BUSCAR
BUSCAR
Márcia Maia: “É com Wilma que esperamos participar da eleição em Natal”

24/03/2012 | 18:07

O Jornal de Hoje

Um partido do tamanho do PSB tem todos os seus filiados, todos os seus membros, diretorias executivas, deputados, vereadores, prefeitos e vice-prefeitos afinados numa única definição: lançar a ex-governadora Wilma de Faria, presidente estadual da legenda, candidata a prefeita de Natal nas convenções de junho deste ano.

É assim que a deputada estadual Márcia Maia (PSB) enxerga a questão do PSB na capital do Estado. “A população tem clamado por mudanças urgentes em Natal. Nós temos um nome fortíssimo para ser pré- candidata e, para muito em breve, oficializar como candidata. É o da ex-prefeita e ex-governadora Wilma de Faria”.

Nesta entrevista, a líder do PSB na Assembleia Legislativa fala da unanimidade do partido e do discurso único de candidatura de Wilma a Prefeitura de Natal. Aborda a decepção de não ter uma aliança com o PT em Mossoró em torno da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) e dos planos do partido, que é crescer em 2012 para chegar fortalecido nas eleições gerais de 2014.

O Jornal de Hoje – Como a senhora analisa essa decisão do PT em Mossoró, não foi ruim para a oposição?

Márcia Maia – Obviamente que eu preferiria que a decisão do PT tivesse sido de não candidatura própria e possível aliança com nossa candidata do PSB. Mas respeito a posição do partido.

JH – Isso dificulta uma aliança com o PSB em Natal?

MM – Independente dessa decisão de Mossoró nós não fechamos alianças. Nós temos uma parceria com o PT e outros partidos em vários municípios do RN. A nível estadual temos uma parceria forte, estamos sempre conversando, dialogando, fazendo reflexões. Com relação a Natal, é uma situação específica e estamos conversando com vários partidos. Mas não fechamos alianças para o pleito da capital com nenhum partido. Assim como os demais pré-candidatos não fecharam alianças.

JH – O que o PSB definiu em relação a Natal?

MM – O PSB já vem participando de diversas reuniões do diretório municipal do partido, conversando sobre a situação local, sobre a importância do fortalecimento do partido no pleito municipal e sobre a relevância do PSB oferecer um projeto para a cidade de Natal. Temos também discutido o fortalecimento do partido na da Câmara Municipal, bem como termos um projeto viável para a cidade do Natal, já que a cidade tem vivido uma situação difícil e a população está numa situação dramática. Os serviços públicos não funcionam na área de segurança, saúde, educação, mobilidade urbana, assistência social, infraestrutura. A população tem clamado por mudanças urgentes em Natal. Nós temos um nome fortíssimo em Natal, para ser pré-candidata e para, muito em breve, oficializar como candidata, que é o da ex-prefeita e ex- governadora Wilma de Faria. Esse nome é muito forte dentro do partido e dentro da cidade do Natal. É um nome respeitável e forte. Foi quem impulsionou o desenvolvimento da cidade e portanto é um nome extremamente respeitado, aceito por todos os setores da sociedade natalense. É com esse nome que esperamos participar da eleição em Natal.

JH – Isso já é uma definição?

MM – É a opinião da deputada Márcia, que pode ser interpretada pela tradução e desejo das pessoas em cada lugar que visito na cidade do Natal. É o nome que está nas pesquisas, mesmo sem estar oficializada como candidata. Muitas pessoas não sabem que há possibilidade de ela ser candidata a prefeita de Natal. Não foi um nome trabalhado ainda. Mas é o nome onde, na hora que a gente fala em Natal, é lembrado e cobrado como possível candidatura. A gente sente a grande aceitação das pessoas em torno do nome de Wilma para ser candidata. Eu defendo porque estou vendo a necessidade de mudança da população de Natal, em reuniões comunitárias que eu tenho participado. Defendo o nome de Wilma, como os vereadores têm defendido, os deputados estaduais têm defendido e as pessoas anônimas têm defendido.

JH – Qual a tendência hoje?

MM – É ter candidatura própria. Não só em Natal, mas em todas as cidades onde a gente tenha grande condição de assumir o executivo municipal. Além de candidatura própria, vamos lutar por uma presença muito forte na Câmara de Vereadores.

JH – Qual o prazo para definição?

MM – O prazo é até junho, mas é claro que essa decisão pode ser antecipada. Pode ser no próximo mês, no momento certo o PSB oficializará a definição. Espero que seja o quanto antes possível.

JH – A decisão já foi tomada?

MM – A decisão não foi ainda oficializada, não posso dizer que foi tomada, porque talvez – se fosse – já teria sido divulgada. Se depender da minha posição, a decisão já foi tomada, e se depender de mim, será antecipada.

JH – Para quando?

MM – Final de março, mais tardar início de abril.

JH – Em não sendo candidata, apoiará quem?

MM – Nós não estamos conversando sobre a possibilidade de apoio. Primeiro estamos conversando nossa opinião com relação a candidatura própria. Estamos defendendo que o partido deverá ter candidatura própria em Natal. Não discuto sobre possível aliança. Obviamente que estamos conversando com outros partidos, com o PC do B, o PHS, o PPS, o PT que já tem um nome definido, com o próprio PDT, que não fechou as portas. Partidos que tenham afinidade partidária e política conosco, para fazer com que Natal possa ser impulsionada no seu desenvolvimento sustentável. Tenha políticas públicas eficientes, que permitam que a população tenha qualidade de vida. Hoje os serviços públicos estão funcionando mal e a população sem qualidade de vida. 70% do eleitorado em Natal ainda está indeciso. É uma situação que revela o sentimento popular através da opinião pública.

