BUSCAR
BUSCAR
Absurdo
Funcionária de hospital é presa por usar cartão de vítima da Covid-19
Ayesha Basharat, de 23 anos, foi condenada a duas penas de prisão de cinco meses, por roubo e fraude. Ela comprou vários produtos de 1 libra
Metrópoles
10/06/2021 | 11:12

A assistente de saúde Ayesha Basharat, de 23 anos, foi condenada por usar o cartão de um paciente de 83 anos que morreu vítima da Covid-19 no Hospital Heartlands, em Birmingham, na Inglaterra.

Basharat usou o cartão do idoso para comprar salgadinhos, refrigerantes e doces. Ela foi flagrada pelas câmeras de segurança do local.

De acordo com o jornal SkyNews, o boletim médico do paciente aponta que ele morreu às 13h56 do dia 24 de janeiro. A investigação aponta que, 17 minutos depois, Basharat fez seis compras de 1 libra usando o sistema de pagamento sem contato da máquina automática.

No mesmo dia, ela comprou mais outro produto por 1 libra e, quatro dias depois, tentou usar o cartão mais duas vezes. O cartão, no entanto, já havia sido cancelado pela família do paciente.

Os familiares perceberam que o documento havia sumido no momento de recolher os pertences do paciente.

Prisão

A assistente de saúde foi presa durante seu turno em 28 de janeiro e ainda levava o cartão do paciente com ela. À polícia, ela alegou que havia encontrado o cartão no chão e que o “confundiu” com o próprio cartão”.

Em audiência realizada nessa quarta-feira 9, no tribunal de Birminghan, a acusação apresentou evidências de que os cartões eram de cores diferentes.

Basharat acabou admitindo o roubo e foi condenada a duas penas de prisão de cinco meses, por roubo e fraude, além de ter sido suspensa no trabalho por 18 meses.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.