BUSCAR
BUSCAR
Racismo
Impedida de entrar em loja por ser negra, idosa realiza sonho de usar vestido de noiva aos 94 anos
Na época que se casou, pessoas negras não podiam entrar em lojas de noiva dos Estados Unidos; neta ajudou a realizar o sonho
IG
20/07/2021 | 14:09

Martha Mae Ophelia Moon Tucker, 94, surpreendeu a neta, Angela Strozier, quando estavam assistindo um filme e ela confessou um sonho antigo de experimentar um vestido de noiva. “Ela disse que nunca usou um vestido de noiva quando se casou”, disse Angela. Isso porque Martha se casou em 1952, quando pessoas negras não podiam entrar em lojas de noiva nos Estados Unidos.

O racismo atrapalhou o sonho de Martha (e o de muitas outras mulheres) de se casar de branco. Por esse motivo, quando se casou com o amor de sua vida, Lehman Tucker Sr., ela usou um vestido sereia azul. Dois dias depois de ouvir sobre o sonho da avó, Angela e outros familiares a levaram a uma loja de noivas e Martha experimentou dois vestidos.

Quando se olhou no espelho, foi difícil segurar a emoção. Em uma declaração ao AL.com, Martha disse: “sabe, nem consigo expressar o quão especial foi. Era muito especial. Há muito que quero fazer isso, só vestir um desses”. O caso gerou muitos comentários e discussões nas redes sociais sobre a história racista dos EUA. “Não se trata de $$$. A crueldade é o ponto. Eles querem que você seja constantemente lembrado que é menos do que eles”, disse uma seguidora.

Outra usuária contou sobre a experiência da sua vó: “Minha avó Ella Mae Williams-Roberts fez seu próprio vestido de noiva. Ela costumava olhar nas vitrines das lojas de departamentos em que não conseguia entrar e ir pra casa costurar o que via (com melhorias)”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.