BUSCAR
BUSCAR
Pandemia
Governo do RN recebe equipe do Ministério da Saúde e anuncia testagem no aeroporto; “Rastrear variante Delta”
Transparência, enfrentamento à pandemia, uso racional de recursos, vidas salvas, foram pontos importantes da reunião
Redação
06/08/2021 | 07:11

Discutir o cenário atual da pandemia no estado do Rio Grande do Norte com apontamento dos dados, redução da ocupação dos leitos Covid, reversão dos leitos, desafio da variante Delta e perspectiva do futuro pós-covid. Esses foram alguns dos pontos levantados no diálogo entre a Secretaria de Saúde Pública com a equipe técnica do Ministério da Saúde. A reunião contou com a presença da governadora Fátima Bezerra (PT), do secretário de saúde Cipriano Maia, do coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica (Lais) Ricardo Valentim e equipe técnica da Sesap.

Representaram o Ministério da Saúde: Rodrigo Cruz, secretário executivo do MS, Alessandro Vasconcelos, secretário executivo adjunto, Sérgio Okane, secretário de Atenção Especializada à Saúde e Mydia Gurgel, superintendente regional do MS. Participaram da reunião, Maria Eliza Garcia, presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN (Cosems) e Aldenísia Albuquerque, presidente do Conselho Estadual de Saúde do RN.

A governadora abriu a reunião, lembrando o início da pandemia, quando decidiu pela estruturação dos leitos em todas as regionais de saúde do estado. “Hoje temos a maior rede de implantação de leitos de UTI na história do SUS no Estado. Chegamos a ter quase 900 leitos estruturados e oferecendo assistência à população com agilidade e eficiência. Desde a área econômica, até os diálogos abertos, as medidas assertivas através dos decretos, sempre em diálogo com a ciência, até a implementação do Pacto pela Vida e a chegada das vacinas, sempre distribuídas em menos de 24 horas. Fizemos uma força tarefa para conseguir enfrentar a pandemia e salvar vidas”, reflete a governadora.

Rodrigo Cruz, secretário executivo do MS ao ouvir atentamente a governadora, utilizou a abertura da reunião para parabenizar a maneira como o governo e a Sesap conduzem o enfrentamento à pandemia no estado. “Sei que o estado está em boas mãos. Me impressiona muito positivamente a forma como a senhora e toda a equipe da Sesap tocam o serviço de saúde no Rio Grande do Norte. A gente percebe a competência, a seriedade e o comprometimento nas ações de enfrentamento, sempre abertos ao diálogo. Fica aqui o reconhecimento do Ministério da Saúde”, ressalta.

O secretário adiantou na reunião que está em fase da aprovação do envio de 10 milhões de testes por mês para todo o país e o pedido de aprovação da medida provisória para garantir recursos e repasse aos estados para a manutenção da assistência em todo o território brasileiro. Na ocasião o secretário destacou o motivo da visita ao estado. “Estamos aqui para aproximar, conhecer mais de perto a realidade, entender as necessidades e estreitar os laços e contatos para que juntos possamos enfrentar o vírus”, disse.

Cenário Epidemiológico e urgências

O secretário de saúde Cipriano Maia apresentou o cenário epidemiológico, mostrando o indicador composto e as necessidades mais urgentes que o estado tem hoje. “Nós estruturamos uma proposta, no início da gestão, de reorganizar o sistema de saúde e regionalizá-lo, e quando estávamos no início do processo, veio a pandemia. Contudo, conseguimos levar assistência a todas as regionais de saúde”, aponta.

Cipriano Maia fez uma retrospectiva e destacou que o RN é o primeiro estado a elaborar o plano de contingência, a ter uma estrutura de rede regionalizada e a busca de fortalecimento com as universidades, sempre acreditando na ciência como condutor. “Buscamos todas as parcerias possíveis para tentar fazer o melhor. Destaco o fortalecimento da vigilância sanitária, do Laboratório Central, o Lacen, quando já fizemos mais de 250 mil testes, além da parceria com o Instituto de Medicina Tropical e com o Lais que nos trouxe transparência nos dados, oferecendo à população e aos órgãos de controle o acompanhamento em tempo real de todo o panorama da pandemia, através das taxas de ocupação de leitos, hospitais disponíveis,solicitações de leitos e além disso o Rnmaisvacina que traz à população, também tem tempo real o acompanhamento da vacinação em todo o nosso estado”.

