BUSCAR
BUSCAR
Recursos

CGU revela que 40 servidores da UFRN receberam valores acima do teto constitucional

A universidade informou que está colaborando com a apuração e notificou os servidores a prestar esclarecimentos
Redação
21/06/2024 | 21:01

Uma auditoria realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU) revelou que 40 servidores de um projeto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) receberam valores acima do teto constitucional entre janeiro de 2017 e março de 2023. O total pago a mais foi de R$ 1.398.214,00.

Seis desses servidores concentraram 85% dos ganhos excedentes. A maior remuneração adicional foi de aproximadamente R$ 601 mil, com o servidor recebendo um total de R$ 3,3 milhões, incluindo valores dentro do teto. Os outros cinco servidores receberam entre R$ 92 mil e R$ 152 mil a mais do que o permitido.

Lais UFRN Foto Ascom Lais UFRN
O LAIS informou que não vai se pronunciar sobre o assunto, pois a investigação do projeto "Sífilis, Não" está suspensa por determinação do STF. Foto: Ascom/Lais/UFRN

De acordo com o blog do jornalista Dinarte Assunção, os servidores que mais se beneficiaram com os pagamentos foram:

  • R. A. M. V.: Recebeu um total de R$ 3.391.999,82, dos quais R$ 601.954,95 foram acima do teto constitucional.
  • K. D. C.: Recebeu um total de R$ 2.677.856,23, com R$ 152.656,10 acima do teto.
  • C. L. B. G. N.: Recebeu R$ 2.725.786,98, sendo R$ 129.235,38 acima do teto.
  • V. J. F. J.: Recebeu R$ 2.847.469,77, dos quais R$ 106.706,82 excederam o limite.
  • A. S. A.: Recebeu R$ 2.808.430,14, com R$ 96.713,58 acima do teto.
  • J. L. C.: Recebeu R$ 2.520.859,68, com R$ 92.530,53 excedentes.

Os valores pagos acima do teto ocorreram no projeto de pesquisa “Sífilis, Não”, gerido pela Fundação de Apoio da UFRN (Funpec) e pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS). Em 2017, o Ministério da Saúde transferiu cerca de R$ 165 milhões para a UFRN para combater a sífilis no Brasil.

A CGU destacou, em matéria do portal G1-RN, que os controles da UFRN não são adequados para identificar recebimentos acima do teto constitucional e que a universidade carece de um sistema informatizado eficiente para monitorar bolsas e remunerações, o que impediu a detecção das extrapolações.

Em nota, a UFRN afirmou estar colaborando com a CGU para resolver as questões apontadas com monitoramento contínuo das situações mencionadas. A universidade informou que não tem acesso a todas as bases de dados usadas pela CGU, mas que abriu processos e notificou os servidores envolvidos para fornecer explicações e tomar providências.

A Funpec, responsável pela gestão administrativa e financeira do projeto, declarou que o controle do teto remuneratório é de responsabilidade da universidade. A fundação assegurou que realiza pagamentos de bolsas conforme o plano de trabalho aprovado pela UFRN e pelo órgão financiador.

O LAIS informou que não vai se pronunciar sobre o assunto, pois a investigação do projeto “Sífilis, Não” está suspensa por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Relembre: LAIS foi alvo da PF na Operação Faraó

Em janeiro de 2023, a Polícia Federal (PF), em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU), deflagrou a Operação Faraó para investigar o desvio de recursos públicos federais do Ministério da Saúde, destinados ao projeto “Sífilis, Não!” da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O projeto foi coordenado pelo professor Ricardo Alexsandro de Medeiros Valentim, um profissional da saúde que participava também do Comitê Científico do Consórcio Nordeste durante a pandemia da COVID-19.

As investigações, que contaram com a participação de 27 auditores da CGU e de cerca de 90 policiais federais, tiveram início em agosto de 2018, após uma denúncia anônima ao MPF sobre um suposto contrato fraudulento de R$ 50 milhões com a agência publicitária brasiliense Fields, destinado à campanha publicitária sobre a sífilis. O MPF e a CGU descobriram indícios de que a licitação foi simulada, os valores superfaturados e a qualidade das peças publicitárias abaixo do esperado.

A investigação também revelou que servidores do LAIS, incluindo Valentim, supostamente usaram recursos do projeto para custear despesas pessoais e viagens sem relação com o “Sífilis, Não!”. Foram identificados gastos em jantares caros, hospedagens, passagens aéreas e até despesas de familiares e funcionários domésticos.

Durante o 7º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (7º CIMES), realizado em agosto de 2018, Valentim, sua esposa Janaína Valentim, e outros 18 membros do LAIS, participaram do evento com despesas custeadas pela Abimo e pela Funpec, sem relação clara com o projeto “Sífilis, Não!”. Em e-mails analisados, Janaína ocultava seu sobrenome Valentim e se apresentava como secretária executiva, apesar de ser bolsista e técnica de apoio na Funpec.

A operação apurou ainda que os cartões corporativos foram usados para refeições em Natal, Brasília, São Paulo e na Europa, com prejuízos ao erário estimados em R$ 26.547.818,06. Como resultado, os bens dos envolvidos foram bloqueados por ordem judicial, proporcionalmente aos atos praticados.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Concurso do Idema será retomado para preenchimento de vagas efetivas
A necessidade atual do Idema corresponde à criação dos cargos de Analista Ambiental, Analista Administrativo e de Fiscal Ambiental
12/07/2024 às 16:25
Avenida Café Filho, na Praia do Meio, será bloqueada neste sábado
Avenida será fechada das 13h às 21h para realização de um evento cultural
12/07/2024 às 16:24
Detran e Exército Brasileiro devem firmar Termo de Cooperação Técnica
Pauta foi tema de reunião entre o diretor-geral do Detran, Victor Hugo Fernandes, e o comandante do 1ºBEC de Caicó, Tenente-coronel Sávio Araújo
12/07/2024 às 14:07
Homem é preso suspeito de crime ambiental e tráfico de drogas no interior do RN
Policiais civis apreenderam no imóvel pés de maconha, uma espingarda de chumbinho, aves silvestres abatidas e uma motocicleta
12/07/2024 às 13:54
Projeto de criação da Secretaria de Cultura vai a plenário na ALRN nesta terça
Projeto da criação da Secretaria de Cultura do estado vai para a última etapa na Assembleia Legislativa do RN
12/07/2024 às 13:24
Farmácias lançam seleção relâmpago para 37 vagas de emprego no RN; confira
Chamada de ‘Recrutamento do Coração’, iniciativa conta com 37 vagas em todo o estado
12/07/2024 às 12:56
Emparn lança cartilha sobre cultivo de palma forrageira durante a Festa do Boi
Documento é uma importante ferramenta na difusão de tecnologias que vão ajudar o homem do campo a conviver com o semiárido
12/07/2024 às 12:37
Exposição ‘Caboclos’ é aberta para visitação gratuita no Sesc Mossoró
Instalação acontece no dia 15 de julho e obra pode ser visitada até 16 de agosto
12/07/2024 às 12:14
Polícia Civil devolve mais de 100 celulares recuperados em Parnamirim
A "Operação Greed", que ainda está em andamento, recuperou cerca de 200 celulares em 2024
12/07/2024 às 11:41