JH – Pode apoiar Carlos Eduardo?

MM – Não vou falar porque a gente está na tese da candidatura própria.

JH – E o PT, o PSB pode apoiar?

MM – Não posso falar nenhum partido nem outro porque a gente está defendendo candidatura própria. Se tem alguém do partido, que eu não conheço, que não deseja a candidatura própria, todo mundo defende candidatura própria. É praticamente unânime dos filiados e membros do partido de que devemos ter candidatura própria.

JH – A decisão cabe a Wilma ou ao partido?

MM – Aos dois, tem que ser os dois. Agora, claro que ela vai ouvir o partido, a população. Está maturando bem todas as manifestações de apoio a sua candidatura a prefeita de Natal.

JH – Nos bastidores, comenta-se muito que Wilma poderá não ser candidata em função dos processos a que responde na Justiça. Procede?

MM – A ex-governadora Wilma tem uma história de honra, de compromisso, trabalho, enfrentamento de desafios. Acho que a história dela é correta, limpa, de trabalho. Se perguntassem, com uma palavra, como eu traduziria Wilma, essa palavra é trabalho. Nunca ninguém trabalhou tanto por Natal. Além de ser dedicada, extremamente trabalhadora, guerreira, ousada, é extremamente corajosa. Quando se tem a consciência tranquila, não tem nada a temer. Processo não foi sequer julgado, problemas administrativos ser empecilho à candidatura não faz sentido. Com certeza não será até porque ela tem a consciência tranquila do dever cumprido em favor de Natal e do RN. E apesar de ter consciência tranquila, obviamente que ela está extremamente sensibilizada com a situação de caos administrativo que vive a cidade. Apesar de ter feito muito pela cidade, ela ainda poderá colocar ainda mais sua experiência, idealismo e competência pela cidade do Natal. Isso espera a população e aqueles que a acompanharam de perto a gestão dela e sabe que pode esperar dela isso. É isso que na minha opinião o natalense está esperando dela.

JH – O presidente do PSB, Eduardo Campos, acompanha as conversas?

MM – É claro que o governador tem uma agenda muito intensa, tem um estado para cuidar, mas acompanha o PSB em todos os entes federados. E ele tem apoiado o fortalecimento do nosso partido aqui. O que ele deseja é que o PSB se fortaleça em Natal, em Mossoró e no RN.

JH – Vereadores dizem que em 2013 Wilma tomará posse como prefeita. Na sua opinião vai, deputada?

MM – Eu espero que sim, acho que a população, não só eu, espera que sim. A população de Natal quer mudar, mas quer mudar com segurança. O que é fazer uma mudança com seguranças? É votar e escolher pessoas que tenham história de sucesso em favor de Natal. As pessoas apostaram no novo e na mudança entre aspas. Na última eleição votaram naquela que nunca tinha administrado nenhuma cidade, e acabou se decepcionado. MM – Não existe. O PSB continua como está, esperando que em 2013 nós estejamos mais fortalecidos ainda, com o partido assumindo várias prefeituras importantes no RN. Vamos trabalhar unidos, Wilma, Márcia, Sandra e demais deputados e vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, trabalhando de forma unida em favor do crescimento do partido. Afinal de contas, depois teremos 2014 que é uma eleição importante e queremos o partido mais forte e crescendo com qualidade. A deputada Sandra estará sempre ao nosso lado e nós estaremos sempre ao seu lado nesse projeto de fortalecimento do partido. Espero que não só os vereadores, mas a população também espere que isso aconteça em breve.

JH – Deputada, e o PSB no RN, como fica a partir de 2013. Há acordo para que Sandra assuma o comando geral do partido?

MM – Não existe. O PSB continua como está, esperando que em 2013 nós estejamos mais fortalecidos ainda, com o partido assumindo várias prefeituras importantes no RN. Vamos trabalhar unidos, Wilma, Márcia, Sandra e demais deputados e vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, trabalhando de forma unida em favor do crescimento do partido. Afinal de contas, depois teremos 2014 que é uma eleição importante e queremos o partido mais forte e crescendo com qualidade. A deputada Sandra estará sempre ao nosso lado e nós estaremos sempre ao seu lado nesse projeto de fortalecimento do partido.

JH – E o governo Rosalba, tem melhorado?

MM – Não. Tem piorado nos últimos tempos. Na verdade, o governo se apresenta sem rumo, sem planejamento, com as principais políticas públicas funcionando muito mal. Nunca vimos no RN uma crise tão forte, com secretarias importantes como Agricultura e Justiça e Cidadania em completa falência, com falta de investimento e a população cada vez mais insegura, sentido a violência e a criminalidade na pele. Estamos realmente inseguros, porque temos notícias de todos os cantos assaltos, violência, na área urbana e rural, e não vemos respostas através das políticas de segurança e justiça e cidadania, para conter e oferecer paz ao cidadão de direito. Poderia citar ainda a Assistência Social, que na hora que não se investe tende a aumentar a violência, os programas estão paralisados, as pessoas sofrem mais, vive-se uma crise econômica política e estrutural, porque o governo está se apresentando dessa forma, sem rumo e planejamento. E se no problema não é a falta de interesse de melhorar vida do natalense, é pelo menos incompetência. Espero que a sociedade fique mais vigilante e que a gente possa cobrar do governo ações que possam ser traduzidas em melhoria da qualidade de vida do povo. Do jeito que está, a vida do norte- rio-grandense está caótica, e a população toda tem sentido a crise institucional e o descompromisso do governo com as principais políticas públicas.

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.