BUSCAR
BUSCAR
Prova de vida
Mulher que levou idoso morto a banco diz que ele estava “falando”
Laudo da perícia informa que aposentado já estaria morto há 12h. Se for comprovada a morte, a mulher pode responder ao crime de estelionato
R7
19/10/2020 | 15:30

Josefa de Souza Matias, de 58 anos, mulher que levou um idoso morto a uma agência bancarária de Campinas, no inteior de São Paulo, para realizar a prova de vida da aposentadoria, afirmou para a reportagem da Record TV que o homem estava vivo quando chegou ao local. Porém, o laudo da perícia informa que o idoso já estaria morto há 12 horas quando foi levado ao banco.

Por telefone, a mulher negou que tenha saído de casa com o marido morto e confirmou que vivia uma relação estável com Laércio há mais de 11 anos. “Ele saiu com vida e ele foi fazer a prova de vida no banco […] Ele se sentiu mal e veio a falecer dentro do banco, mas não houve nada, assim, de errado… está tudo certo”, conta Josefa.

Questionada porque não levou o marido ao hospital, a mulher disse que “ele não queria ir, de jeito nenhum […] ele estava bem, estava conversando, falando. Tem médico particular, tem tudo”, conta.

Segundo a polícia, Josefa havia dito que conversou com Laércio pela manhã, mas depois voltou atrás e disse que a última vez que tinha conversado com ele foi na noite anterior.

A polícia acredita que, antes de entrar na agência, Josefa tenha tentado usar a digital do companheiro no atendimento eletrônico, mas sem sucesso.

O caso ocorreu em 2 de outubro. Além de levar o corpo de Laércio Della Colleta, de 92 anos, para provar que ele estava vivo, Josefa ainda tentou sacar a aposentadoria do suposto companheiro. Ela alegou que tinha perdido a senha e que só conseguiria sacar os R$ 5.000 da aposentadoria do escrivão que era aposentado e viúvo, fazendo a prova de vida.

A mulher chegou na agência com Laércio em uma cadeiras de rodas, com a ajuda de um casal de vizinhos. Segundo o delegado responsável pelo caso, já no local ela tentou ser atendida rapidamente, dizendo que o marido estava passando mal. Clientes e funcionários chamaram o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para ajudar o homem.

Porém, quando os socorristas chegaram, descobriram que, na verdade, Laércio estava morto. Guardas municipais que trabalham na região suspeitaram de toda essa situação e encaminharam Josefa até a delegacia.

O casal morava em um prédio a cerca de 100 metros da agência bancária. De acordo com vizinhos, eles viviam em apartamentos separados. Mas Josefa garante que os dois viviam sob o mesmo teto. O casal de vizinhos que ajudou a mulher a levar o marido até o banco disse que não percebeu nada.

O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil e mais testemunhas devem ser chamadas para prestar depoimento. Se for comprovado que a mulher levou o aposentado ao banco já sem vida, ela pode responder pelo crime de estelionato.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.