BUSCAR
BUSCAR
Crime
Em entrevista a Pedro Bial, Flordelis diz que a filha Simone mandou matar o pastor Anderson
Programa foi ao ar nesta quinta-feira 25 na TV Globo. Deputada federal é acusada de ser a mandante do assassinato; 11 pessoas, a maioria da família do casal, respondem pelo crime
G1
26/03/2021 | 07:25

Em entrevista a Pedro Bial que foi ao ar nesta quinta-feira 25 na TV Globo, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) afirmou que a filha Simone foi a mandante da morte do pastor Anderson – assassinado a tiros em junho de 2019, na garagem da casa da família.

Segundo Flordelis, Simone estava doente e era assediada por Anderson:

“Além de estar com câncer, sofrendo com câncer, ela carregava isso sozinha, em silêncio, esses assédios, esses estupros. Ela carregava sozinha, Bial. Não estou defendendo ela, porque não concordo com o que ela fez. Eu discordo 100%. Ela não podia ter feito isso, não é matando que resolvemos os problemas”, disse.

A deputada é uma das 11 acusadas pelo crime – ela nega o envolvimento. Segundo o Ministério Público, ela foi a mandante do assassinato.

Simone é uma das filhas acusadas, ao lado de Flávio, Lucas, Marzy, Adriano, André e Carlos, além da neta Rayane. Todos foram presos, menos Flordelis, que tem imunidade parlamentar.

Flordelis está respondendo a processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, onde pode perder o mandato. Ao falar no colegiado no último dia 16, ela chorou e se disse inocente.

O repórter Felipe Freire, da TV Globo, apurou que os dois delegados que investigaram o caso na Delegacia de Homicídios de Niterói – Bárbara Lomba e Allan Duarte – foram chamados para ser ouvidos no Conselho da Câmara.

Segundo apuração da TV Globo, esta quinta-feira era o último dia para a defesa da parlamentar fazer as alegações finais.

Simone não confessou o crime em juízo, mas disse que sabia do plano e que não aguentava mais os assédios. E que só aturava as investidas porque Anderson pagava seu tratamento de câncer.

No entanto, o advogado Ângelo Máximo, que representa a família do pastor Anderson – atua como acusação – protocolou um documento que, segundo ele, desmente essa versão. A acusação alega que Flordelis pregou na igreja que o tratamento foi pago pelo plano de saúde após uma medida judicial.

Resumo do caso

  • A investigação concluiu que o pastor Anderson do Carmo foi morto por questões financeiras e poder na família – o pastor controlava todo o dinheiro do Ministério Flordelis, hoje rebatizado Comunidade Evangélica Cidade do Fogo.
  • Flordelis é uma das 11 pessoas denunciadas pelo MPRJ.
  • Após o crime, Flordelis chegou a relatar em depoimento e à imprensa que o pastor teria sido morto em um assalto.
  • A deputada responde por cinco crimes: homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso e tentativa de homicídio (pelo envenenamento).
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.