BUSCAR
BUSCAR
Preços
Inflação tem alta em novembro e afeta custo da cesta básica em Natal
Com índice em novembro, inflação de 0,89% atinge os potiguares de maneira significativa, elevando o valor da cesta básica em Natal em cerca de 30%
Redação
10/12/2020 | 06:35

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do País, subiu 0,89% em novembro. Esse é o maior resultado para um mês de novembro desde 2015, quando o indicador foi de 1,01%. O resultado disso pode ser visto nas prateleiras dos mercados de Natal. O impacto da inflação reduziu o poder compra dos potiguares e, além disso, deixou os produtos que compõem a cesta básica ainda mais caros.

A alta do IPCA superou o que era cotado para o mês, que se especulava em 0,86% pelos economistas, gerando assim alta nos preços de 16 regiões pesquisadas pelo IBGE. E justamente uma das regiões afetadas foi o Rio Grande do Norte.

Em Natal, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos é (Dieese), a cesta composta por dez produtos custou R$ 455,43 em novembro, com elevação de 4,27% na comparação com outubro (R$ 436,76). Em 12 meses, alta já alcança os 30,91%.

Com isso, o natalense tenta encontrar saída em mudanças de hábitos para mitigar e frear os impactos sofridos no bolso e nas compras. Porém, mesmo com várias ações, a população ainda sente fortemente as significativas altas.

Ao ouvir a população em um supermercado em Natal, a unanimidade foi de que “aumentou tudo’’. Segundo a professora Elizia Araújo, 58, carnes e frutas foram os produtos que mais aumentaram. Ele disse ainda que ao fazer malabarismos consegue manter os itens principais, entretanto comentou acerca da população de baixa renda. “Se está difícil para nós, assalariados, imagina para quem não tem nem isso? Talvez não compre ou coma nenhum pedaço de carne”, frisou.

Já a dona de casa Maria de Lurdes, 61, também relatou que está sentindo os impactos com o aumento da inflação. “Mesmo acostumada a comprar em atacados, não adianta trocar de lugar, não tem como fugir dos preços”, disse.

Em Natal, os itens com maior aumento de preços foram o pão (8,07%), a carne (7,26%), o arroz (6,11%) e o óleo (4,98%). Já a carne passou de R$ 151,25 para R$ 162,23, considerando os 4,5 quilos. Ainda de acordo com o Dieese, um trabalhador que ganha um salário mínimo precisa de uma jornada de 95 horas e 53 minutos apenas para comprar a cesta básica.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.