BUSCAR
BUSCAR
Entrevista
Kelps promete congelar valor do IPTU e diz haver corrupção na saúde: “Dinheiro é roubado”
Segundo a prefeitura, o reajuste teve o objetivo de corrigir anos de defasagem na cobrança do imposto e atingiu uma parcela mínima de contribuintes. Para Kelps, o imposto está “caríssimo”
Redação
13/11/2020 | 05:11

O candidato do Solidariedade a prefeito de Natal, Kelps Lima, afirmou nesta quarta-feira 11 que, se for eleito, vai congelar o valor do IPTU por quatro anos, aplicando apenas a reposição da inflação.

Em entrevista ao Agora RN, o candidato criticou os últimos aumentos do imposto e disse que a verba extra proveniente dos reajustes serviu para pagar cachê de artistas contratados para tocar em eventos promovidos pela prefeitura.

Nos últimos dois anos, durante a gestão do prefeito Álvaro Dias – que é candidato à reeleição pelo PSDB –, o IPTU subiu até 200% em alguns casos. Segundo a prefeitura, o reajuste teve o objetivo de corrigir anos de defasagem na cobrança do imposto e atingiu uma parcela mínima de contribuintes. Para Kelps, o imposto está “caríssimo”.

“Esse aumento de IPTU, além de fazer demagogia, é feito para pagar Zezé di Camargo e Luciano, que tocou 1 hora e ganhou R$ 350 mil. Nada contra os artistas. São sensacionais. Mas não pago com dinheiro do IPTU do cidadão. Minha gestão: aumento real zero de IPTU nos quatro anos. Não precisa. O IPTU está caríssimo. A prefeitura está arrecadando um monte. O que a gente precisa é tratar bem esse dinheiro”, enfatizou o candidato.

Kelps Lima afirmou que, para gerar mais receita para o Município, é preciso dinamizar a atividade econômica, especialmente o turismo. Paralelo a isso, o candidato defende o enxugamento de gastos da prefeitura, como a “profissionalização” de secretarias e o corte de metade dos cargos comissionados.

“Cargos comissionados não envolvem só o custo dos salários. É contaminar os ambientes públicos com cabos eleitorais e lideranças políticas, que só vão para lá para praticar corrupção e clientelismo. (Na minha gestão), como agentes políticos, não passam na calçada desses órgãos”, declarou.

EVENTOS

Em relação às festas populares, Kelps disse que, se for eleito, vai manter a promoção de eventos como o “Natal em Natal”, uma das marcas da gestão do prefeito Álvaro Dias, mas que não vai autorizar a contratação de artistas nacionais. “Vamos continuar a ter grandes eventos, mas os artistas principais serão natalenses”, afirmou.

Para o candidato do Solidariedade, são mentirosos os dados apresentados pela prefeitura de que o investimento em eventos como o Carnaval representam um retorno de até 10 vezes mais recursos para os cofres públicos. Normalmente, a prefeitura se baseia em um estudo da Federação do Comércio para justificar os gastos com eventos. Em 2020, segundo a entidade, o investimento da prefeitura resultou em mais de R$ 100 milhões em circulação durante o Carnaval.

“Duvido me apresentar uma auditoria séria sobre esse assunto. Esse dado é mentiroso e comprado para a imprensa que é sócia da prefeitura”, destacou o candidato, ressaltando que o Agora RN está fora da crítica.

CORRUPÇÃO NA SAÚDE

Kelps acusou, ainda, a gestão municipal de praticar corrupção na área da saúde. Segundo ele, além do desvio de verbas, há um esquema para privilegiar vereadores da base governista. Esses parlamentares, segundo o candidato, têm “cotas” de procedimentos na saúde – que são usados para expandir a base de apoio ao grupo político.

Além disso, o candidato do Solidariedade acusou a atual gestão de usar recursos públicos em esquemas para compra de votos.

“O dinheiro (da saúde) é roubado. Esquema com vereador para ter cota de remédio, cota de exame. Vá hoje à noite em qualquer bairro e diga ‘tô querendo me cadastrar como boca de urna, tem?’. Dinheiro tá lá: da saúde, da educação. Vai pagar boca de urna domingo”, disparou.

CRÍTICAS A ÁLVARO

O candidato a prefeito de Natal também aproveitou a entrevista para subir o tom das críticas contra Álvaro Dias, que concorre à reeleição.

“Álvaro não pode depositar 1 mil reais na conta dele que a Justiça toma. Ele tem os bens bloqueados. Nomeou boa parte da família e efetivou sem concurso na Assembleia. Todos ganham mais de R$ 20 mil. Ele responde processo por isso. O prefeito contrata sem licitação a empresa da cunhada. Não tem perigo de isso acontecer comigo”, enalteceu.

TRANSPORTE

Na área da mobilidade urbana, Kelps Lima propôs acabar com a “politicagem” que diz existir em torno do tema e prometeu realizar licitação para o sistema de transporte público no 1º ano de gestão. Ele afirmou que, como prefeito, vai exigir das empresas “frota nova, tarifa justa e menos tempo na parada de ônibus”. Ele destacou que não concederá subsídio para o setor.

Ele ainda defendeu a implantação de mais binários na cidade. Para melhorar o trânsito na região, a ideia dele é que conjunto de vias passem a ter mão única, uma no sentido contrário da outra.

EDUCAÇÃO

Na área da educação, o candidato do Solidariedade se comprometeu a universalizar o acesso a creche, sugerindo até pagar a matrícula em unidades particulares de educação infantil.

No ensino fundamental, ele defende mais investimentos para reverter indicadores que mostram Natal nas últimas posições do ensino no País, entre as capitais. E acusou os gestores de deliberadamente boicotarem a educação.

“Não é só incompetência. Há um plano de manutenção da indústria da pobreza de Natal para compra de votos e ludibriá-las no período eleitoral, manipulando parte da imprensa. Ela (velha política) precisa que a população não tenha acesso. Quando tem, acontece o que aconteceu comigo e o que está acontecendo em Mossoró. Dois filhos de pobre, com carreiras acadêmicas, com mestrado, convocação política, tirando oligarquias do poder”, disse, referindo-se a Allyson Bezerra, candidato do Solidariedade em Mossoró.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.