BUSCAR
BUSCAR
No Comando
Investigado, vice-governador do RJ assume após afastamento de Witzel
Cláudio de Castro convocou a cúpula de Segurança do Estado do Rio na primeira reunião de trabalho no Palácio Guanabara, na zona sul
Redação
28/08/2020 | 16:55

O vice-governador do Rio, Cláudio Castro (PSC), convocou a cúpula de Segurança do Estado para uma reunião no Palácio Guanabara, na zona sul, na tarde desta sexta-feira 28, no primeiro compromisso oficial após o afastamento de Wilson Witzel (PSC).

Os chefes da polícias Civil e Militar chegaram para o encontro por volta de 15h20, segundo informações da Record TV Rio.

Também investigado na operação Tris in Idem, Cláudio Castro foi alvo de mandado de busca por determinação do STJ (Superior Tribunal de Justiça) no processo que apura o esquema de corrupção na Saúde do Rio.  

Castro estava em Brasília quando os agentes estiveram na residência dele na Barra da Tijuca, na zona oeste, nesta manhã – apenas a esposa e os dois filhos estavam no local.

Em nota, o governador em exercício lamentou os acontecimentos e disse estar com a “consciência tranquila e totalmente à disposição para colaborar com as investigações”. 

A defesa declarou que vai se manifestar quando tiver acesso ao processo. 

Quem é Cláudio Castro

O governador em exercício Cláudio Castro, de 41 anos, nasceu em Santos, no litoral de São Paulo, mas se mudou para o Rio ainda criança. Formado em Direito, ele também é músico, compositor e evangelizador.

Ao longo de 12 anos foi chefe de gabinete na Alerj (Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro). Em 2016, ganhou as eleições para vereador na capital. Em outubro de 2018, compôs a chapa de Wilson Witzel na candidatura ao governo do Estado.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.