BUSCAR
BUSCAR
Vacina
Fátima anuncia que Governo do RN vai adquirir doses da vacina russa Sputnik V
Na próxima terça-feira 19, segundo a governadora, haverá uma reunião com representantes da União Química para o fornecimento da vacina russa ao Rio Grande do Norte
Redação
15/01/2021 | 13:00

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), anunciou nesta sexta-feira 15 a abertura de negociação para adquirir doses da vacina Sputnik V, produzida pela Rússia. O imunizante será fabricado no Brasil pela companhia União Química. Na próxima terça-feira 19, segundo a governadora, haverá uma reunião com representantes da União Química para o fornecimento da vacina russa ao estado potiguar.

“O Rio Grande do Norte está em contato para comprar a Sputnik V. Estamos em contato com a União Química para a compra do imunizante”, disse. Ainda segundo a governadora Fátima Bezerra, o RN também será beneficiado pelo acordo entre o Consórcio Nordeste e a companhia União Química. Os governadores do Nordeste estão negociando a compra de 50 milhões de doses emergenciais da vacina russa Sputnik V para os nove estados.

O presidente do Consórcio Nordeste, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), participou de uma videoconferência na quinta-feira 14, para articular a aquisição das doses com representantes da Embaixada da Rússia no Brasil e da Farmacêutica União Química. “O Consórcio Nordeste iniciou este processo de compra, mas o governo do Rio Grande do Norte também vai buscar assegurar doses da Sputnik V”, encerrou.

Na última quarta-feira 13, a União Química e o Fundo Russo de Investimento Direto fecharam acordo para a farmacêutica brasileira fornecer ao Brasil 10 milhões de doses da vacina Sputnik V no primeiro trimestre deste ano. As entregas de doses importadas e fabricadas no Brasil começariam em janeiro. O imunizante foi desenvolvido pelo Instituto Gamaleya, de Moscou. A Sputnik V foi a primeira vacina contra a Covid-19 a ser registrada no mundo, em agosto de 2020. Segundo informações divulgadas pela Rússia, a eficácia do imunizante é de 91%.

O estado também já assinou um protocolo de intenções com o Instituto Butantan, para aquisição da vacina CoronaVac – o imunizante ainda não foi aprovado pela Anvisa, porém, o aval da agência deve ser divulgado neste domingo 17. O governo ainda não divulgou quantidades e valores das doses que deverão ser compradas, mas havia confirmado uma negociação para compra da vacina. Fátima também vai aderir ao plano nacional de imunização contra a Covid-19, que é de responsabilidade do Ministério da Saúde.

Por meio da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap), o governo confirmou ao Agora RN que há 900 mil seringas em estoque, armazenadas na Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat), em Natal. A quantidade de insumos é suficiente para garantir a primeira dose aos potiguares que devem ser vacinados nas primeiras fases da campanha. Outras 2 milhões de seringas estão sendo adquiridas pelo governo do estado a partir de uma licitação, que já tem empresa vencedora.

A chefe do Executivo estadual confirmou ainda a parceria com a Cosern para instalação da rede de frio necessária para a conservação da vacina.

São 95 geladeiras especiais e dois refrigeradores científicos para os municípios e para a Unicat, órgão que vai armazenar as vacinas na capital potiguar antes da distribuição às centrais de distribuição aos municípios localizados em Mossoró, Caicó, Santa Cruz, São José do Mipibu, Pau dos Ferros e João Câmara.

Com isso, o governo estadual indicou em diversas situações que o RN está com toda a logística pronta para receber e distribuir a vacina contra a Covid-19 para todos os 167 municípios potiguares.

A expectativa é de que isso aconteça ainda em janeiro. A chefe do Executivo estadual garantiu que as aplicações da vacina começarão 72 horas após a chegada das doses.

O transporte e guarda da vacina será acompanhado pelas polícias Militar e Civil do estado, com apoio das polícias Federal e Rodoviária Federal. A ansiedade pela aprovação das vacinas contra a Covid-19 parece estar chegando ao fim. A Anvisa vai decidir neste domingo 17 sobre a autorização para uso emergencial, temporário e experimental das vacinas do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) contra a Covid-19. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pela própria agência como meta para análise dos pedidos.