No momento, também foi lembrado que o sistema de transparência possibilitou salvar vidas, quando o sistema de regulação aponta em tempo real a ocupação dos leitos, permitindo que nos períodos críticos, os pacientes pudessem ser transferidos a tempo de uma região para outra.

Hoje, o Rio Grande do Norte se encontra num momento confortável, com taxa de ocupação em 35%, sem pacientes em fila. “Já tivemos 300 pacientes em fila por UTI com 100% de ocupação e hoje vivemos esse momento mais tranquilo. Porém temos consciência do desafio da variante Delta, como podemos acompanhar os outros países com o repique de casos”, disse.

Para o controle da variante, que ainda não foi confirmada no estado, o secretário Cipriano Maia ressaltou duas necessidades importantes: “precisamos de duas coisas: intensificar testagem, faço um apelo ao MS para a chegada de testes rápidos de antígeno. E o segundo pedido é acelerar a compensação das doses de vacinas já aprovada pela Câmara Técnica. Tivemos um prejuízo, quando houve o beneficiamento dos outros estados por alguns motivos particulares dos outros estados e ficamos em defasagem de 250 mil doses e queremos recompor essas vacinas. Que elas possam vir o mais rápido possível”, destacou.

O secretário lembrou ainda sobre o início dos testes voluntários que serão feitos no aeroporto de São Gonçalo do Amarante, que favorece a vigilância genômica. “Vamos começar as testagens dos passageiros que chegam ao aeroporto. Nossa proposta é realizar 350 testes para o sequenciamento genético na intenção de rastrear a variante Delta no território”.

WhatsApp Image at
Reunião entre Governo e MS. Foto: Governo do Estado

Leitos Covid e não Covid

Outro pedido importante é a habilitação dos leitos. “Precisamos ter um financiamento compatível com o que existe para a Covid. Temos hoje uma insuficiência de teto MAC e precisamos dessa ampliação urgentemente”, avalia. Cipriano lembrou que o estado paga hoje a complementação das tabelas de serviços e profissionais junto aos municípios para garantir os serviços, devido à defasagem da tabela do Ministério da Saúde.

Hoje o estado tem em curso o Plano da redução da mortalidade materno infantil, a retomada das cirurgias eletivas, com contratação para ampliar a oferta para que sejam feitas 2 mil cirurgias por mês. Além disso, está em curso a implementação das Policlínicas o integradas regionais através dos consórcios Interfederativos, que fortalece o SUS nas regionais de saúde,descentralizando o serviço e oferecendo assistência para a população sem que necessite deslocamento.

Para finalizar a reunião, o coordenador do Lais, Ricardo Valentim reforçou a transparência do estado no enfrentamento à pandemia através dos instrumentos científicos como o Regula RN e o RN + Vacina. “O Rio Grande Do Norte é o estado que ajuda a diminuir os indicadores da região Nordeste da pandemia. A palavra aqui é transparência. Cooperação técnica entre estado, Universidade, órgãos de controle e municípios. E fez e faz todas a diferença para atravessar a pandemia com maior segurança e sempre salvando mais vidas”, disse Valentim.

Alessandro Vasconcelos, secretário executivo adjunto do MS, finalizou a reunião falando que tem orgulho de ser potiguar. “Acompanho de perto o Regula RN e o caminho de reestruturação, o acompanhamento do fluxo de pacientes e o uso racional de recursos do estado do Rio Grande do Norte salvou muitas vidas. Tenho muito orgulho do meu estado. Tenho muito orgulho de saber que minha família é cuidada por vocês, sei que estão em boas mãos”, disse.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.