BUSCAR
BUSCAR
Impasse
Com parada das Eliminatórias, Globo ganha tempo para negociar transmissão dos jogos do Brasil fora
O fato de a seleção voltar a jogar pelas Eliminatórias apenas no dia 25 de março - contra a Colômbia - deverá ser fundamental para definir a situação sobre os direitos de transmissão dos jogos em que o time de Tite atua como visitante
Estadão
18/11/2020 | 13:44

A vitória do Brasil sobre o Uruguai por 2 a 0 na terça-feira não foi vista pela maior parte dos brasileiros. O jogo passou apenas no EI Plus, canal de streaming, e no pay-per-view da BandSports. Ambos custavam R$ 19,90. Mas as partidas da seleção sem transmissão na TV aberta podem acabar em breve. Pelo menos, é a aposta de representantes das empresas envolvidas nas transmissões dos jogos. O Globo mostra as partidas do Brasil dentro do País.

O fato de a seleção voltar a jogar pelas Eliminatórias apenas no dia 25 de março – contra a Colômbia – deverá ser fundamental para definir a situação sobre os direitos de transmissão dos jogos em que o time de Tite atua como visitante. Haverá maior tempo para negociar e tentar entrar em acordo. Além da Globo, que sempre teve a seleção na sua programação, SBT, Band e Record também estão na mesa.

Atualmente, a Globo tem exclusividade nas partidas em que o Brasil é mandante e quando o jogo é fora, sempre acontecem várias negociações e polêmicas. No jogo com o Peru, EI Plus e TV Brasil passaram o jogo; contra o Uruguai, EI Plus e pay-per-view do Band Sports ficaram com as imagens.

Entenda o caso

A Rede Globo surge como principal candidata a assinar com a Mediapro, empresa que negocia em nome das principais federações. O problema é que a emissora só quer os jogos do Brasil como visitante, enquanto a empresa tenta fechar o pacote completo, com todos as partidas das Eliminatórias.

O pacote completo custa algo em torno de R$ 100 milhões, valor considerado muito alto pela Globo. Por isso, a emissora carioca prefere fechar apenas os jogos do Brasil, já que partidas envolvendo outras seleções não dão um retorno tão bom de audiência e de patrocinadores. Band e SBT chegaram a mostrar interesse nas partidas do Brasil, mas também desistiram em razão dos valores.

O jogo avulso também está longe de ser dos mais baratos. Tanto o jogo com o Uruguai como com o Peru, na segunda rodada, a Mediapro pediu R$ 5 milhões e o preço inicial era de R$ 8 milhões o duelo com os peruanos e de R$ 10 milhões contra os uruguaios. A ideia da empresa espanhola é cobrar um valor muito elevado dos jogos avulsos, justamente para incentivar que as emissoras fechem o pacote completo, que sairia mais em conta.

Como o Brasil volta a jogar pelas Eliminatórias só em março e fora de casa, contra a Colômbia, os quase quatro meses de intervalo entre um jogo e outro pode ser fundamental para um entendimento. A Globo até aceita assinar o pacote completo, desde que os valores sejam reduzidos.

A Mediapro mostra preocupação com a falta de visibilidade de seus parceiros comerciais, com o fato do jogo não passar na TV aberta e, financeiramente, o acordo para as partida serem no streaming e no pay-per-view foram com valores muito abaixo do que a empresa esperava.

Colômbia x Brasil vai ter transmissão?

Por enquanto, não. O EI Plus acertou a transmissão das quatro primeiras rodadas das Eliminatórias apenas. E o BandSports somente o jogo do Brasil contra o Uruguai. A Globo tem direito a transmitir todos os jogos de Brasil e Argentina como mandantes.

Quanto o EI Plus (Turner) pagou para passar Uruguai x Brasil?
O acordo selado com a Mediapro previa que a Turner não precisaria pagar para ter o sinal dos jogos, mas uma parte do valor arrecadado com as assinaturas iria para a empresa espanhola.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.