BUSCAR
BUSCAR
Preocupação
Copa América no Brasil “beira a insanidade”, diz ex-diretor da Anvisa
Médico sanitarista Cláudio Maierovitch disse que "ninguém da área de saúde pública" defende a realização do torneio
Metrópoles
11/06/2021 | 14:45

O médico sanitarista Cláudio Maierovitch afirmou, nesta sexta-feira 11, que “beira a insanidade” a autorização do governo federal em permitir a realização da Copa América no Brasil. O ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) participa de audiência pública na CPI da Covid.

Maierovitch disse que “ninguém da área de saúde pública” defende a realização do torneio. “Ninguém em sã consciência se colocará a defender a realização de qualquer atividade que reúne gente em uma situação cataclísmica como a que a gente vive do ponto de vista da transmissão”.

Segundo o sanitarista, as antigas sedes, Colômbia e Argentina, adotaram o “bom senso” ao decidir pela saída da competição dos países. “Os outros dois países se negaram por razões diferentes e até por mais bom senso e não estão em situação pior que a nossa”.

“Beira a insanidade que um país que hoje ostenta o maior número de mortes diárias traga para si, eventos que reúne pessoas de origens diferentes e sabendo que não é possível conter completamente a transmissão. Me parece uma atitude insana”, prosseguiu.

Cláudio Maierovitch é médico sanitarista e ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre 2003 e 2008. O cientista também ocupou a direção da Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde de 2011 a 2016. Atualmente, ocupa a coordenação do Núcleo de Epidemiologia e Vigilância em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Brasília (DF).

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.