BUSCAR
BUSCAR
Leilão 5G
Entenda o que é o 5G e como vai impactar a sua vida
O passo seguinte na evolução da tecnologia móvel promete baixa latência, um indicador que é mais relacionado à “qualidade” da conexão do que à velocidade
Redação
10/10/2021 | 09:52

A essa altura, muita gente já sabe que o Leilão 5G é um marco: a maior oferta de espectro da história das telecomunicações no Brasil. Mas qual será a transformação que essa tecnologia provocará, cotidianamente, daqui para frente? É importante saber que o novo padrão é até 100 vezes mais rápido que o atual (4G), mas o 5G standalone (SA, também chamado de “puro”) não é apenas mais veloz. Para entender o impacto, tenha em mente a palavra “latência”. A gente vai te explicar o que é isso.

“Se a gente fizer um paralelo com a chegada do 4G fica mais fácil de entender”, argumenta o ministro das Comunicações, Fábio Faria. “Quando o 4G chegou, uma série de aplicações muito comuns hoje em dia nasceram. Se agora contamos com aplicativos de entrega e de tráfego inteligente, com o streaming, com ferramentas de videochamada e conferência, é porque a tecnologia deu um salto em sua capacidade de transmissão de dados”, lembra. A quarta geração revolucionou a comunicação entre as pessoas e as aplicações móveis.

O passo seguinte na evolução da tecnologia móvel promete baixa latência — esse é mais um indicador de “qualidade” da conexão do que de velocidade. Em resumo, de uma máquina à outra, os dados tanto seguem quanto retornam com imensa velocidade, sem perda de informação. Essa qualidade dará uma profunda precisão para que, por exemplo, carros autônomos (sem motorista) possam trafegar se comunicando em tempo real com outros veículos, sem atraso na transmissão.

Ou seja, a latência é esse atraso no tempo de resposta de um aparelho, aplicativo ou site. Quando a resposta da rede é mais rápida, é possível fazer cirurgias a distância, operar diversas máquinas e veículos autônomos ao mesmo tempo, expandir aplicações em realidade aumentada, ou mesmo fazer equipamentos interagirem diretamente, gerando respostas independente da intervenção humana. Para isso, já existe um nome: “Internet das Coisas” (ou IoT, da sigla em inglês Internet of Things).

Deserto digital

O 5G será capaz de acionar, simultaneamente, aparelhos, máquinas, carros, sistemas, softwares e pessoas. A tecnologia vai transformar o campo, a indústria, as cidades e beneficiar cerca de 170 milhões de brasileiros. Mas o Leilão 5G também é direcionado à abolição do deserto digital, que envolve outros 40 milhões que vivem sem qualquer opção de acesso à internet. O Brasil deve alcançar cerca de R$ 50 bilhões em investimentos nos próximos 20 anos a partir do Leilão. A repercussão do processo nos mais diversos setores da economia é, entretanto, muito maior.

Serão novos modelos de negócios, novos empregos e uma experiência única para o usuário. Assistir um filme pela internet será tão simultâneo quanto assistir pela TV. As videochamadas, transmissões de jogos, filmes e lives não terão mais aquelas indesejadas interrupções, já que o tempo de transferência de dados será mínimo, entre 1 e 2 milissegundos (contra 32-52 milissegundos do 4G).

Toda essa eficiência não servirá apenas para entretenimento. Em outra realidade, o 5G vai ajudar a salvar vidas. Isso porque, com mais qualidade de som e imagem a telemedicina avança e os profissionais de saúde podem avaliar, com rapidez, um paciente em outra cidade e até fazer um diagnóstico ou uma videoconferência com outros médicos em uma emergência.

Agronegócio

Já no campo, a conexão 5G poderá ligar todo o processo da cadeia produtiva, desde monitoramentos da saúde do animal por meio de chips, da plantação e condições climáticas por meio de drones, da situação hídrica por meio de sensores, passando pela colheita com maquinários que utilizam inteligência artificial, até chegar à distribuição da produção utilizando mapas e sistema GPS.

Com o auxílio da tecnologia, o agronegócio vai aumentar a produtividade, eficiência e competitividade, o que significa também um aumento de empregos no campo. A expectativa é que a nova tecnologia ajude a elevar o Brasil ao papel de protagonista mundial na produção de alimentos, uma vez que o país já ocupa espaço de destaque na produção exportação de grãos, além de dispor de boas condições climáticas e de solo para o cultivo de outras culturas.

5G puro

A nova tecnologia ainda não está disponível no Brasil. Apesar de anúncios de marketing prometerem o “5G”, na verdade trata-se do “5G DSS”, que ainda utiliza estruturas do 4G e compartilha frequências com outras tecnologias (4G, 3G) para transmissão do sinal, perdendo, portanto, as características e potencialidades da 5ª geração de redes móveis.

O 5G SA só será disponibilizado no Brasil após o leilão, marcado para o dia 4 de novembro. Nele, as operadoras e empresas privadas interessadas em explorar o espectro de radiofrequência brasileiro, poderão concorrer em posição de igualdade. Serão leiloadas quatro frequências para a implantação do 5G: 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz. Os lotes serão divididos em nacionais e regionais. Por se tratar de um leilão não arrecadatório, as empresas vencedoras do certame terão que cumprir determinadas obrigações, que incluem investimentos em infraestrutura para ampliação da cobertura de sinal no país.

Só terão acesso à nova tecnologia os usuários de telefones celulares compatíveis com a 5ª geração. A expectativa é que a partir do leilão, haja uma oferta maior de modelos de telefones habilitados e comercializados para o 5G no mercado brasileiro.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.