BUSCAR
BUSCAR
Educação
Dicas para não zerar a redação do Enem
Para ajudar os aspirantes ao ensino superior, o Agora RN analisou o Manual de Leitura sobre o Enem do Ministério da Educação (MEC) a fim de apresentar as principais dicas para o texto
Redação
15/06/2020 | 05:00

A redação do Exame Nacional do Ensino Média (Enem) é o momento em que o candidato pode expressar seu pensamento acerca de uma determinada temática. Com o objetivo de alcançar nota máxima, alguns estudantes ignoram regras que podem apresentar o resultado oposto e zerar a prova.

Para ajudar os aspirantes ao ensino superior, o Agora RN analisou o Manual de Leitura sobre o Enem do Ministério da Educação (MEC) a fim de apresentar as principais dicas para o texto do inscrito no exame não ser enquadrado nas Formas Elementares de Anulação (FEA).

1 – Fuga ao tema

A “Fuga ao Tema” é a mais comum entre as situações que podem levar à nota zero e ocorre quando o participante produz texto que não se aproxima nem mesmo do assunto ligado à frase temática. A cada edição do Enem, os motivos que levam à “Fuga ao Tema” mudam, visto que a frase temática e os textos motivadores são diferentes a cada ano.

Afinal, o tema da redação do Enem deve está alinhado relacionado aos textos motivadores, e, por isso, é importante selecionar as informações e relacioná-las aos conceitos aprendidos na escola e fora dela. Organizar a produção textual desta forma ajuda a compreender a proposta da redação, que é uma das competências exigidas pelo Enem.

2 – Não atendimento à estrutura do texto dissertativo-argumentativo

O manual detalha que deverá ser avaliado como “Não Atendimento ao Tipo Textual” o texto que não apresentar predominância de características do tipo dissertativo-argumentativo. O tipo dissertativo-argumentativo é aquele em que as ideias são organizadas no sentido de persuadir o leitor, de convencê-lo. Os enunciados (argumentos) atribuem qualidades e informações em relação ao objeto ou fenômeno de que se fala para reforçar uma posição, um ponto de vista. Os argumentos podem ser exemplos, qualidades, depoimentos, citações, fatos, evidências, pequenas narrativas, dados estatísticos, entre outros recursos de convencimento.

As redações que se configuram como “Não Atendimento ao Tipo Textual” são escritas completa ou predominantemente no tipo textual narrativo ou com algumas características do tipo dissertativo-argumentativo, mas desenvolvidas completa ou predominantemente em outros tipos textuais.

3 – Redação em branco e texto insuficiente

Considerando que a redação visa avaliar o conhecimento linguístico do candidato, o texto em branco não permite a avaliação das competências necessárias e, por isso, a nota é zerada.

Já a situação “Texto Insuficiente” ocorre quando, na folha de redação, há apenas 7 linhas ou menos ocupadas, seja por texto escrito, por desenhos e/ou por rasuras. Assim como as redações em branco, esses textos também são separados do corpus de redações durante uma etapa anterior à correção efetiva e devem ser encaminhados para o sistema de ocorrências de imagem caso cheguem até o avaliador devido a alguma falha no processo.

5 – Textos que contenha impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação

Os casos nos quais o participante faz um desenho, com a presença ou não de texto, deverão ser avaliados como “FEA”, desde que a produção total apresentada (apenas desenho ou desenho + texto) ocupe um espaço maior que 7 linhas.

É considerado desenho qualquer composição representacional, bi ou tridimensional, de seres e objetos, quaisquer ícones que traduzam ou resumam emoções (emoticons/emojis) e sensações, além de gráficos, tabelas e esquemas.

6 – Parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto

Em 2012, um candidato resolveu descrever como preparar um miojo no meio da redação, que tinha como tema o movimento imigratório para o Brasil no século 21, e recebeu 560 pontos – a nota máxima é 1.000.

Para evitar este tipo de situação, o critério destacado visa evitar que candidatos escrevam textos que não tenham nenhuma conexão com o tema ou com a tipologia textual, como receitas e hinos de futebol.

7 – Cópia integral dos textos de apoio ou itens das provas objetivas

Os textos que, além da cópia, não apresentarem mais de 7 linhas de produção própria do participante devem ser anulados, desde que a produção total ocupe mais de 7 linhas da folha de redação. São consideradas linhas com cópia aquelas compostas, integral ou parcialmente, por trechos de cópia da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões.

8 – Assinatura, nome, apelido ou rubrica

Consta em edital a informação de que será realizada a anulação de textos devido à identificação, como assinatura, apelido, rubrica, iniciais, nome simples ou nome completo isolados do corpo do texto, rasurados ou não.
Já a identificação feita no corpo do texto, quando o participante, por exemplo, expressa sua opinião se identificando (“Eu, Fulano de Tal, acho que…”), será avaliada como “Parte Desconectada”

9 – Texto integralmente em língua estrangeira

O último caso de “FEA” corresponde às situações em que uma redação que ocupa um espaço de mais de 7 linhas (portanto, não foi avaliada como Texto Insuficiente) e é escrita completa ou predominantemente em outra língua que não a Língua Portuguesa, ou seja, descontadas as linhas em língua estrangeira, ela apresenta 7 linhas ou menos escritas em Língua Portuguesa.

É válido destacar que, nesses casos, independentemente do tipo textual ou do conteúdo que aborda, o texto é anulado como “FEA”, mesmo que que o texto aborde o tema proposto por não se tratar de texto escrito em Língua Portuguesa.

10 – Desrespeito aos direitos humanos

Até o Enem 2016, desrespeitar os direitos humanos, segundo os corretores, resultava em nota zero na redação. Em decisão polêmica, o Superior Tribunal Federal (STF) manteve liminar do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) que impedia a redação do Enem de ser zerada apenas por desrespeito aos direitos humanos.

No entanto, o participante pode perder pontos na competência 5: Elaboração de uma proposta de solução para os problemas abordados, respeitando os valores e considerando as diversidades socioculturais.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.