BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Importante é aprovar matérias, não falar com Paulo Guedes, diz Maia
Afastados desde março, quando Maia fez críticas públicas à reação de Guedes à pandemia que, naquele momento, começava a paralisar o Brasil, os dois haviam se reaproximado em meados de julho, quando o ministro Fábio Faria (Comunicações) promoveu um almoço de reconciliação
Redação
04/09/2020 | 11:07

A reaproximação entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo maia (DEM-RJ) e o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou ao fim novamente, a dupla rompeu. As informações são da Folha.

“Para mim, é importante aprovar as matérias, não falar com o Paulo Guedes”, disse Maia à Folha no fim da noite de quinta-feira,3.

O presidente da Câmara quer tratar a pauta econômica do governo Jair Bolsonaro (sem partido) com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

Em entrevista à GloboNews no início da noite de quinta, o presidente da Câmara disse que Guedes proibiu seus auxiliares de conversar com ele.

“Ontem [quarta (2)], a gente tinha um almoço com o Esteves [Colnago, assessor especial da Economia] e com o secretário do Tesouro [Bruno Funchal] para tratar do Plano Mansueto, e os secretários foram proibidos de ir à reunião”, disse Maia.

Afastados desde março, quando Maia fez críticas públicas à reação de Guedes à pandemia que, naquele momento, começava a paralisar o Brasil, os dois haviam se reaproximado em meados de julho, quando o ministro Fábio Faria (Comunicações) promoveu um almoço de reconciliação.

Pelo lado de Rodrigo Maia, ele não acreditou na disposição de Guedes para esta reaproximação. O presidente da Câmara vê o ministro da Economia como alguém vaidoso e que não lida bem com o fato de o parlamentar levar sozinho o mérito pelas principais vitórias da pauta econômica, como a reforma da Previdência, no ano passado.

Maia também já ganhou a paternidade de matérias que ainda nem foram aprovadas e que o governo demorou a entrar na discussão —e, quando entrou, foi de maneira tímida—, caso da reforma tributária.

Na sexta-feira, 28, o presidente da Câmara telefonou para Colnago e combinaram de conversar nesta semana para discutir o Plano Mansueto, conjunto de ações de médio a longo prazo para aliviar o caixa de estados e municípios.

Na terça-feira, 1º, Maia procurou o assessor especial de Guedes para confirmar o almoço do dia seguinte, mas foi informado de que, antes, o ministro da Economia queria conversar com os líderes do governo.

O deputado encarou a justificativa como uma desculpa. Conversou com o ministro Ramos e voltou a falar com Colnago para cancelar o encontro. Informou que o deputado Mauro Benevides (PDT-CE) apresentaria uma proposta, que seria levada a Ramos.

Na noite de quarta-feira, Maia ficou incomodado com o fato de, pouco depois de ele ter apresentado a reforma administrativa da Câmara, a equipe econômica ter começado a vazar informações da proposta de reforma do governo, aguardada desde o ano passado.

*Com informações da Folha

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.