BUSCAR
BUSCAR
Futebol
Corinthians rescinde contrato de Danilo Avelar após ato racista: “Filho de uma rapariga preta”
Atleta cometeu ato racista ao retrucar outro usuário de game. Ele pediu desculpas e disse estar envergonhado de sua atitude
R7
23/06/2021 | 19:25

O Corinthians confirmou, na noite desta quarta-feira 23, que vai encerrar o contrato com Danilo Avelar, válido até dezembro de 2022. O clube emitiu uma nota oficial às 18h32.

“O Sport Club Corinthians Paulista informa que está em contato com o atleta Danilo Avelar e seus representantes a fim de discutir e formalizar as medidas cabíveis para o encerramento do vínculo. O Corinthians reafirma que repudia toda e qualquer manifestação de conotação racista, coerentemente com sua história de defesa da igualdade e da democracia.”

A decisão foi tomada pelo departamento de futebol, após o jogador admitir ter feito um comentário racista em um jogo online, após repercussão nas redes sociais.

A fala do defensor se deu duante uma partida do jogo Counter-Strke: Global Offensive, ou só CS:GO. O jogador publicou um comentário no chat em que dizia a outro usuário: “Filho de uma rapariga preta”.

O caso logo repercutiu nas redes sociais e torcedores cobraram a desligamento de Danilo Avelar do Corinhthians. Antes de admitir a culpa, o jogador até se fez de desentendido ao responder um comentário no Instagram, dizendo que ainda ia ligar o computador para averiguar o que havia acontecido.

Na manhã desta quarta-feira (23), no entanto, Avelar admitiu que partiu dele mesmo a frase. O jogador pediu desculpas. “Errei, falhei e me envergonho muito disso. Na nossa sociedade temos que abolir qualquer forma de racismo”, disse o jogador.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.