BUSCAR
BUSCAR
Coronavírus
Eficácia não é único dado para vacinação ser efetiva, explica infectologista
O médico Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, considerou o dado positivo, mas ressaltou que ele não é único fator a ser considerado sobre a efetividade da vacina
CNN
23/11/2020 | 14:32

A AstraZeneca anunciou, nesta segunda-feira 23, que o imunizante produzido pela farmacêutica tem eficácia média de 70% contra o novo coronavírus. O médico Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, considerou o dado positivo, mas ressaltou que ele não é único fator a ser considerado sobre a efetividade da vacina.

“Para um programa [de vacinação] ser efetivo, o dado de eficácia não é único a ser levado em consideração. Não adianta ter eficácia de 90% se não tenho quantidade suficiente ou se não tem logística para transporte. Todo esse conjunto de informações é muito importante”, disse.

“Às vezes, uma eficácia menor pode ser mais interessante em termos de rede pública. Se tivermos uma vacina que não necessite congelamento, seja mais barata, ou, que em vez de 30 milhões de doses tenhamos 100 milhões, a efetividade do programa acaba sendo maior”, completou.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.