BUSCAR
BUSCAR
Revelação
Líder do governo Bolsonaro: prisão em 2ª instância foi criada para tirar Lula da eleição
Ricardo Barros, líder do governo Bolsonaro, chamou a Lava Jato de quadrilha e defendeu os diálogos entre membros da operação revelados pelo The Intercept Brasil
IG
02/02/2021 | 16:35

O líder do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Câmara dos deputados, (PP-PR), disse, em entrevista à Rádio CBN , que a prisão em segunda instância foi criada para garantir que o ex-presidente Lula (PT) não participasse das eleições presidenciais de 2018.

“Nunca teve prisão em segunda instância no Brasil. Só teve para prender o Lula e tirá-lo da eleição. Foi um casuísmo”, afirmou. O deputado fez outra declaração polêmica ao defender a preservação do material divulgado pelo site The Intercept Brasil sobre as conversas entre autoridades e membros da Lava Jato.

“Não vamos permitir que as conversas do Intercept da Lava-Jato, que foram autenticadas pelo ministro Lewandowski, desapareçam. São crimes cometidos pela quadrilha da Lava-Jato”, disse.

“Nunca teve prisão em segunda instância no Brasil. Só teve para prender o Lula e tirá-lo da eleição. Foi um casuísmo”, afirmou. O deputado fez outra declaração polêmica ao defender a preservação do material divulgado pelo site The Intercept Brasil sobre as conversas entre autoridades e membros da Lava Jato.

“Não vamos permitir que as conversas do Intercept da Lava-Jato, que foram autenticadas pelo ministro Lewandowski, desapareçam. São crimes cometidos pela quadrilha da Lava-Jato”, disse.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.