As duas instituições apresentaram suas solicitações de uso emergencial na sexta-feira 8 à Anvisa. O pedido do Instituto Butantan vale para 6 milhões de doses que o instituto recebeu prontas, vindas da China. Já o da Fundação Oswaldo Cruz vale para 2 milhões de doses, que devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia.

No entanto, o governo da Índia negou a entrega imediata do lote de imunizantes da Oxford/AstraZeneca ao Brasil, o que frustrou uma operação montada para buscar o material no país asiática ainda neste fim de semana.

PROGRAMA RN+VACINA INICIA NESTA SEGUNDA O AUTOCADASTRAMENTO

O governo do Rio Grande do Norte lançou um programa que vai monitorar todo o processo de vacinação, desde a distribuição dos imunizantes contra a Covid-19 até a aplicação nos postos municipais. A iniciativa, intitulada RN+Vacina, segue o modelo do Regula RN – um programa que atualmente permite acompanhar a ocupação de leitos de assistência aos infectados pelo novo coronavírus em tempo real pela internet.

Na próxima segunda-feira 18, o programa estará disponível para o cidadão iniciar o autocadastramento, que não é obrigatório, mas importante para agilizar o processo. Dentro da estruturação do estado para a vacinação, Fátima Bezerra anunciou também a compra de mil tablets que serão utilizados nas 711 salas de vacinação ativas nos municípios. O equipamento vai agilizar o cadastramento e o controle da aplicação.

“O novo programa, o RN+Vacina, é mais uma parceria exitosa do nosso governo com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), da UFRN. Criamos um sistema pioneiro e inovador em nível nacional. Um sistema que traz transparência e seriedade no acompanhamento de todo o percurso da vacina – da chegada ao estado até a aplicação junto ao cidadão nos municípios. E queremos o apoio dos Ministérios Públicos, que consideramos fundamental para o sucesso da iniciativa”, afirmou a governadora.

 “O RN está pronto para a vacinação. Temos feito nossa parte, temos seringas e agulhas, estamos capacitando vacinadores, instalamos redes de frio e estamos orientando e apoiando os municípios para que tenhamos transparência, equidade e responsabilidade em nosso estado. A data do nosso calendário é a seguinte: chegando a vacina, iniciaremos em 72 horas”, voltou a declarar.

Pesquisador do LAIS, Fernando Lucas de Oliveira disse que o novo programa vai melhorar a atuação de quem estará nas salas de vacina e da gestão da saúde pública, porque simplifica o acompanhamento da aplicação das doses e o controle em tempo real. “O gestor público poderá acompanhar o índice de vacinação em cada sala e corrigir possíveis dificuldades”, afirmou, acrescentando que outra vantagem será identificar quantas doses estão nas centrais e nas salas de vacinação, quantas foram aplicadas, quantas perdidas e corrigir alguma distorção.

O cidadão poderá acessar o RN + Vacina inclusive pelo celular, mediante rápido cadastro. O programa também vai disponibilizar o acesso a informações sobre vacinas e um cartão virtual de vacinação. “É bom para o cidadão e para a gestão pública na execução das políticas públicas de saúde”, avaliou.

De acordo com o coordenador do LAIS, Ricardo Valentim, os dados serão enviados ao Ministério da Saúde, por meio da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), que é a plataforma nacional de interoperabilidade de dados em saúde. “É um serviço que fica de legado para o futuro, pois vai permitir o cadastro do planejamento de outras vacinações”, explicou.

Segundo Fátima, “o sistema cumpre papel fundamental para a transparência de todo o processo e assegurar o uso da vacina de forma justa e eficaz. Faremos o rastreamento da vacina em todo o Rio Grande do Norte”.

“Estamos confiantes e esperançosos que a vacinação começará na próxima quarta-feira”, pontuou a governadora do RN.

