BUSCAR
BUSCAR
Imunização
Ministério Público do RN vai apurar casos de “fura fila” na vacinação contra a Covid-19
Casos de pessoas que receberam a vacinação mesmo sem se enquadrarem serão analisados para se investigar se houve improbidade
Ana Luiza Vila Nova, Dandarah Filgueira e Jalmir Oliveira
20/01/2021 | 18:13

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) anunciou nesta quarta-feira 20 que irá apurar todos os casos de “fura fila” na campanha de vacinação contra a Covid-19. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), a primeira fase da vacinação no Estado contempla apenas profissionais de saúde que estejam na linha de frente de combate ao coronavírus e ainda idosos residentes em instituições de longa permanência.

Alguns planos municipais autorizam a vacinação de outros grupos de pessoas, o que será observado de forma individualizada pelo MPRN. Os casos de pessoas que receberam a vacinação mesmo sem se enquadrarem serão analisados individualmente para se investigar se houve o cometimento de crime ou ato de improbidade.

O MPRN disponibiliza o Disque Denúncia 127 para o recebimento de denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada. Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para [email protected]

Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.

A investigação foi anunciada após servidores da Prefeitura de Natal que não atuam na linha de frente de combate à Covid-19 receberam a primeira dose da vacina Coronavac, segundo denúncia do Sindicato dos Sindicato dos Servidores Públicos de Natal (Sinsenat). De acordo com o Sinsenat, imagens de pessoas que não atuam nos serviços de saúde do município – e que também não prestam atendimento na linha de frente de combate à Covid-19 – estariam supostamente furando a fila de imunização contra a Covid.

“Uma situação gravíssima. Dentro de um cenário de escassez de vacinas que contemple toda a equipe multidisciplinar que atua nos locais de combate à pandemia em Natal, pessoas que estão enfrentando o risco diário de contaminação pela atuação direta com o coronavírus, você imunizar jovens que não tem o perfil para receber a vacina nessa fase”, desabafou a coordenadora do Sinsenat, Soraya Godeiro, que apresentará denúncia no Ministério Público do Trabalho e da Saúde. Soraya atribuiu a falta de transparência à realização pela prefeitura.

Em nota oficial, a Secretaria Municipal de Saúde informa que alguns dos trabalhadores voluntários que atuam nos postos de vacinação abertos no município foram imunizados equivocadamente. “No início da abertura do drive Arena das Dunas algumas pessoas que estão trabalhando foram vacinadas. Esse equívoco já foi sanado, uma vez que de acordo que o Ministério da Saúde é para vacinar os envolvidos na ação, porém devido a pequena quantidade de doses recebidas, neste momento Natal não vai vacinar os envolvidos”, explicou, em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Ainda de acordo com a SMS, a pasta suspendeu a vacinação desse grupo de servidores, em função da quantidade reduzida de doses recebidas nesta etapa inicial.

A campanha de vacinação em Natal contra a Covid-19 imunizou 3.914 pessoas no primeiro dia de aplicação. A cidade tem quatro pontos de aplicação no sistema de drive-thru: Shopping Via Direta, Ginásio Nélio Dias, Palácio dos Esportes e na Arena das Dunas.

O sistema drive-thru de vacinação segue acontecendo de segunda-feira a quinta-feira, das 8 às 16 horas. Em virtude do quantitativo de vacinas entregues pelo Governo Federal – neste primeiro momento Natal conta com 12.235 doses – a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) adotou como estratégia inicial a aplicação do imunizante nos idosos residentes em instituições de longa permanência e profissionais da saúde que estão no enfrentamento direto contra a doença.

Serão vacinados os servidores das Unidades Pronto-Atendimento (UPA), Hospital Giselda Trigueiro, Hospital de Campanha, Pronto Atendimento Odontológico Morton Mariz, Maternidades públicas e privadas, Pronto Socorro públicos e privados, UTIs e os Centros de Enfrentamento à Covid-19 de Natal. Já nas unidades do Hospital Universitário (HUOL), Hospital Maria Alice Fernandes, Hospital de Pediatria Nivaldo Júnior e João Machado, somente serão vacinados os profissionais que atuam diretamente na unidade de atendimento ao paciente Covid-19. No caso do SAMU, serão vacinados os servidores intervencionistas. É importante que o profissional faça o cadastro no RN + Vacinas.

Profissionais da saúde imunizados em Natal relatam alívio

Profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus relataram emoção e alívio ao serem imunizados contra a Covid-19 nesta quarta 20. O Agora RN acompanhou a aplicação das doses da Coronavac na Arena das Dunas, um dos pontos drive-thru espalhados por Natal.

A enfermeira Ilana Samanda, de 36 anos, trabalha no Centro de Tratamento ao Covid-19 (CEMURE) e no Hospital Alfredo Mesquita, em Macaíba. Ela, que trabalhou desde o início da pandemia na linha de frente, nunca testou positivo, mas diz que sente um grande alívio ao ter a vacina aplicada em seu braço.

“É muito satisfatório a gente poder compartilhar isso. É uma conquista para o nosso SUS, é uma realização de todos os projetos que a gente vem, há muito tempo, lutando lá dentro. Espero que todas as pessoas que, assim como eu, tenham o privilégio de tomar não tenham reações adversas e que a gente possa investir ainda mais nessa vacina”, relatou Ilana.

