) e da coalizão da esquerda que governa o país Unión por la Pátria (27,27%).

Na Argentina, Javier Milei surpreende e tem maior votação na eleições primárias
Ultradireitista Javier Milei - Foto: Reprodução

As prévias definem as chapas que vão concorrer na eleição presidencial de outubro. Milei concorre sozinho dentro da sua coalizão, mas tanto o governismo como a oposição tem mais de um candidato. Além de liderar o voto por chapas, Milei foi o candidato mais votado, com 7 milhões de votos.

Em segundo, com 5 milhões de votos, está Sérgio Massa, o todo-poderoso ministro da Economia da Argentina, apoiado pelo presidente do país, Alberto Fernández, e pela vice, Cristina Kirchner.

Apesar do segundo lugar de Massa, a coalizão governista ficou em terceiro lugar no voto por chapas, no pior resultado do peronismo em 12 anos de eleições primárias. Desde que o pleito foi implementado, em 2011, as alianças peronistas sempre acumularam as maiores porcentagens de votos.

Patricia Bullrich, candidata da centro-direita e esperança dos conservadores tradicionais argentinos para derrotar a esquerda, foi a terceira candidata mais votada, com 4 milhões de votos. Na disputa pela vaga interna do Juntos por el Cambio, a candidata linha-dura garante uma vaga no primeiro turno de outubro, registrando 17% contra 10,7% de Horacio Larreta, prefeito de Buenos Aires.

A votação expressiva de Milei foi antecipada pelas próprias campanhas enquanto a apuração avançava e pegou a Argentina de surpresa. Nas horas de tensão até que os primeiros resultados fossem anunciados, o governo chegou a prever que o candidato da extrema direita poderia ter até 30% dos votos, disse uma fonte da Casa Rosada à emissora local Todo Notícias.

Os resultados apontam que Javier Milei deixou para trás a direita mais moderada da Argentina representada pelo movimento Juntos por el Cambio, que era apontado pelas pesquisas como favorito. Na disputa interna da coalizão, Patricia Bullrich venceu o prefeito de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, e será a candidata nas eleições de outubro.

Um desconhecido na política argentina até conquistar uma cadeira como deputado em 2021, o libertário Javier Milei ganhou impulso na corrida presidencial no início deste ano. Quando saiu de pontuações ínfimas nas pesquisas de intenção de votos para próximo do primeiro lugar

O presidente da coalizão Liberdade Avança capturou uma atenção considerável do eleitorado argentino quando se colocou como “diferente de tudo que está aí”. Com seu lema de ser “contra a casta política”, Milei enfatiza que não faz parte nem da política peronista nem da oposição macrista.

O discurso agradou quem está cansado da enorme crise econômica que passa o país e não foi resolvida no últimos governos de Alberto Fernández e seu antecessor Mauricio Macri.

À insatisfação popular se somou as brigas internas dentro das coalizões de governo e oposição pelas candidaturas presidenciais A chapa peronista União pela Pátria (antiga Frente de Todos) travou batalhas até os últimos dias para definir um candidato. Enquanto a oposição do Juntos pela Mudança decidiu sair com dois nomes de peso para a disputa, mas não sem antes protagonizar trocas de acusações entre eles e disputas até mesmo pela prefeitura de Buenos Aires.

Além da definir os rachas partidários quando eles existem, as primárias são um termômetro da política argentina. Em 2019, o peronista Alberto Fernández saiu das prévias com 15 pontos de vantagem sobre o então presidente Mauricio Macri. Naquele ano, Fernández confirmou o favoritismo e venceu a eleição junto com Cristina Kirchner, vice-presidente.

Por isso, os resultados das primárias dessa vez são uma má notícia para os peronistas. No governo, a esquerda teve a imagem abalada pela grave crise econômica que atinge o país onde a inflação anual é de 115%. Com as compras no mercado cada dia mais caros e os salários corroídos, cresce o inconformismo entre os argentinos.

Esse sentimento permitiu a ascensão do ultradireitista Javier Milei. O libertário era desconhecido na política argentina até 2021, quando foi eleito deputado.

Com ideias radicais, como acabar com o Banco Central e dolarizar a economia, o economista ganhou atenção dos eleitores e despontava como uma terceira força da política argentina. Recentemente, as pesquisas apontaram que o ultradireitista estaria perdendo força. O que não se concretizou nas primárias.

Votação tumultuada em Buenos Aires

A demora na definição dos resultados é explicada, em partes, pela confusão em Buenos Aires. A cidade adotou um sistema híbrido: a votação nacional dos presidenciáveis seguiu a tradição do voto de papel enquanto a urna eletrônica foi adotada em paralelo para a eleição local. Esse último foi marcado por problemas.

O mau funcionamento das urnas causou longas filas e atrasos. Assim como muitos argentinos, a pré-candidata à presidência Patricia Bullrich teve dificuldades. Ela contou a jornalistas que a urna mostrava candidatos diferentes dos escolhidos e precisou ser substituída. Só assim, a candidata conseguiu votar depois de sete tentativas e 12 minutos.

Alguns pontos de votação em Buenos Aires prorrogaram o horário de funcionamento para atender todas as pessoas. Apesar dos problemas, a participação foi de 69%, acima do registrado na prévia das eleições legislativas de 2021.

Estadão Conteúdo

Câmara dos EUA aprova lei para forçar Biden a repassar armas a Israel
Projeto, no entanto, não deve passar pelo Senado americano e seria vetado pelo próprio presidente após tramitação
16/05/2024 às 20:08
Pesquisadores descobrem exoplaneta com a densidade de um algodão doce
De acordo astrônomos, Wasp-193b é 50% maior que Júpiter, porém, tem sete vezes menos massa
16/05/2024 às 19:37
Mais de 60% dos corais do mundo podem ter sofrido branqueamento no último ano
Informação foi divulgada pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos
16/05/2024 às 19:27
Governo Biden propõe reclassificação da maconha como droga de baixo risco
Iniciativa de reclassificar a cannabis foi apresentada pela administração Biden no final de abril
16/05/2024 às 17:24
Governo do Peru classifica transexualidade como doença mental
400 profissionais de saúde mental assinaram um documento em favor da reversão da decisão do Ministério da Saúde
15/05/2024 às 14:25
Vídeo: Primeiro-ministro da Eslováquia é baleado
Robert Fico foi alvo de ataque a tiros durante compromisso oficial em Handlova
15/05/2024 às 13:40
Governadores do Nordeste se reúnem com investidores em congresso na Holanda
Na pauta, captação de recursos para a geração de energia renovável
14/05/2024 às 07:28
OpenAI anuncia GPT-4o, novo modelo de inteligência artificial
Tecnologia será capaz de detectar emoções dos usuários, interagir com textos, voz e documentos
13/05/2024 às 18:42
Argentina expulsa brasileiro que estaria ligado a criminoso mais procurado do Equador
Adolfo “Fito” Macías fugiu da prisão em janeiro em meio a uma onda de violência de gangues no Equador
13/05/2024 às 13:27
Nasa captura nova explosão solar neste domingo 12
Essas tempestades solares podem interferir na rede elétrica, na navegação e nas operações de rádio e satélite
12/05/2024 às 15:43
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.