BUSCAR
BUSCAR
Língua Portuguesa
Confira a coluna “Desenrolando a Língua” de terça-feira 26

26/01/2021 | 08:05

MAIS/MAIOR
Uma dúvida que surge na hora de redigir informativos é “para mais informações” ou “para maiores informações”. As expressões tornam-se parecidas, mas há uma pequena diferença. Usa-se “mais” antes de substantivo para indicar quantidade: A loja irá contratar mais funcionários; O governo prometeu mais empregos à população. Já “maior” é usado antes de substantivo para expressar intensificação, aumento: O programa teve maior audiência hoje; Foi concedido maior prazo ao Estado para o pagamento dos atrasados. Quanto a dúvida inicial, como se vê, é melhor usar “para mais informações”.

MAIS BEM/MAIS MAL
De forma prática, desfaz-se essa dúvida. Atente para o fato de haver um particípio (forma nominal do verbo equivalente a um adjetivo) na frase. Então, antes de particípio, usam-se “mais bem” e “mais mal”, e não “melhor” ou “pior”: Essa reunião foi a mais bem organizada (e não a melhor organizada); Tal artigo foi o mais bem escrito (e não o melhor escrito); Aquele era o mais bem informado (e não o melhor informado) secretário; Considero este relatório o mais mal redigido (e não o pior redigido). Nas demais situações, empregam-se “m elhor” e “pior”: Para melhor alcançar os objetivos, é necessário bom senso.

MAIS BOM/MAIS MAU/MAIS GRANDE/MAIS PEQUENO
Atenção, atenção. Embora os comparativos analíticos de superioridade “mais bom”, “mais mau”, “mais grande” e “mais pequeno” tenham sido substituídos na língua portuguesa pelas formas sintéticas “melhor”, “pior”, “maior” e “menor” respectivamente, deve-se usar, nos casos de comparação entre duas qualidades de um mesmo ser, a forma analítica: A sala é mais grande do que confortável; O prato é mais grande do que gostoso; Ele é mais mau do que ignorante; O corredor é mais pequeno do que estreito.

NO ANO PASSADO/ANO PASSADO
Quando a palavra “ano” e outras que indicam fração de tempo aparecem sem atributo especial, podem vir desacompanhadas da preposição “em”, bem como do artigo: Ano passado, não publicamos muitos artigos; Ano inteiro, não descansamos um só dia; Mês que vem, viajaremos; Esta semana, a escola desenvolverá atividades cívicas. Quando acompanhadas de um adjunto que as especifique (ano escolar, ano eleitoral, mês de férias, semana de recesso, semana da Pátria, Dia Internacional da Mulher), usa-se a preposição: No ano eleitoral, não descansamos; Viajaremos no mês de férias; Na semana da Pá tria, a escola desenvolverá atividades cívicas.

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.