BUSCAR
BUSCAR
Risco
Colapso em Maceió: ministro de Minas e Energia diz que não há mais pessoas na área afetada por mina
Alexandre Silveira, ministro de Minas e Enegias, defende o fortalecimento da Agência Nacional de Mineração
Redação
03/12/2023 | 08:33

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, declarou neste domingo 3 que não há mais residentes na região de Maceió que corra o risco de desabar devido à falta de sustentação em uma mina de sal-gema operada pela Braskem.

“Recebi a notícia de que não existe mais nenhuma família naquela área, pelo menos foi registrado no meu telefone, pelo secretário que está lá. E que a vida humana está preservada, que era o nosso grande intuito no primeiro momento”, afirmou em entrevista a jornalistas em Dubai, onde participa da COP28.

O governo brasileiro oficializou, na última sexta-feira (1º), o estado de emergência na capital alagoana. O Ministério de Minas e Energia estabeleceu uma sala de situação para coordenar as ações em Maceió.

Representantes da Secretaria Nacional de Geologia, Mineração e Transformação Mineral da pasta e do Serviço Geológico Brasileiro (SGB) foram enviados à cidade para se juntar às equipes locais de fiscalização.

“A partir de agora é evidente: haverá as apurações necessárias, as ações estão correndo já pelas notícias que nós temos há muitos anos, e cabe aos fóruns adequados decidir sobre a responsabilização ou não daqueles que ali fizeram qualquer tipo de exploração”, disse o ministro.

Agência Nacional de Mineração (ANM)

Alexandre Silveira também defendeu o fortalecimento da Agência Nacional de Mineração (ANM), classificando-a como “uma das agências mais fragilizadas do Brasil”. Segundo o ministro, a estrutura da ANM tem sido limitada desde sua criação.

“Começamos esse fortalecimento a passos, na minha opinião, ainda lentos esse ano, porque foi o possível fazer do ponto de vista orçamentário. Mas é um grande desafio nosso chegar ao final do nosso governo e deixar a ANM muito fortalecida, para que ela possa nos ajudar a implementar políticas do ponto de vista da formulação e do ponto de vista da fiscalização, para evitar acidentes, sejam eles quais forem, da exploração mineral do Brasil”, afirmou.

Com informações da CNN Brasil

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.