BUSCAR
BUSCAR
Homenagem
Luiz Almir, 100% Zona Norte; cidadão natalense oficial conta sua história
Ex-vereador e ex-deputado recebe título de cidadão natalense, é elogiado pelos parlamentares e relata história política
Adenilson Costa
17/11/2021 | 08:09

Desbocado, verdadeiro, autêntico, sem medo, polêmico, pai, desaforado e respeitador. Um seresteiro por natureza, exímio comunicador, há 44 anos é a voz do povo no rádio, televisão e nos jornais impressos do Rio Grande do Norte. Tudo isso cabe dentro do “velho” Luiz Almir, e como se não bastasse, aos 69 anos, o homem que é 100% Zona Norte de Natal até morrer e defensor das pessoas menos favorecidas, conseguiu obter diploma de nível superior, mostrando que nunca é tarde para quem acredita em um sonho.

Aplaudido por muitos e criticado por alguns que contestam a irreverência que é a sua marca registrada. Sem “papa na língua”, fala tudo o que pensa de quem desdenha do povo humilde que ele aprendeu a ser um defensor: “Mas isso não é uma maneira que eu criei, eu nasci assim, eu sou assim. As pessoas falam da minha autenticidade, porque na hora de punir e ser xingado, eu digo a verdade, doa a quem doer”, explicou.

Luiz Almir entrou na política em 1996, quando foi eleito para o primeiro dos quatro mandatos que exerceu como vereador em Natal. Em 2000, foi eleito para a Assembleia Legislativa, onde teve dois mandatos como deputado estadual: “Eu comecei a minha vida política quando eu fazia a rádio Nordeste AM, na época, não existia televisão. A Zona Norte de Natal tinha a fama de ser um curral eleitoral dos ricos, que iam para lá e diziam: ‘abram as portas do curral e vamos entrar com carro de som, caminhão, ônibus e comprar votos’. E eu, de tanto ver denegrir a minha família Zona Norte, tomei a decisão de quebrar essa cerca, a porteira e me lançar candidato. E terminei sendo o terceiro vereador mais votado na época, em 1996. E fui um vereador atuante, sempre nas causas populares. Sempre defendi o direito do camelô de ganhar a sua sobrevivência com dignidade”, destacou.

“Sempre tive boa e má convivência com prefeitos, porque se fosse maltratar gente pobre, brigava comigo. Podia ser o maior aliado ou aliada. É tanto que tive divergências com Wilma de Faria, que era uma mulher que nós fazíamos campanha e eu até brincava. Nós saíamos às 14h e ficávamos até às 20h, e nem pedir para fazer xixi em uma casa a mulher pedia. Eu ainda pedia duas ou três vezes. Muitas vezes caminhamos juntos e separados, por exemplo, eu fui candidato a prefeito, tinham muitos candidatos a prefeito, inclusive Fátima Bezerra. Ganhei de todos no 1º turno e fui para o 2º turno com Carlos Eduardo, e só não ganhei de Carlos Eduardo, porque ele estava com Wilma, com a maldita onda 40, que foi o que me lascou. Na antevéspera das eleições, eu estava empatado com Carlos Eduardo, no 2º turno. E aí veio Wilma de Faria e danou a onda 40 dela e, realmente era pesada e conseguiu ganhar de mim por 2% dos votos”, relembrou, Luiz Amir.

Luiz Almir recorda dos planos e sonhos que havia feito caso tivesse ganhado aquela eleição para prefeito de Natal: “O meu vice-prefeito, era Luiz Eduardo Carneiro, que Deus o levou. Nós fazíamos reuniões, eu ia cuidar da parte pobre da cidade. Pretendíamos construir casas, não luxuosas, eram apenas quarto, sala, banheiro e cozinha, nos terrenos que tinham muitos que a prefeitura e o governo do Estado possuíam e doar para a população de rua, para que eles tivessem dignidade, uma casa para morar. O mínimo que nós poderíamos fazer. Já Luiz Eduardo ia cuidar da educação de Natal, já estava tudo combinado”, recordou.

Logo no início da sua carreira política, em seu primeiro mandato na Câmara Municipal de Natal, Luiz Almir rememora um episódio inusitado: “Uma vez eu fiz no primeiro mandato meu, eu chamei a palavra ‘merda’ no plenário da Câmara e um deputado, que tomava pelo menos 3 litros de uísque por dia, mas era chique, metido a rico e um professor da UFRN disse: Vossa excelência não pode dizer essa palavra no plenário. Eu disse: eu sei dizer detrito estomacal após a digestão expelido pelo ânus, mas eu chamo é de merda, nessa porra. E fui aplaudido por todo mundo que estava na Câmara Municipal neste dia. Em 1996 eu já falava o linguajar do povo”, relembrou.

Atualmente o comunicador do povo está sem mandato, mas pretende disputar uma vaga de deputado estadual nas eleições de 2022: “Estou recebendo o carinho do povo e sinto um forte desejo de lançar meu nome a deputado estadual. Estou conversando com vários partidos e lideranças políticas do nosso Estado”, explicou o ex-vereador.

Título de Cidadão Natalense

Nascido em Juazeiro do Norte, no Ceará, agora Luiz Almir é Cidadão Natalense, com um diploma que a Câmara Municipal de Natal lhe outorgou na última terça-feira (09), por meio de propositura da vereadora Nina Souza (PDT).

Segundo Luiz Almir, ao receber o título de Cidadão Natalense, os vereadores que usaram da palavra foram unânimes em dizer: “De todos os títulos de Cidadão Natalense, esse é o mais justo. Porque nada acontece na Zona Norte sem ter a voz, a briga e a luta de Luiz Almir”, explicou.

“São inúmeros os serviços prestados a Natal, como político e como comunicador. É uma pessoa que lutou a vida toda pela Zona Norte, onde criou os filhos e mora até hoje. Por tudo isso, achei que precisava dar esse título oficial. Luiz Almir já era cidadão natalense de fato, e a partir de hoje passa a ser também de direito”, justificou a vereadora Nina Souza.

O amor de Luiz Almir pela Zona Norte de Natal é tão grande, que nem a morte os separa: “Morreu meu pai, minha mãe, minha mulher, alguns filhos casaram e saíram da Zona Norte, mas eu continuo lá, na mesma casa há 33 anos. Eu disse à Deus só saio daqui da Zona Norte, quando Ele me chamar. E quero ser cremado e as minhas cinzas jogadas no mar da Redinha”, finalizou.

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.