BUSCAR
BUSCAR
Medida
EUA autorizam envio de remédio para abortar pelo correio
Na Justiça, há previsão de uma discussão sobre as regras que permitem o aborto nos EUA.
g1
18/12/2021 | 14:25

O governo dos Estados Unidos acabou com algumas restrições que existiam para o uso de pílulas usadas para acabar com gravidez em estágios iniciais –o remédio poderá ser enviado por correio (até agora, essa droga só podia ser entregue pessoalmente).

A medicação é conhecida pelo nome de mifepristone. O remédio deve ser usado para gravidez de até 10 semanas e, eventualmente, para tratamento de mulheres que sofreram abortamento espontâneo.

O tratamento implica a ingestão de duas pílulas, tomadas em ordem. O primeiro bloqueia a progesterona, o hormônio que sustenta a gravidez. O segundo induz contrações no útero da paciente.

A droga foi aprovada pelo FDA em 2000, mas desde então a pílula não podia ser enviada pelo correio. Isso mudou por causa da pandemia de Covid-19. Houve uma decisão inicial para, temporariamente, permitir que o medicamento fosse enviado pelo correio. Agora, a regra passa a ser permanente.

No entanto, em 19 estados (o Texas, um dos maiores do país, entre eles) têm leis que impedem que se envie esse tipo de medicamento por correio. Nesses estados também são proibidas as teleconsultas. As mulheres nesses locais não poderão receber o medicamento em casa.

Dados do FDA mostram que 3,7 milhões de mulheres tomaram o remédio entre setembro de 2000 e dezembro de 2018. Dessas 3,7 milhões, 24 morreram por complicações.

Há uma discussão na Suprema Corte sobre aborto nos EUA. A corte é dominada por ministros conservadores. Pode ser que eles tenham maioria para mudar as regras vigentes nos EUA desde 1973, que permitem o aborto no país.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.