BUSCAR
BUSCAR
Fotos
Em busca de capturar sorrisos, abraços e euforia pela música eletrônica
Potiguar Júnior Lima fotografa em raves e festivais de trance desde 2017
Ana Lourdes Bal
21/05/2020 | 06:00

“O evento como um todo acaba sendo um prato cheio para o artista que tem a mente criativa pra ver além do que está ali exposto”, diz o potiguar Júnior Lima, fotógrafo de eventos, especificamente de raves e festivais de trance.

Em suas fotos, ele consegue capturar a essência e sentimento do ambiente.
Ele conta que tudo começou de forma totalmente despretensiosa, em 2017. Júnior nunca havia ido para um evento desses e, após um convite de um amigo, ele decidiu baixar sua guarda e ir.

No local, um dos seus amigos estava fazendo a cobertura fotográfica do evento e ele deixou sua câmera com Júnior por uns minutos. “Curioso como sou, liguei a câmera e fui desbravar aquele novo universo. Foi uma das melhores experiências que tive como fotógrafo até então”, conta ele.

Após a experiência, ele resolveu estudar mais sobre aquele segmento. “Pouco tempo depois fiz uns projetos com amigos, que me ajudou bastante e depois comecei a trabalhar solo, que foi o mais difícil, tentava fechar com as festas, mas dificilmente conseguia, mas não desisti, persisti e cada evento fechado era uma conquista que agarrava com unhas e dentes, com o tempo fui conquistando meu espaço de pouco a pouco na cena”, narra o fotógrafo.

Foto: Júnior Lima

Questionado se é diferente fotografar nesse segmento, ele conta que as raves e festivais de trance são mais que eventos e que eles fazem parte de uma cultura cheia de detalhes. Ele diz ter que utilizar a mente criativa para ver além do que está sendo exposto.

“Além de capturar as estruturas que o evento proporciona para o público, busco capturar e registrar os sorrisos e sentimentos do público e artistas, um abraço sincero, a euforia que a música causa nas pessoas, a paz de se sentir livre pra dançar e ser quem realmente são, são coisas que embelezam a alma e é isso que busco registrar e transmitir através das minhas lentes”, diz Júnior.

Com a pausa de eventos por conta da pandemia e sem previsão de retorno, as fotografias do segmento também pararam. O fotógrafo conta que, no início, foi desesperador ter todos os trabalhos cancelados ou adiados. “No momento, estou ‘parado’ cuidando da minha saúde e estudando muito, afinal, férias não é uma opção pra quem carrega um sonho de vida. Está sendo um momento para rever algumas coisas e buscar novas oportunidades”, encerra ele.

O trabalho de Júnior pode ser conferido no perfil do Instagram @jrlimafotografia ou no link https://www.behance.net/juniorlimafoto.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.