BUSCAR
BUSCAR
Tragédia
Covid-19 já matou mais de 4 milhões de pessoas em todo o mundo
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, alertou que número real de mortos pela doença no mundo pode ser maior
R7
07/07/2021 | 17:04

A pandemia de Covid-19 matou oficialmente mais de quatro milhões de pessoas em todo o mundo, anunciou nesta quarta-feira 7 o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, acrescentando que o número real é “certamente” maior.

“Acabamos de ultrapassar a trágica marca de quatro milhões de mortes por covid-19, o que certamente é um valor subestimado do total real de vítimas”, disse Tedros em entrevista coletiva.

O diretor-geral da OMS destacou que “o mundo se encontra em um ponto perigoso desta pandemia”, que está retomando intensidade sob o impulso das novas variantes mais contagiosas, mas também pelo levantamento das restrições sanitárias.

O primeiro caso de covid-19 foi detectado na China em dezembro de 2019, antes que o coronavírus se espalhasse pelo mundo todo e tornar-se a pandemia mais grave dos últimos 100 anos.

Segundo um balanço elaborado pela AFP com base em fontes oficiais nesta quarta-feira às 07h00 (horário de Brasília), a pandemia provocou ao menos 3.996.519 mortes no mundo desde o final de dezembro de 2019.

Os Estados Unidos são o país mais afetado, com 605.905 mortes, seguido pelo Brasil (526.892), Índia (404.211), México (233.958) e Peru (193.588).

O Peru é o país com maior número de mortes em relação à população, seguido pela Hungria.

Esses dados, que se baseiam nos relatórios diários das autoridades de saúde nacionais, geralmente estão subestimados. A OMS estima que as mortes poderiam ser de duas a três vezes maiores.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.