Carlos Eduardo, de 24 anos, é auxiliar de cozinha no Hospital Giselda Trigueiro, referência em doenças infectocontagiosas na capital potiguar. Ele, que perdeu a avó em decorrência da Covid-19, contou um pouco sobre a emoção de estar recebendo a vacina. “Uma sensação muito boa, de saber que estamos nos encaminhando para o fim dessa luta, em que a gente perdeu tanta gente, tantos familiares”. O médico pediatra Francisco América tem 31 anos de atuação no Hospital Giselda Trigueiro e disse que a sensação foi a melhor possível. “Eu espero que isso possa chegar logo para toda a população”.

Com 20 anos de experiência na enfermagem e no tratamento de endemias, Joaquina Elisete Cardoso, de 43 anos, já estou positivo para a Covid-19 em junho do ano passado. Ela disse que o início da vacinação traz felicidade. “Estou muito feliz de estar imunizando essas pessoas, que aguardaram tanto tempo para a chegada dessa vacina. Todo mundo chega aqui muito feliz, muitos choram de emoção e isso para a gente também é muito emocionante e muito gratificante”, relatou.

Após denúncia, Prefeitura proíbe servidores de fora da linha de frente da Covid de serem vacinados

Servidores da Prefeitura de Natal que não atuam na linha de frente de combate à Covid-19 receberam a primeira dose da vacina Coronavac, segundo denúncia do Sindicato dos Sindicato dos Servidores Públicos de Natal (Sinsenat). De acordo com o Sinsenat, imagens de pessoas que não atuam nos serviços de saúde do município – e que também não prestam atendimento na linha de frente de combate à Covid-19 – estariam supostamente furando a fila de imunização contra a Covid.

“Uma situação gravíssima. Dentro de um cenário de escassez de vacinas que contemple toda a equipe multidisciplinar que atua nos locais de combate à pandemia em Natal, pessoas que estão enfrentando o risco diário de contaminação pela atuação direta com o coronavírus, você imunizar jovens que não tem o perfil para receber a vacina nessa fase”, desabafou a coordenadora do Sinsenat, Soraya Godeiro, que apresentará denúncia no Ministério Público do Trabalho e da Saúde. Soraya atribuiu a falta de transparência à realização pela prefeitura.

Em nota oficial, a Secretaria Municipal de Saúde informa que alguns dos trabalhadores voluntários que atuam nos postos de vacinação abertos no município foram imunizados equivocadamente. “No início da abertura do drive Arena das Dunas algumas pessoas que estão trabalhando foram vacinadas.

Esse equívoco já foi sanado, uma vez que de acordo que o Ministério da Saúde é para vacinar os envolvidos na ação, porém devido a pequena quantidade de doses recebidas, neste momento Natal não vai vacinar os envolvidos”, explicou, em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que suspendeu a vacinação desse grupo de servidores, em função da quantidade reduzida de doses recebidas nesta etapa inicial.

Início da vacinação não significa volta imediata à normalidade

Após o início da vacinação contra Covid-19 no estado, o Secretário de Saúde do estado, Cipriano Maia, afirmou que o momento é de esperança, mas que ainda não é possível retomar a vida pré-pandemia normalmente.

“A vacina traz a esperança, traz o horizonte onde queremos chegar, com o controle da pandemia, a retomada da vida social, mas a gente precisa entender que isso não se faz a partir do momento que a gente fizer a vacina em cada um aqui, ela vai demorar um pouco, e nós temos que ter essa paciência e essa precaução, porque nós estamos vivendo uma situação epidêmica não confortável, um grande número de casos”, explicou o secretário.

O infectologista Antônio Araújo explica o motivo pelo qual as pessoas que estão sendo vacinadas não podem retornar à normalidade imediatamente. “A vacina só vai fazer o efeito da imunidade para cada pessoa depois de certo tempo. Depois de mais ou menos 20 dias é que começa a formação de anticorpos. As pessoas que estão sendo vacinadas têm que permanecer fora de aglomeração, usando álcool em gel, lavando as mãos e usando máscara até quando tiver a certeza que a imunidade foi perfeita. Nos primeiros dias da vacina ainda não há anticorpos, as pessoas podem adquirir a doença. Só vai ter imunidade perfeita depois da segunda dose”, esclareceu o médico.

De acordo com ele, ainda não se sabe ao certo como vai funcionar a nova vacina em relação às novas cepas que estão aparecendo. “O vírus vai se acostumando, daqui a pouco ele sabe que estão começando a combater e já começa a abrir as mutações dele. Então essas mutações que a gente viu no Reino Unido e na China podem ser transmitidas para outras pessoas que tomaram ou não a vacina, mas aí isso ainda vai ter um estudo na frente, para justamente ter essa certeza. A gente não sabe se vai ser igual a vacina da gripe, que todo ano tem uma cepa diferente e é feita a vacina para essa cepa que começa a se apresentar. A vacina da gripe é assim, mas não sei se essa vacina será também”, pontuou.

Além do intervalo entre a 1ª e a 2ª dose da Coronavac, que começou a ser aplicada no país, e da questão das mutações do vírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) faz uma estimativa que para conter, de fato, a pandemia, é necessário que no mínimo 80% da população mundial seja imunizada contra o vírus. No Brasil, a 1ª fase da vacinação acaba de começar, e estão sendo vacinados profissionais da saúde que fazem parte do grupo prioritário.

“Vivemos um veraneio e nos aproximamos de um carnaval que traz maior risco de aglomerações. Temos depoimentos de que os encontros natalinos, de fim de ano, de festa, tem se repercutido no aumento de casos. O nosso apelo aqui para os prefeitos, para a imprensa, para os potiguares e todas as instituições é reforçar as medidas de segurança, o uso correto da máscara, evitar aglomeração, para que a gente reverta essa tendência atual de casos crescentes, de óbitos, porque todas as vidas valem a pena”, alertou novamente o secretário de Saúde Cipriano Maia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.