BUSCAR
BUSCAR
Eliminatória para Copa 2022
Contra Venezuela, Seleção busca seu melhor início nas Eliminatórias desde 1981
Brasil não começa torneio qualificatório com três vitórias há quase 40 anos
Folha de S.Paulo
13/11/2020 | 05:47

A partida contra a Venezuela, no Morumbi, oferece à seleção brasileira a oportunidade de registrar seu melhor início de campanha nas Eliminatórias em um longo período. A equipe não começa a disputa com três vitórias desde o torneio qualificatório para a Copa do Mundo de 1982.

O time pentacampeão abriu sua caminhada para o Mundial de 2022 com um triunfo sobre a Bolívia por 5 a 0, em São Paulo, e uma virada por 4 a 2 contra o Peru, em Lima. De volta à capital paulista, vai enfrentar os venezuelanos a partir das 21h30 desta sexta 13, em jogo com transmissão da Globo e do SporTV.

Líder após as duas primeiras rodadas, a formação verde-amarela pretende consolidar o bom princípio e evitar uma trajetória espinhosa rumo ao Qatar. A ideia é fugir dos sustos das Eliminatórias de 2018, afastados apenas quando Tite assumiu o lugar de Dunga no comando.

Pela primeira vez à frente da seleção desde o começo de um ciclo de Copa do Mundo, Tite vem convivendo com críticas após o fracasso na Rússia em 2018. Ele deu uma resposta conquistando a Copa América de 2019 e agora busca construir a equipe que voltará a brigar pelo hexa.

Neymar era a aposta como o nome capaz de desequilibrar, porém o treinador trabalha para que existam alternativas. A Copa América do ano passado foi levantada sem o craque, que, de novo machucado, acabou cortado da equipe na noite desta quinta (12) após realizar exame em São Paulo.

“Já jogamos sem o Neymar e fomos campeões. Claro que sentimos a ausência dele, porque é um jogador de extrema qualidade, o protagonista. Mas temos uma base e sabemos o que fazer, com ou sem ele”, afirmou o atacante Richarlison, que vem ganhando cada vez mais a confiança do chefe.

​​O plano diante da Venezuela é repetir a estratégia usada para atropelar a Bolívia, com uma formação agressiva desenhada para furar retrancas. A expectativa é que os visitantes adotem um comportamento defensivo no Morumbi, como fizeram para arrancar um empate por 0 a 0 com o Brasil na Copa América.

Não faltam ao adversário atletas acostumados a atuar em solo brasileiro. Estão no grupo convocado pelo português José Peseiro o meia Otero, do Corinthians, e os atacantes Savarino, do Atlético-MG, Soteldo, do Santos, e Hurtado, do Red Bull Bragantino. Savarino e Soteldo deverão ser titulares.

Do lado dos anfitriões, além de Neymar, estão fora o volante Casemiro, com Covid-19, e o meia Philippe Coutinho, machucado. Allan entrará na cabeça da área, Everton Ribeiro ficará com o posto na armação e Gabriel Jesus ganhará espaço no ataque.

Há ainda uma alteração não forçada. Com seus três goleiros à disposição, Tite observou Ederson em melhor momento em relação aos concorrentes Alisson e Weverton. O arqueiro do Manchester City será o responsável por defender a meta verde-amarela no Morumbi.

Os venezuelanos procuram mostrar confiança em uma zebra, mas ainda não conquistaram nenhum ponto, com derrotas para Colômbia e Paraguai. Os brasileiros carregam um claro favoritismo e tentam repetir o que conseguiu o time de Sócrates e Zico em 1981.

Nas Eliminatórias para o Mundial de 1982, os então tricampeões estrearam com vitória por 1 a 0 sobre a Venezuela, em Caracas, gol de Zico. Em La Paz, com bolas colocadas na rede por Sócrates e Reinaldo, fizeram 2 a 1 na Bolívia. Na sequência, voltaram a bater os bolivianos, no Rio de Janeiro, por 3 a 1, três gols de Zico.

O torneio qualificatório tinha um formato diferente, bem mais enxuto. Em um grupo de três equipes no qual o primeiro colocado assegurava presença na Copa da Espanha, os triunfos inaugurais foram suficientes para a classificação. No quarto e último jogo, a equipe goleou a Venezuela por 5 a 0, em Goiânia, gols de Tita (2), Sócrates, Zico e Júnior.

De lá para cá, jamais a campanha teve 100% de aproveitamento nas três partidas iniciais. A chance é boa para repetir essa marca antes do duro confronto com o Uruguai, na próxima terça 17, em Montevidéu.

Confira o início do Brasil nas Eliminatórias de 1982 para cá

1982 — três vitórias
Venezuela 0 x 1 Brasil (Zico)
Bolívia 1 x 2 Brasil (Sócrates e Reinaldo)
Brasil 3 x 1 Bolívia (Zico – 3)

1986 — duas vitórias e um empate
Bolívia 0 x 2 Brasil (Casagrande e Noro – contra)
Paraguai 0 x 2 Brasil (Casagrande e Zico)
Brasil 1 x 1 Paraguai (Sócrates)

1990 — duas vitórias e um empate
Venezuela 0 x 4 Brasil (Branco, Romário e Bebeto – 2)
Chile 1 x 1 Brasil (González – contra)
Brasil 6 x 0 Venezuela (Careca – 4, Silas e Acosta – contra)

1994 — uma vitória, um empate e uma derrota
Equador 0 x 0 Brasil
Bolívia 2 x 0 Brasil
Venezuela 1 x 5 Brasil (Raí, Bebeto – 2, Branco e Palhinha)

1998
Como defensor do título mundial, Brasil não disputou as Eliminatórias

2002 — duas vitórias e um empate
Colômbia 0 x 0 Brasil
Brasil 3 x 2 Equador (Rivaldo – 2 e Antônio Carlos)
Peru 0 x 1 Brasil (Antônio Carlos)

2006 — duas vitórias e um empate
Colômbia 1 x 2 Brasil (Ronaldo e Kaká)
Brasil 1 x 0 Equador (Ronaldinho)
Peru 1 x 1 Brasil (Rivaldo)

2010 — uma vitória e dois empates
Colômbia 0 x 0 Brasil
Brasil 5 x 0 Equador (Vagner Love, Ronaldinho, Kaká – 2 e Elano)
Peru 1 x 1 Brasil (Kaká)

2014
Como país-sede, Brasil não disputou as Eliminatórias

2018 — uma vitória, um empate e uma derrota
Chile 2 x 0 Brasil
Brasil 3 x 1 Venezuela (Willian – 2 e Ricardo Oliveira)
Argentina 1 x 1 Brasil (Lucas Lima)

2022 — duas vitórias
Brasil 5 x 0 Bolívia (Marquinhos, Firmino – 2, Carrasco – contra e Philippe Coutinho)
Peru 2 x 4 Brasil (Neymar – 3 e Richarlison)
Brasil x Venezuela (13/11/2020)

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.