BUSCAR
BUSCAR
Eleições 2020
Confira o perfil dos candidatos à Prefeitura do Natal
Natal terá recorde de candidaturas a prefeito este ano
Redação
14/11/2020 | 08:38

Afrânio Miranda

Afrânio Ferreira de Miranda Filho é o candidato do Podemos à prefeitura de Natal. Empresário, ele concorre a um cargo eletivo pela primeira vez. Até junho ele atuava como presidente Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do estado. O candidato de 60 anos é natural de Ceará-Mirim, dono da Miranda Computações e advogado especialista em Gestão Pública. 

Afrânio Miranda prometeu criar uma espécie de “Big Brother” no setor de licitações da Prefeitura, caso seja eleito. A proposta, de acordo com ele, é filmar, e disponibilizar as gravações à população, de todos os pregões da prefeitura, para garantir mais transparência nas compras públicas.

O candidato anunciou, ainda, que vai determinar a realização de uma licitação para o sistema público de transporte e disse que vai exigir que a empresa vencedora coloque para rodar uma quantidade de ônibus que permita que todos os usuários andem sentados.

Álvaro Dias 

Álvaro Costa Dias nasceu em Caicó e tem 61 anos. O atual prefeito de Natal é casado, médico e filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Foi eleito vice-prefeito da capital potiguar nas eleições de 2016 na chapa liderada por Carlos Eduardo Alves (PDT), mas assumiu o cargo de prefeito em 6 de abril de 2018, por ocasião da renúncia do titular. Além disso, foi vice-prefeito de Caicó, deputado estadual por cinco legislaturas e deputado federal pelo estado do Rio Grande do Norte.

Sobre corte de gastos, o prefeito de Natal disse que, apesar de esta proposta não constar em seu programa de governo, vai promover uma redução no número de secretarias municipais caso seja reeleito. O chefe do Executivo natalense disse ainda que vai priorizar, caso seja reeleito, a realização da licitação do transporte público da cidade. Há dois anos e meio no cargo, Álvaro culpou a pandemia do novo coronavírus pelo fato de o processo de licitação dos ônibus estar parado na Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

Carlos Alberto

Carlos Alberto tem 52 anos, é casado, pai de três filhos e natural de São Paulo/SP. É doutor em Administração e trabalha como professor da UFRN há 23 anos. Já atuou como subsecretário estadual de Turismo. Em 2012, foi candidato a vice-prefeito de Natal e, em 2018, concorreu ao governo do estado. Atualmente, ocupa o cargo de presidente municipal do Partido Verde.

O candidato do PV defende que a gestão municipal deixe de abastecer o fundo previdenciário dos servidores públicos. Segundo ele, a atual condição financeira da prefeitura não permite que uma “poupança” seja mantida enquanto há déficit de vagas no ensino infantil. Ele disse que, se for eleito, vai propor a utilização dos recursos para investir na educação.

Carlos Alberto defendeu, ainda, acabar com contratos com empresas terceirizadas. De acordo com ele, caso servidores que prestam serviços à prefeitura através das empresas fossem absorvidos pela gestão municipal, a arrecadação da previdência também melhoraria – apesar de que os gastos também seriam elevados.

Coronel Azevedo

Coronel Azevedo tem 54 anos, é casado, pai de duas filhas e mestre na área de administração pública pela Universidade Complutense de Madrid. Em 1998, ingressou na Polícia Militar do RN. Também, integrou o Gabinete Militar do Governo do Estado por 10 anos e comandou o Bope do Rio Grande do Norte. Em 2018, foi eleito para o cargo de deputado estadual no estado do Rio Grande do Norte, pelo Partido Social Liberal com 27.606 votos. Desde então, ele, natural de Recife, é filiado ao Partido Social Cristão, pelo qual concorre a prefeitura. 

O candidato afirmou que pretende criar, caso seja eleito, um programa municipal para conceder auxílio social permanente a pessoas em situação de vulnerabilidade. O benefício, inspirado no auxílio emergencial pago pelo Governo Federal durante a pandemia do novo coronavírus, seria bancado exclusivamente com recursos da Prefeitura do Natal.

No ensino infantil, Coronel Azevedo lamentou o fato de que, hoje, não há vagas suficientes em creches da rede pública em Natal. Para solucionar o problema, ele afirmou que vai propor propõe a criação de um “vale-creche”, ou seja, a distribuição de vouchers para que mães matriculem seus filhos em creches particulares, sendo tudo bancado pela prefeitura.

