BUSCAR
BUSCAR
Confusão
VÍDEO: Demitida após denúncia de mãe de autista nega discriminação
Problema entre atendente e mãe de criança autista foi registrado na Bahia
Redação
18/11/2023 | 18:12

A operadora de caixa da Riachuelo, acusada por uma cliente mãe de autista de ter o filho discriminado em uma loja do Boulevard Shopping, em Feira de Santana, Bahia, compartilhou um vídeo nas redes sociais, apresentando sua versão dos acontecimentos nesta sexta-feira 17.

O incidente ganhou destaque nas redes sociais por meio de um vídeo, onde a mãe da criança alega que a funcionária teria chamado o menino de “bomba”. Jairta Lima, que trabalhava há mais de um ano como operadora de caixa na Riachuelo, foi desligada após a repercussão.

Explicação do termo “bomba”

Jairta relatou que sua colega de trabalho, Tatiana, encaminhou a cliente preferencial para seu caixa, e ela seguiu com o atendimento.

“Eu atendi a mãe e a criança super bem. Em nenhum momento eu destratei ela. Quando ela saiu do meu caixa, eu virei pra Tati e falei: ‘Tati, não traga mais essas bombas'”, relata.

Depois disso, a ex-funcionária explicou que o termo “bomba” é utilizado para referir-se ao uso de “cartão terceiros”, quando o cliente não utiliza o cartão da loja.

“Todas as Riachuelos trabalham com meta. Se a gente passa um cartão Riachuelo, a gente fica dentro da meta. Se você passa um cartão terceiro, que não seja da loja, a sua ‘PA’ cai”, alega.

Jairta afirmou não ter conhecimento de que se tratava de uma criança com espectro autista, já que o cartão não lhe foi apresentado.

“Em nenhum momento eu me referi que a cliente era uma bomba ou que a criança dela era uma bomba, até porque eu não sabia que a criança dela tinha problema de autismo, porque ela não apresentou para mim o cartão, ela apresentou a Tatiana”, afirma.

A mulher ainda manda uma mensagem à cliente que lhe acusou:

“Eu venho por meio desse vídeo pedir a você, mãe, pra você pensar e ver a situação que você tá fazendo comigo. Você sabe que eu não falei nada com você e com seu filho, você sabe que eu te atendi muito bem no caixa”.

“Eu fui prejudicada, fui demitida injustamente. Tenho duas filhas, tô passando dificuldade, meu esposo desempregado e eu tô sendo acusada injustamente”, finaliza.

Nota da Riachuelo

“Nós da Riachuelo lamentamos o ocorrido em nossa loja em Feira de Santana e pedimos desculpas.

O comportamento da ex-colaboradora no atendimento não condiz com os valores defendidos e praticados por nós da Riachuelo.

A empresa hoje conta com ciclos obrigatórios e periódicos de treinamento ao atendimento ao cliente, sempre em evolução e atualização, reforçando acima de tudo que o respeito a todos é inegociável. A partir desse caso, e em busca de que situações como essa não voltem a ocorrer, já está em implantação uma nova rodada extraordinária de treinamentos e capacitação da nossa força de vendas.

Reforçamos nosso compromisso constante com o cuidado para que todos se sintam bem-vindos e acolhidos em nossos espaços.”

O que diz o shopping

“O Boulevard Shopping informa que acionou o lojista para providências e reafirma que este tipo de abordagem não condiz com as orientações de atendimento ao público e boas práticas adotadas pelo shopping”.

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.