BUSCAR
BUSCAR
Pandemia
Entenda por que países estão retomando medidas anticovid
Infectologista alerta para a necessidade de manter os protocolos de higiene e segurança mesmo após a vacinação
R7
09/08/2021 | 13:14

Um ano e meio após o início da pandemia, o coronavírus ainda está longe de ser erradicado no mundo — e, apesar da ampla cobertura vacinal em muitos países, novas variantes vêm ganhando força. O R7 conversou com o infectologista Estêvão Urbano, diretor da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), para entender os erros dos países que retrocederam no combate à crise sanitária e o que pode ser feito para reverter a situação.

A Austrália, que no início da pandemia foi amplamente elogiada pela sua gestão no combate à crise sanitária, agora tem várias cidades em confinamento devido ao avanço da variante Delta. Segundo Urbano, o retrocesso se deve a uma combinação de dois fatores: “falsa sensação de segurança” e baixa cobertura vacinal.

“Pelo fato de a Austrália ter investido em medidas de isolamento social, foram registrados poucos casos e mortes por covid e as pessoas, então, acharam que estava tudo bem — que podiam tirar a máscara e provocar aglomerações. Agora, elas estão pagando o preço por isso. Um agravante é que a campanha de vacinação no país está lenta e o índice de imunizados ainda é baixo em comparação com diversos outros lugares”, afirma.

Nos Estados Unidos, por sua vez, a situação é justamente o oposto — o país é um dos que mais vacina no mundo e, até o momento, tem metade de sua população totalmente imunizada contra a covid-19. Por outro lado, os EUA registraram, na quinta-feira 5, o maior número de casos diários em seis meses — mais de 100 mil —, e espera-se que o número de contágios chegue a 200 mil por dia nas próximas semanas.

“Ao contrário da Austrália, os Estados Unidos têm a maior parte de seus cidadãos protegidos contra a covid, mas é importante lembrar que a vacina, por si só, não faz milagre. Não é prudente, portanto, permitir que as pessoas circulem nas ruas sem máscara e provoquem aglomerações, como foi feito nos EUA”, diz.

De acordo com o infectologista, o caso dos Estados Unidos é bastante semelhante ao de diversos países da Europa, como Reino Unido, Portugal e Espanha. Todos têm a maioria de sua população totalmente vacinada contra a covid-19, mas fizeram uma reabertura precoce dos estabelecimentos e agora estão vendo o número de casos subir.

“Me parece que vários países da Europa confiaram demais na vacina. Quando o Reino Unido tinha 60% de seus cidadãos vacinados com uma única dose, apesar da rápida disseminação da variante Delta, o governo já articulava um plano de desconfinamento, que teve sua última etapa no final de junho, com a reabertura de todos os estabelecimentos”, afirma

“Apesar de a vacina ser a principal ferramenta no combate à pandemia, vale ressaltar que ela não impede o contágio, tampouco a transmissão da covid. Sendo assim, mesmo aqueles que já completaram o esquema de vacinação devem continuar mantendo todos os protocolos de higiene e segurança”, completa

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.