Coronel Hélio 

Coronel Hélio Oliveira tem 56 anos, é casado, pai e empresário. Ele, natural do Rio de Janeiro/RJ, também é Aviador da reserva da Aeronáutica, graduado em Ciências Aeronáutica e atual Diretor de Relações Institucionais da Associação dos Polos Industriais do Rio Grande do Norte (ASPIRN). Disputa a prefeitura pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro – sigla que é presidente estadual.

No ensino, o lamentou que, atualmente, a rede municipal não ofereça vagas suficientes em creches. Ele afirmou que, se for eleito, vai acabar com o problema distribuindo vouchers, que poderão ser usados pelas mães em creches particulares da cidade. 

Coronel Hélio disse também que vai redefinir o papel da Guarda Municipal, atribuindo a corporação novas atribuições. Ele disse que, em seu eventual governo, os guardas vão, além de proteger o patrimônio público (função atual), atuar na orla e em praças da cidade.

Delegado Leocádio

Delegado da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Delegado Leocádio (PSL) tem 59 anos, é casado, natural de Recife e vai disputar a prefeitura de Natal pela primeira vez. Antes, ele foi secretário de segurança pública e defesa social na gestão Micarla de Sousa. Em 2018, foi candidato pelo Partido Social Cristão (PSC) a vice-governador na chapa com Brenno Queiroga (Solidariedade), que terminou em quarto lugar. Já em 2016, foi candidato a vereador de Natal pelo PMB. 

O candidato disse que a principal meta de sua gestão será acabar com a corrupção. De acordo com ele, com menos desvios de recursos públicos, será possível obter mais dinheiro para realizar investimentos em diversas áreas da cidade, especialmente nos serviços básicos.

Na área da saúde, o candidato defendeu a modernização do atendimento através do uso da tecnologia. Ele disse que sua gestão vai focar na implantação de mecanismos com o prontuário eletrônico e a telemedicina. Além disso, ele falou que hoje a prefeitura gasta mal na saúde e que as unidades básicas de saúde estão mal distribuídas. Ele também afirmou que planeja amplias as equipes hoje existentes – que são cerca de 130, quando as entidades médicas afirmam que o ideal seria pelo menos 200.

Fernando Freitas

O candidato do PCdoB tem 56 anos, é casado e natalense. Concorrendo pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), esta é a primeira que Fernando Freitas participa de uma disputa eleitoral. Ele é engenheiro formado pela UFRN, pós-graduado em gestão pública e já atuou como subsecretário de habitação e subsecretário de infraestrutura do governo do estado. 

O candidato afirmou que, se for eleito, vai exigir das empresas de ônibus da cidade que todos os veículos tenham ar condicionado e internet gratuita para os usuários. Além disso, ele defende que toda a frota de ônibus seja renovada a cada quatro anos e que, inicialmente, pelo menos 25% dos carros tenham motor elétrico, para reduzir a emissão de gás carbônico para a atmosfera. 

Fernando Freitas disse que vai sugerir também a adoção de um IPTU progressivo. Ou seja, quanto maior o tamanho do imóvel, maior a taxa paga pelos proprietários. Na avaliação dele, isso não geraria inadimplência, apesar de o valor do IPTU já ter subido, nos últimos dois anos, acima da média de anos anteriores. Ele chamou a medida de “justiça fiscal”.

Hermano Morais

Hermano Morais é um bancário e político brasileiro filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). Em 2010, foi eleito deputado estadual, com 35.294 votos. Em 2012, Hermano, natural de Natal, foi candidato a prefeito de Natal pelo PMDB, chegando ao segundo turno com 153.522 votos (41,69%), mas foi derrotado. Em 2018, foi reeleito para a Assembleia Legislativa. Hoje, aos 58 anos, disputa pela segunda vez a gestão da capital.

O candidato disse que vai implantar, caso seja eleito, um programa para garantir renda mínima a moradores da capital potiguar que estejam em situação de vulnerabilidade social.

Para possibilitar o pagamento do programa de renda mínima, Hermano propõe diminuição de despesas que ele considera supérfluas da prefeitura. Segundo ele, em sua gestão, não haverá “desperdício” nem “malversação” de dinheiro público. “Vamos fazer uma gestão austera”, disse ele.

Jaidy Oliver

Jaidy Oliver tem 65 anos, é solteira e mossoroense. Funcionária pública da área da saúde, a pastora nunca disputou nenhum cargo eletivo e concorre pela primeira vez à Prefeitura do Natal.

