BUSCAR
BUSCAR
Saúde
Esforço em vão? Corpo recupera 28% das calorias gastas no treino. Entenda
Além disso, carregar quilos extras aumenta a compensação de calorias, tornando a perda de peso por meio de exercícios ainda mais evasiva, diz estudo
O Globo
24/09/2021 | 14:24

Para cada 100 calorias que queimamos nos exercícios, ganhamos automaticamente pelo menos 28 delas, prejudicando os melhores esforços para perder peso com atividade física, revela um novo estudo. Os resultados também mostram que carregar quilos extras infelizmente aumenta a compensação de calorias, tornando a perda de peso por meio de exercícios ainda mais evasiva para quem já está acima do peso.

O trabalho sugere também que a compensação de calorias varia de pessoa para pessoa, e que aprender como o metabolismo responde aos treinos pode ser a chave para otimizar os exercícios para controlar o peso.

Em teoria os exercícios ajudariam substancialmente na perda de peso. Quando nos movemos, nossos músculos se contraem, exigindo mais combustível do que em repouso, enquanto outros órgãos e sistemas biológicos da mesma forma gastam energia extra. Graças a estudos de laboratório anteriores, sabemos aproximadamente quanta energia esses processos exigem.

Até recentemente, a maioria das pessoas, incluindo cientistas do exercício, presumia que esse processo seria aditivo — isto é, caminhar um único quilômetro e queimar 100 calorias. Passeie dois, queime 200 e assim por diante, de maneira lógica e matemática. Se não substituirmos essas calorias por alimentos extras, acabaremos queimando mais calorias do que consumimos naquele dia e começaremos a perder quilos.

Mas esse resultado racional raramente acontece. Estudo após estudo, a maioria das pessoas que inicia um novo programa de exercícios perde menos peso do que seria esperado com base no número de calorias que queimam durante os treinos, mesmo que monitorem estritamente suas dietas.

Portanto, alguns cientistas começaram a especular que o gasto de energia pode ser menos elástico do que pensávamos. Em outras palavras, pode ter limites. Essa possibilidade ganhou força com a publicação de um influente estudo. Ele mostrou que, embora os membros da tribo caminhassem ou corressem regularmente por horas, eles queimavam quase o mesmo número de calorias diárias totais que homens e mulheres ocidentais relativamente sedentários.

Outros trabalhos reforçaram a descoberta de que mais atividade não necessariamente resulta em maior gasto calórico diário. Mas poucos experimentos em grande escala tentaram determinar o quanto nossos corpos compensam as calorias queimadas durante o movimento, uma vez que medir a atividade metabólica nas pessoas é complexo e caro.

Como parte de uma nova iniciativa científica ambiciosa, no entanto, dezenas de pesquisadores recentemente reuniram dados de vários estudos envolvendo milhares de homens e mulheres. Esses estudos envolveram beber água duplamente rotulada, o padrão-ouro em pesquisas metabólicas. Elas contêm isótopos que permitem aos pesquisadores rastrear com precisão quantas calorias alguém queima ao longo do dia.

Para o novo estudo, que foi publicado na Current Biology, alguns dos cientistas envolvidos na iniciativa começaram a ver o que acontece com nosso metabolismo quando nos movemos. Eles coletaram dados de 1.754 adultos que incluíam seus resultados de água duplamente rotulados, bem como medidas de suas composições corporais e gasto de energia basal, que é quantas calorias queimam simplesmente por estarem vivos, mesmo se de outra forma forem inativos. Subtrair os números basais do gasto total de energia deu aos pesquisadores uma estimativa do gasto de energia das pessoas com exercícios e outros movimentos, como ficar em pé, caminhar e se mexer em geral.

Então, usando modelos estatísticos, os pesquisadores puderam calcular se as calorias queimadas durante a atividade aumentaram o gasto energético diário das pessoas conforme o esperado – isto é, se as pessoas queimam proporcionalmente mais calorias diárias totais quando se movem mais. Mas, os pesquisadores descobriram que eles não tendem a queimar mais calorias. Na verdade, a maioria das pessoas parecia estar queimando apenas 72% das calorias adicionais, em média, do que seria esperado, dados seus níveis de atividade.

— As pessoas parecem compensar as calorias adicionais queimadas pela atividade em pelo menos um quarto — disse Lewis Halsey, professor de ciências da vida e da saúde da Universidade de Roehampton em Londres e um dos principais autores do novo estudo.

Inesperadamente, os pesquisadores também descobriram que os níveis de compensação de energia aumentaram entre pessoas com níveis relativamente altos de gordura corporal. Eles tendiam a compensar 50% ou mais das calorias que queimavam sendo ativos.

É importante ressaltar que o estudo não analisou a ingestão alimentar das pessoas. Concentrou-se apenas no gasto de energia e em como nossos corpos parecem ser capazes de compensar algumas das calorias queimadas durante o exercício, reduzindo a atividade biológica em outras partes do corpo. No entanto, ainda não está claro como orquestramos inconscientemente esse feito e quais sistemas internos podem ser mais afetados, disse Halsey. Ele e seus colegas especulam que as operações do sistema imunológico, que exigem energia considerável, podem ser reduzidas um pouco. Ou podemos, sem saber, ficar menos inquietos ou ficar mais sedentários, no geral, nos dias em que fazemos exercícios. Talvez, também, alguns dos funcionamentos internos de nossas células possam ficar mais lentos, reduzindo o gasto total de energia de nossos corpos.

Mas a nova ciência do exercício e da compensação de calorias não é totalmente desanimadora. Mesmo as pessoas cujos corpos compensam 50% ou mais das calorias que gastam durante a atividade física queimarão mais calorias por dia do que se permanecerem paradas, observou Halsey. Para perder peso, também teremos de comer menos.

“Meio biscoito ou meia lata de refrigerante” depois de meia hora de caminhada, e você terá ingerido mais calorias do que queimou, disse ele, por mais ou menos que você compense.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.