BUSCAR
BUSCAR
Coluna
Fátima Bezerra voa livre, mas terá teste de fogo na CPI
Confira a coluna de Alex Viana desta terça-feira 22
Alex Viana
22/06/2021 | 09:38

A deputada federal Carla Dickson, atualmente no PROS, teve o nome lembrado para disputar o governo do Rio Grande do Norte como candidata pela oposição ao governo da professora Fátima Bezerra, do PT. Carla disse ter recebido a “lembrança” com “surpresa”, atribuiu tal “homenagem” a uma forma de “reconhecimento” ao seu trabalho parlamentar, disse que era pouco experiente para o cargo, ainda, mas ao final se colocou à disposição, caso esta seja a vontade da “base” do presidente Jair Bolsonaro no Estado.

O fato é que o nome de Carla surge num contexto de total e completa ausência de nomes para enfrentar a atual governadora nas urnas do ano que vem. Alguns balões de ensaio foram lançados, com nomes como Tomba Farias, Fábio Dantas. Fala-se que o ministro Rogério Marinho poderia ser o candidato de Bolsonaro. No entanto, os dois primeiros são considerados fracos e Rogério prefere o Senado.

O fato é que dez em cada dez políticos que fazem oposição a Fátima dizem, à boca miúda, que do jeito que está o quadro, Fátima deverá vencer as eleições por W.O, quando o adversário falta ao embate, e o juiz, no caso aqui o eleitor, dá a vitória para quem compareceu.

É certo que Fátima, ao que tudo indica, será candidata à reeleição. Não há dúvida quanto a isso. Afinal, ela está no pleno exercício do mandato e a atual legislação eleitoral permite que mandatários, como presidente da República, governadores e prefeitos, possam renovar o mandato uma vez por mais quatro anos.

Em que pese realizaar um governo praticamente monotemático, já que a crise sanitária da covid-19 eclodiu ainda no início de sua gestão, tendo, até pela gravidade do momento, que se dedicar quase que exclusivamente a enfrentar essa situação, Fátima aparentemente vem conseguindo se manter em evidência como uma gestora razoável – embora com pontos críticos que fogem ao foco deste comentário.

Na avaliação de analistas, a petista faz um governo “como dá” para ser feito, e reforçou até agora uma imagem de honesta, apesar de pertencer ao PT, legenda que foi praticamente expurgada das urnas de 2018 em todo o país, devido justamente seu envolvimento com escândalos como o Petrolão.

Todavia, Fátima demonstra segurar as rédeas de um governo sério, que não rouba, nem deixa roubar, o que, nos tempos atuais, é um troféu de grande valor perante o eleitorado brasileiro.

Talvez no afã de mostrar que nem tudo são flores no governo do PT, a oposição conseguiu articular uma CPI da Covid na Assembleia Legislativa, a ser instada nesta terça-feira. Deputados que subscreveram o requerimento desta CPI defendem a tese de irregularidades escabrosas e contratos malfadados, assinados justamente pelo governo Fátima, e prometem uma apuração rigorosa a partir de hoje.

Será talvez o teste de fogo de Fátima Bezerra, antes das urnas de 2022. O governo terá de se desdobrar para garantir que desta CPI saia um atestado de idoneidade moral. Enfrentará a sabedoria de parlamentares de oposição, que tentarão demonstrar exatamente o contrário. Toda investigação é bem vinda, e deve ser, inclusive, incentivada pelo governo.

Manifestações
O presidente Jair Bolsonaro ficou extremamente irritado com os protestos contra o seu governo e a forma como ele trata a covid-19. Ontem, novos protestos foram iniciados, inclusive em Ponta Negra, em Natal. A tendência é se intensificarem país afora.

Incorrigível
A última impressão visível dessa irritação presidencial se tornou pública, quando o presidente da República voltou a bater boca com jornalistas, desta feita agredindo uma jornalista da TV Globo, além der esculhambar novamente a emissora. Destemperado, Jair Bolsonaro é, aparentemente, incorrigível

Oxigenação
O ex-senador José Agripino Maia, presidente do DEM no RN, está tentando implantar uma “transição” no partido, em nível potiguar. Quer oxigenar a legenda, que, até agora, passou, até certo ponto, à margem do desgaste que enlameou a grande maioria dos partidos no país.

Em análise
Nesse processo, Agripino tem sondado políticos para assumirem a direção do DEM, quando de sua aposentadoria. Um desses políticos é o atual presidente da Câmara, Paulinho Freire, atualmente no PDT, que ouviu, e ficou de analisar a proposta.

Telefonema
Presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, recebeu um telefonema de Agripino, no qual o potiguar falou sobre Paulinho. ACN Neto ficou entusiasmado. Mas não há nada definido ainda.

Nova do baba ovo
O ministro Fábio Faria, conhecido no RN por ser baba ovo do presidente Jair Bolsonaro, ausente do Estado desde que se reelegeu deputado federal, perdeu completamente o senso de realidade em prol do seu comportamento babaovista. A cada postagem que faz nas redes sociais, Fábio tem sempre em mente agradar seu chefe.

Infelicidade
Abrindo mão da representatividade do Estado, o qual deixou de representar há muito tempo, Fábio chegou ao cúmulo de menosprezar 500 mil famílias brasileiras, quase mil do RN, que perderam parentes para a covid, ao insinuar que não se devia lamentar as mortes, no momento que o Brasil atingiu a triste marca de meio milhão de vítimas.

Embriagado
Não faltaram adjetivos contra a postura de Fábio, classificado como “genocida” e até “delinquente”. O filho de Robinson Faria está embrigado pelo poder e diminui a já baixa estatura de respeitabilidade política a cada dia que passa, na mesma linha que segue o seu guru, o presidente Bolsonaro. O poder enbriaga, vicia e deixa a boca torta.

Saída
Desvinculada totalmente da esquerda, a deputada federal Carla Dickson é vice-líder do governo Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados e hoje enfrenta problemas no seu partido no RN, o PROS, comandado por aliados da governadora Fátima Bezerra. Nesse sentido, ela estuda sair do partido, devido à incompatibilidade das bandeiras defendidas pela legenda.

Retrocesso
Em entrevista ao jornal Agora RN, publicada nesta edição, Carla fala sobre a polarização existente no país entre direita e esquerda. Ela considera um retrocesso à volta da esquerda ao poder.

Declaração
“Eu não quero a esquerda de volta. Eu não quero a ideologia de gênero. Eu não quero o apoio ao aborto. Eu não quero esses temas que são notórios no Parlamento que vêm da esquerda. Sei que comigo tem milhares de pessoas que também não querem essa escravidão novamente”, diz Carla.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.