A candidata afirmou que, se for eleita, vai construir na capital potiguar, nos seis primeiros meses de gestão, uma creche com funcionamento 24 horas por dia. De acordo com ela, a implantação da unidade seria um projeto-piloto, dentro de um planejamento maior para ampliar a oferta de vagas na educação infantil de Natal.

Jaidy promete, também, fazer uma vistoria completa nas unidades de saúde. Ela afirmou que, atualmente, há desperdício de recursos públicos, pois, apesar de a prefeitura investir mais do que a Constituição exige, faltam insumos em postos e hospitais. Ela falou que, como prefeita, terá o controle sobre a forma como a verba da saúde está sendo empregada.

Kelps Lima

Kelps Lima tem 48 anos, é casado, natalense, advogado e político brasileiro. É formado em Direito, tem Pós-Graduação em Gestão Pública e Mestre em Políticas Públicas pela UFRN. Atualmente está ocupando cargo de deputado estadual pelo terceiro mandato na Assembleia Legislativa do RN. É candidato a prefeito de Natal pelo Solidariedade – partido que ele fundo no estado em 2013.

O candidato afirma que, se for eleito, vai congelar o valor do IPTU por quatro anos, aplicando apenas a reposição da inflação. Ele critica os últimos aumentos do imposto e diz que a verba extra proveniente dos reajustes serviu para pagar cachê de artistas contratados para tocar em eventos promovidos pela prefeitura.

Na área da educação, Kelps se compromete a universalizar o acesso a creche, sugerindo até pagar a matrícula em unidades particulares de educação infantil. No ensino fundamental, ele defende mais investimentos para reverter indicadores que mostram Natal nas últimas posições do ensino no País, entre as capitais. E acusa os gestores de deliberadamente boicotarem a educação.

Nevinha Valentim

Nevinha Valentim é natural de Parelhas, historiadora e bancária aposentada. Aos 61 anos, ela é um dos quatro nomes da primeira candidatura coletiva à prefeitura da cidade.  Daniel Morais, administrador hoteleiro e estudante de Direito na UERN; Liliana Linck, graduada em Filosofia e Letras Português pela UFRN e mestre em Filosofia pela UFPB; e Sol Victor, formada em Ciências Sociais e mestranda em Ciências Políticas pela UFRN, compõe a chapa do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

A candidata pregou uma administração horizontal, que só tome decisões importantes após ouvir conselhos e demais instâncias sociais que podem auxiliar a prefeitura. No transporte, a representante da Coletiva do Sol destacou que é preciso “pensar fora da caixa”. Ela cobrou a finalização do Plano Mobilidade Urbana. Com o instrumento, segundo ela, o Município pode reivindicar junto ao Governo Federal recursos para ampliar os investimentos na área.

Rosália Fernandes 

Rosália Fernandes tem 53 anos Rosália Fernandes tem 53 anos, é natural de Marcelino Vieira, foi criada em Mossoró e mora em Natal desde 1998. Entrou no serviço público como auxiliar de enfermagem e, atualmente, é assistente social no Hospital Walfredo Gurgel. Rosália já foi candidata a deputada estadual e disputa a Prefeitura do Natal pelo Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) – pela segunda vez.

A candidata prometeu ainda que, se eleita, vai elevar o investimento da prefeitura em transporte público para cerca de 10% da receita corrente líquida. Além disso, Rosália disse que vai cobrar o pagamento da dívida que as empresas de transporte têm com a prefeitura.

Rosália Fernandes propõe aumentar o investimento da prefeitura na saúde. Ela defende que a gestão municipal aplique pelo menos 25% da receita corrente líquida no setor – o que proporcionaria a contratação de médicos, dentistas, enfermeiros, nutricionistas e assistentes sociais, para compor as equipes de saúde da família que hoje estão incompletas.

Senador Jean

Jean Paul Prates tem 52 anos, é solteiro, natural do Rio de Janeiro/RN e assumiu a cadeira no Senado em 2019, com a eleição de Fátima Bezerra para o governo do Rio Grande do Norte. Ele é advogado, economista, foi secretário estadual de Energia e tem atuação na área de energia eólica.

O candidato defende a proposta do “Passe Livre”, que prevê a adoção, na capital potiguar, de um sistema de ônibus gratuito para a população. Ele tem defendido a ideia na propaganda eleitoral desde o começo da campanha.

Na área da saúde, Jean propõe a criação do “Mais Médicos Natal”. O programa – inspirado no Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff – prevê o estabelecimento de uma parceria entre a prefeitura e universidades públicas para a lotação de médicos recém-formados em postos de saúde.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.