BUSCAR
BUSCAR
Saiba mais
Medicamentos humanos podem mesmo ser dados para cães e gatos?
Confira quais são os medicamentos proibidos para os pets e os cuidados necessários por parte dos tutores
Por Redação
07/05/2017 | 19:00

Normalmente, quando estamos com muita dor a tendência é recorrermos a qualquer remédio de efeito rápido. Mas você tomaria comprimidos próprios para animais? Provavelmente não. O contrário também não é recomendado: medicamentos fabricados para humanos não são indicados para cães e gatos.

Apesar disso, muitas pessoas não esperam para ir ao veterinário e ao virem seus bichinhos com dor, decidem dar medicamentos feitos para humanos. E isso pode ser muito prejudicial, uma vez que tende a alterar o sistema nervoso dos animais, por menor que pareça o efeito.

Remédios proibidos

Para não agravar o problema de saúde de seu animal, o ideal é sempre procurar um veterinário para indicar o medicamento certo. Para seu cachorro ou gato não sofrer efeitos colaterais, veja quais remédios para humanos são totalmente proibidos.

  • Antiinflamatórios (piroxicam, diclofenaco, ibuprofeno)
  • Anti-sépticos de vias urinárias (sepurim, pirydium)
  • Analgésicos (paracetamol, aspirina)
  • Colutórios (enxaguantes e anestésicos para boca e garganta)
  • Antidepressivos
  • Descongestionantes nasais e antigripais

De acordo com o médico veterinário Alexandre G. T. Daniel, professor da Universidade Metodista de São Paulo e proprietário da Clínica Gattos, a maioria dos medicamentos são tóxicos tanto para gatos quanto para cães, mas os felinos se intoxicam com doses menores. Além disso, esses medicamentos precisam de um intervalo maior de tempo caso usados e se isso não for respeitado o animal pode ir à óbito, com falência aguda de órgãos.

Como saber se o pet ingeriu um medicamento para humanos?

O ideal é manter os remédios sempre em lugares altos e longe dos animais; evite colocar em cima da mesa ou do criado mudo. Caixinhas de plástico para armazenar os medicamentos ou gavetas onde eles não alcancem são indicados.

Se essas técnicas não funcionaram e o pet ingeriu os medicamentos mesmo assim, preste atenção nos sintomas que podem surgir: vômito, diarreia, falta de apetite, dor abdominal, convulsão, dificuldade respiratória ou prostração intensa.

 

 

Fonte: iG

 

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.