BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Mourão: “Iniciativa privada terá dificuldade para comprar vacina”
No começo de janeiro, o general se posicionou favoravelmente à aquisição por empresas privadas de doses contra a Covid-19
Metrópoles
07/04/2021 | 10:52

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou acreditar na dificuldade da iniciativa privada em comprar doses da vacina contra a Covid-19. A afirmação foi feita na manhã desta quarta-feira 7.

Aprovado na noite de terça-feira 6, o texto-base da Lei 948/21 tramita na Câmara dos Deputados e prevê a permissão aos empresários para comprar doses das farmacêuticas fabricantes, desde que a metade seja doada ao Sistema Único de Saúde (SUS).

“Acho que a iniciativa privada terá muita dificuldade para comprar vacina. Não tem vacina no mundo disponível, essa é a realidade”, apontou o vice-presidente.

Mourão citou a dificuldade da União Europeia em vacinar a população. “Ela está percentualmente – considerando toda a população da União Europeia – atrás da gente”, argumentou Mourão.

O vice-presidente também afirmou que pequenas empresas talvez consigam comprar “5 mil, 6 mil vacinas. Mais do que isso, eu acho complicado”, opinou o general.

Menos burocracia

Em 26 de janeiro deste ano, o vice-presidente se disse favorável ao projeto, já que tornaria a compra dos imunizantes menos burocrática e mais ágil.

“Uma empresa fala que vai comprar X vacinas e adianta 30%, por exemplo. O governo não pode fazer esse adiantamento. Então, uma empresa privada tem muito mais flexibilidade que o governo para fazer compras”, afirmou na ocasião.

À época, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tinha se reunido com um grupo de 72 empresários para redigir uma carta à AstraZeneca. De acordo com o jornal O Globo, os representantes de pelo menos 12 empresas brasileiras manifestaram a intenção de adquirir doses do imunizante.

No acordo firmado e descrito na carta de empresários e governo, ficou definido que 33 milhões de doses seriam adquiridas pelas empresas, desde que metade da quantidade fosse doada ao SUS.

O governo ainda estabeleceu algumas imposições, como o fato de as companhias não poderem comercializar os imunizantes e terem de aplicá-los de graça nos funcionários.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.