BUSCAR
BUSCAR
"Abalada"
Estagiária que aplicou “vacina de vento” e foi flagrada em vídeo pede desculpa pelo erro
Aluna do curso técnico do Instituto Politécnico de Enfermagem Irmã Dulce, de Sorocaba (SP), disse que sofreu ameaças após repercussão. Prefeitura afirma que escola foi notificada
G1
17/06/2021 | 09:39

A estudante do curso técnico de enfermagem que não aplicou a vacina da Covid-19 corretamente em uma moradora de Sorocaba (SP) durante seu estágio supervisionado afirmou que está abalada com a situação e que reconhece a falha cometida na segunda-feira 14.

O erro foi constatado depois que a psicóloga Laura da Silva Santos Alves foi ver o vídeo que sua mãe gravou do momento tão aguardado da imunização. Logo, Laura percebeu que tinha sido vítima da chamada “vacina de vento”.

“Lamento a falha ocorrida, mas foi rapidamente resolvida. Estou em estágio supervisionado, e acontece que algumas seringas são mais duras, o que me deixou insegura e nervosa. Estou muito abalada com o ocorrido e principalmente com a repercussão negativa”, escreveu em nota.

No vídeo é possível ver que a funcionária da saúde coloca a agulha, puxa o êmbolo para cima e tira a agulha em seguida, sem injetar o imunizante.

A aluna, que prefere não ser identificada, contou que chegou a sofrer ameaças após a repercussão do caso, registrado em um shopping da cidade que serviu de local para a imunização.

A estudante reiterou um pedido de desculpas e disse que não tinha a intenção de prejudicar ninguém.

“Os profissionais que acompanham a vacinação são dedicados e sérios. Estou sofrendo ameaças, mas lembro que todos estamos sujeitos a falhas, especialmente no período de estágio. Como demonstra o vídeo, mostrei a seringa à munícipe e ambas não reparamos imediatamente que não havia sido injetado o imunizante. Novamente me desculpo pela falha, destacando que não houve a intenção e reitero que não houve qualquer dano.”

Após contatada a falha, Laura foi corretamente vacinada.

O que diz o instituto

Em nota, o Instituto Politécnico de Enfermagem Irmã Dulce ressaltou que a aluna está em fase de prática de estágio supervisionado e que o erro foi constatado rapidamente.

“Ambas, estagiária e munícipe, mesmo conferindo, no momento não identificaram que o líquido ainda constava na seringa, prosseguindo com os procedimentos de encerramento da vacinação. Instantes depois, com a conferência e monitoramento da professora responsável, a docente enfermeira Laidi Cornelio, foi constatado e percebido tal erro, que o líquido ainda estava na seringa. A aluna imediatamente foi orientada sobre o erro no procedimento. A professora responsável, bem como a equipe de vacinação, ainda tentaram em tempo falar com a cidadã, porém a mesma já havia saído do local de vacinação.”

Ainda de acordo com o instituto, a falha foi informada para a paciente assim que ela retornou ao ponto de vacinação.

“Quando a munícipe retornou ao ponto de vacinação, o ato falho foi explicado a ela por todos os responsáveis envolvidos, com o intuito de fazer compreender que o erro ocorreu, porém jamais de maneira proposital ou com má intenção. Na sequência, a mesma foi vacinada imediatamente, da maneira correta, tentando assim contornar o problema causado a munícipe”, diz outro trecho da nota.

“Como de direito, e comum a praticamente todas as pessoas que estão indo tomar a vacina, as pessoas têm filmado e fotografado o evento, considerando que este é um marco e retrata o avanço da ciência e do SUS, para todo povo brasileiro. Graças a este procedimento, foi possível constatar o erro, identificar a necessidade de aumentar o monitoramento, focando em reforçar as orientações e melhoria no atendimento ao público.”

Comemoração

Em um post nas redes sociais, a psicóloga Laura chegou a comemorar a aplicação da vacina. “Chegou meu dia! Vacinada”, escreveu. Mas a euforia durou pouco. Logo depois de postar a foto com a carteirinha de vacinação nas redes sociais, ela foi ver o vídeo do momento e percebeu o erro.

Além de não aplicar a vacina, a funcionária também erro a grafia do nome do imunizante na carteirinha de vacinação e ao orientar a paciente. “É a ‘Astragênica’, tá? Pode ser que dê algum tipo de reação”, disse ela a Laura.

Ao G1, Laura disse que se sentiu enganada. “Foi como um ‘balde de água fria’, pois estava extremamente ansiosa para a vacina, tanto que o intuito de gravar era por estar feliz.”

Após perceber que a dose não havia sido aplicada, a psicóloga retornou ao local para reclamar, mas soube que a responsável pela aplicação já não estava mais no local.

Ela conversou, então, com a supervisora da profissional para explicar o que aconteceu. “Me pediram desculpas e aplicaram a dose. Uma das responsáveis me mostrou a seringa vazia informando que realmente aplicou e falou que iam reforçar isso com os alunos.”

O que diz a prefeitura

Em nota, a Prefeitura de Sorocaba informou que houve uma falha na aplicação e que a Corregedoria Geral do Município (COR) vai intervir na investigação em uma ação para profissionais da Saúde.

Segundo o texto, um processo de apuração foi aberto para verificar qual foi o motivo do erro na aplicação. A escola técnica também foi notificada para apurar o caso, informou a prefeitura.

Moradores que desconfiarem que não receberam a vacina da maneira correta devem fazer uma reclamação por meio do canal 156 ou pelo site da Prefeitura. Também é possível registrar a ocorrência pelo WhatsApp da Ouvidoria Geral do Município, pelo número: (15) 99129-2426, das 8h às 17h.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.