BUSCAR
BUSCAR
Economia

Com tecnologia inédita no Brasil, Petrobras inicia medições de energia eólica no litoral do RN

O projeto é fruto da parceria com os Institutos Senai de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) e Sistemas Embarcados (ISI-SE)
Redação
22/10/2023 | 10:20

A Petrobras iniciou, nesta semana, uma sequência de medições de energia eólica no litoral do RN com a versão 2.0 do equipamento Boia Remota de Avaliação de Ventos Offshore (Bravo), um aprimoramento da tecnologia inédita no Brasil desenvolvido pelo Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Cenpes) da Petrobras.

O projeto é fruto da parceria com os Institutos Senai de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) e Sistemas Embarcados (ISI-SE). O total investido na tecnologia chega a R$11,3 milhões por meio do incentivo em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Petrobras investe em energia eólica no litoral do RN. Foto: Divulgação/Petrobras
Petrobras investe em energia eólica no litoral do RN. Foto: Divulgação/Petrobras

“O nível de maturidade tecnológica do equipamento avançou e trouxe boas soluções para as limitações encontradas na primeira fase de testes. Esperamos uma Bravo 2.0 robusta e capaz de atender às necessidades da Petrobras em relação à medição do potencial eólico offshore no Brasil, sendo uma alavanca importante para avançarmos nessa nova fonte de energia”, afirma o diretor de Engenharia, Tecnologia e Inovação da Petrobras, Carlos Travassos.

Ele destaca que o investimento faz parte da estratégia da Petrobras de liderar o processo de transição energética no país.

“Um novo projeto de P&D tem sido discutido com foco na instalação de novas Bravos em pontos estratégicos da costa brasileira, de modo aumentar a amostragem de dados e tornar o levantamento do potencial eólico ainda mais confiável”, relata.

A Bravo é um modelo flutuante de Lidar (Light Detection and Ranging), desenvolvido pela primeira vez com tecnologia nacional. O equipamento é um sensor óptico que utiliza feixes de laser para medir a velocidade e direção do vento, gerando dados compatíveis ao ambiente de operação das turbinas eólicas.

Ele também é capaz de captar variáveis meteorológicas, como pressão atmosférica, temperatura do ar e umidade relativa, além de variáveis oceanográficas, a exemplo de ondas e correntes marítimas.

Segundo o diretor de Transição Energética e Sustentabilidade da Petrobras, Maurício Tolmasquim ,“quando estiver em estágio comercial, a Bravo contribuirá para o aumento da oferta dos serviços e a redução do custo de implantação dos projetos de eólica offshore no país. Por ser flutuante, o equipamento é de fácil transporte e instalação ao longo da costa brasileira”, avalia.

Bravo 2.0

Na nova versão do equipamento, um algoritmo desenvolvido especialmente para o projeto permite corrigir as informações coletadas em função das variações de posição provocadas pelas ondulações do mar e correntes marinhas.

A Bravo 2.0 também foi ampliada para abrigar dois sensores Lidar em vez de um. Isso aumenta a coleta dos dados que são transmitidos para um servidor em nuvem, por meio de comunicação via satélite, para serem posteriormente analisados.

O equipamento pesa 7 toneladas, tem 4 m de diâmetro, 4 m de altura e é alimentado por módulos de energia solar. Será lançado a 20 km da costa do Rio Grande do Norte, com apoio da Marinha do Brasil e do consórcio Intersal, que opera o Terminal Salineiro de Areia Branca. A campanha de testes e medições vai até março de 2024.

As informações coletadas pela boia serão comparadas com dados de referência obtidos por um Lidar fixo, instalado no mesmo terminal, para validar a funcionalidade e confiabilidade das medições do equipamento.

Caso Siafi: Governo estima desvios de R$ 3,5 milhões e 200 tentativas de pagamentos ilegais
No governo, a desconfiança é que a invasão tenha sido feita por uma técnica chamada "phishing"
23/04/2024 às 17:53
Vídeo: Cachorro é entregue morto a tutor após falha de companhia aérea
A GOL Linhas Aéreas admitiu que o desvio da rota do cachorro Joca para Fortaleza foi o resultado de uma falha operacional
23/04/2024 às 16:14
UFRN prevê retomada de obras da antiga Faculdade de Direito ainda este semestre
Reforma e restauração do prédio da antiga Faculdade de Direito foi paralisada para cumprimento de novos projetos solicitados pelo Iphan
23/04/2024 às 13:20
Força Nacional reforçará segurança do concurso unificado em 9 cidades
Com 2,1 milhões de inscritos, certame selecionará 6,6 mil servidores
22/04/2024 às 21:34
Pedidos de isenção da taxa do Enem podem ser feitos até sexta-feira
Solicitações devem ser feitas pela Página do Participante
22/04/2024 às 17:40
Justiça Federal do RN debate demandas sobre cotas para pardos em concursos públicos
Debate vem do aumento da demanda, na Justiça Federal do RN, sobre os questões envolvendo a designação de "pardos" em concursos públicos.
22/04/2024 às 14:44
Bairro Nordeste recebe serviço gratuito de mamografia oferecido pela SMS Natal
De 22 a 26 de abril, os serviços de mamografia estão sendo ofertados na Unidade de Saúde Bairro Nordeste
22/04/2024 às 10:01
IBGE: 1% mais rico ganha 39,2 vezes mais do que 40% mais pobres
Os dados a respeito da renda da população residente no Brasil constam na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE
19/04/2024 às 21:57
Pesquisa de residente do Huol-UFRN conquista 3º lugar no prêmio nacional União Química
O estudo na área da Anestesiologia trouxe evidências sobre a utilização eficaz da metadona no controle da dor em cirurgia bariátrica
19/04/2024 às 15:56
DPU cria grupo de assistência a indígenas, negros e quilombolas em processos judiciais
Medida cumpre a missão da defensoria de prestar atendimento jurídico integral e gratuito às populações vulneráveis
19/04/2024 às 14:14
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.