BUSCAR
BUSCAR
Série
Com estreia em 2021, ‘Cidade Invisível’ une folclore nacional e suspense, com Marco Pigossi
Protagonista se chama Eric e é um fiscal ambiental no Rio de Janeiro. Interpretado por Marco Pigossi, a produção de sete episódios abre com a saudosa festa junina, mais um elemento da nossa cultura popular
Estadão
17/12/2020 | 22:00

Um menino negro com uma bandana vermelha na cabeça corre pela cozinha de uma casa dando nó em pano de prato e azedando o leite. Ao tropeçar e cair no chão, uma surpresa: ele usa uma prótese em uma das pernas. Não é necessário perguntar para o brasileiro comum qual o nome do sujeito, mas será que o mundo conhece o nosso Saci-pererê?

Essa foi uma das indagações do diretor e animador Carlos Saldanha, criador da série Cidade Invisível, que estreia no dia 5 de fevereiro na Netflix. Conhecido pelo sucessos das animações A Era do Gelo, Rio, Robôs e O Touro Ferdinando, Saldanha tem quase três décadas de carreira no cinema infantil e agora assina seu primeiro live-action. “O desejo sempre foi de criar histórias, mas também de assumir desafios, mudar o tom, buscar outras inspirações”, conta. “Há algum tempo eu queria algo cheio de brasilidade, com uma equipe brasileira, mas que fosse algo para o mundo todo assistir.”

No streaming mundial, séries como American Gods (Amazon Prime) ou mesmo Ragnarok (Netflix) se apoiam no imaginário folclórico de outros lugares do mundo e atualizam os mitos para uma leitura mais contemporânea, como Isaac, o Saci, de Cidade Invisível. “Seria muito óbvio colocar um gorro vermelho no personagem”, aponta Saldanha. “Nosso trabalho foi trazer elementos retrô, mas também atualizar as personagens. A cultura popular brasileira tem muito disso, uma mistura europeia, indígena e africana.”

Na trama, o protagonista se chama Eric e é um fiscal ambiental no Rio de Janeiro. Interpretado por Marco Pigossi, a produção de sete episódios abre com a saudosa festa junina, mais um elemento da nossa cultura popular. Durante a comemoração, a esposa de Eric desaparece e é encontrada morta na região. “Ele já começa tendo que lidar com o luto e as dificuldades de um pai solteiro”, conta o ator ao Estadão.

Enquanto tenta recolher os cacos, um caso curioso transporta o personagem para um novo – e invisível – mundo. “Ele encontra um boto-cor-de-rosa morto na areia da praia e a vida de Eric ganha outro rumo.”

Carreira internacional. Desde que se tornou conhecido na novelas brasileiras, Pigossi queria alçar voos maiores. Sua saída da Rede Globo e a estreia em Tidelands (2018), da Netflix, marcam a inquietação do ator. “Queria ter mais independência na carreira, além de buscar novos horizontes. Estrear uma série gravada na Austrália, por exemplo, falando outra língua é um intercâmbio cultural importante para mim”, lembra o ator que também está no elenco da terceira temporada de Alta Mar, produção espanhola da Netflix.

No papel do fiscal Eric, em Cidade Invisível, Pigossi verá um novo mundo descortinado, comandado pela magia antiga e seres fantásticos que habitam a atualidade, como a Cuca, a sereia Yara, Curupira, o Saci, e outras lendas folclóricas brasileiras.

No elenco, estão Alessandra Negrini, Julia Konrad, Jimmy London, Wesley Guimarães e José Dumont. “O mais interessante da série é compreender tudo pelos olhos do investigador”, conta Pigossi. “Quando nos deparamos com o desconhecido, a nossa primeira intenção é pensar em um inimigo. Mas aos poucos, ele percebe que pode ter ajuda desses seres para solucionar o mistério da morte de sua esposa.”

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.