LABORATÓRIO ULTRAPASSA MARCA DE 100 MIL EXAMES

Desde o início da pandemia no país, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/RN) é referência no Rio Grande do Norte no diagnóstico laboratorial de Covid-19. Com agilidade e atendimento em todo o estado, o Lacen ultrapassou a liberação de 100 mil exames para o novo coronavírus, através da metodologia de RT-PCR. Este método é o padrão-ouro para o diagnóstico da doença.

Segundo o diretor administrativo do Lacen, o biomédico Derley Galvão, este número “representa o esforço coletivo entre Governo do Estado, Secretaria de Saúde e Laboratório Central do Estado durante a pandemia para permitir um acesso cada vez maior ao exame, mesmo diante de dificuldades inerentes ao contexto de uma pandemia”.

De acordo com o Derley, todos os investimentos em equipamentos, insumos e contratação de profissionais feitos pelo Governo do Rio Grande do Norte foram decisivos para um número tão expressivo de exames, visto que é uma metodologia mais complexa e onerosa.

O serviço ainda destaca-se pela testagem de todas as pessoas com sintomas e rapidez na liberação do resultado, com média de até 24 horas. “Isto somente é possível graças ao esforço dos servidores do laboratório, os quais desde o início da pandemia trabalham de maneira dedicada e comprometida com a Saúde Pública do Estado. Sem a atuação profissional das pessoas envolvidas, não atingiríamos um número tão expressivo”, ressaltou Magaly Cristina, diretora geral do Lacen.

CASOS CONFIRMADOS E ÓBITOS

A esperança pela vacina vem em um momento nebuloso, de altos números de casos confirmados e óbitos pela Covid-19. Nesta sexta-feira 15, o RN confirmou novos 982 casos da doença. Agora, são 127.847 casos registrados em território potiguar. O boletim apontou, ainda, para 11 novas mortes causadas pela Covid-19 no Rio Grande do Norte. Com os óbitos, o estado chega a 3.138 mortes em decorrência do coronavírus desde o início da pandemia. Também nesta sexta, o mundo ultrapassou os 2 milhões de mortos por Covid-19, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. Segundo o levantamento, 2.000.905 pessoas morreram por causa do vírus SARS-CoV-2 em mais de 93,4 milhões de casos. A taxa de letalidade da doença atual é de 2,1%.

O primeiro milhão de vítima foi atingido em 29 de setembro, mais de nove meses depois de os primeiros casos terem sido reportados em Wuhan, na China. Este segundo milhão foi atingido em menos da metade do tempo: 108 dias. Os países com mais mortes são Estados Unidos (389.581 mortes em 23,4 milhões de casos); Brasil (207.095 mortes em 8,3 milhões de casos); Índia (151.918 mortes em 10,5 milhões de casos); México (137.916 mortes em 1,6 milhões de casos); e Reino Unido (87.448 mortes em 3,3 milhões de casos).

PLANO ESTADUAL DE VACINAÇÃO

Ao todo, o governo do Rio Grande do Norte estima vacinar 825.746 pessoas na primeira etapa da campanha de imunização contra o novo coronavírus.

1ª fase – Trabalhadores da saúde (96.099 habitantes);

 – Indígenas (2.447);

– Pessoas com 75 anos ou mais (133.621);

– Pessoas institucionalizadas com 60 anos ou mais (1.400);

2ª fase – Pessoas com idade entre 60 e 74 anos (328.236);

3ª fase – Pessoas com comorbidades (263.943).

VACINA SPUTNIK V

A União Química e o Fundo Russo de Investimento Direto fecharam acordo na última quarta-feira 13 para a farmacêutica brasileira fornecer ao Brasil 10 milhões de doses da vacina Sputnik V no primeiro trimestre deste ano.

As entregas de doses importadas e fabricadas no Brasil já começariam em janeiro. O imunizantes foi desenvolvido pelo Instituto Gamaleya, de Moscou. 

A Sputnik V foi a primeira vacina contra a Covid-19 a ser registrada no mundo, em agosto de 2020. Segundo informações divulgadas pela Rússia, a eficácia do imunizante é de 91%.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.