BUSCAR
BUSCAR
Críticas
Deputadas do RN acreditam que operação da PF é perseguição política
Deputadas questionam que operação da PF contra Fátima tenha ocorrido justamente no período em que Lula estava em Natal e criticam postura da CGU
Redação
26/08/2021 | 09:25

A deputada federal Natália Bonavides e a deputada estadual Isolda Dantas criticaram a forma como a Operação Lectus, que investiga supostas irregularidades na contratação de empresa para a implantação de leitos de UTI para pacientes com Covid-19 no Hospital Coronel Pedro Germano e no Hospital João Machado, deflagrada nesta terça-feira 25, foi conduzida e acreditam em perseguição política contra o governo do Estado.

“Com a CPI da Assembleia Legislativa do Estado patinando, tentam criar um novo factóide. A operação realizada na Sesap, justamente no dia de hoje, quando se reúne o Fórum de Governadores do Nordeste, com a presença do presidente Lula, não é uma coincidência e demonstra seu absoluto caráter de perseguição política”, afirmou Natália.

Isolda Dantas também criticou a “coincidência” de datas entre a operação e a série de visitas que o ex-presidente vem realizando aos estados nordestinos. “Logo hoje, com os governadores do Nordeste e Lula ainda em solo potiguar, a Polícia Federal de Bolsonaro deflagra uma operação conta o RN. Fizeram o mesmo no Ceará. Estão tentando incriminar um governo íntegro, que sempre lutou contra a pandemia. Não tememos investigação”, afirmou.

Natália também criticou o fato da Controladoria Geral da União (CGU) ter escolhido o último dia da visita do ex-presidente Lula ao Estado para realizar a operação. “A mesma CGU que assistiu calada ao governo Bolsonaro tentar firmar contrato de compra de vacinas que seria paga em paraíso fiscal e como fiadora uma empresa que tinha de sócio laranja a patrimônio fraudulento”, escreveu em uma rede social.

O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (MDB), também se pronunciou sobre a Operação Lectus. “Minha solidariedade ao secretário de saúde do estado, Cipriano Maia. Foi nosso secretário de saúde de Natal, conheço sua honestidade, honradez e espírito público”, frisou.

Conforme a CGU, os prejuízos causados aos cofres públicos podem chegar a R$ 4 milhões. Duas servidoras da Secretaria de Estado da Saúde (Sesap) foram afastadas do cargo e a governadora Fátima Bezerra (PT) afirmou que o Estado está colaborando com as investigações sobre as possíveis irregularidades.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.