BUSCAR
BUSCAR
Saúde
Casos de dengue, zika e chikungunya são confirmados no RN em meio à pandemia
Em 2021 já foram confirmados 11 casos de zika vírus em gestantes
Redação
29/10/2021 | 13:55

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou o novo boletim epidemiológico com os casos de dengue, chikungunya e zika vírus em todo o Rio Grande do Norte. Os dados são referentes à semana epidemiológica 40, encerrada em 09 de outubro.

Dengue

Foram notificados 5.878 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 1.033, descartados 2.402, sendo considerados casos prováveis 3.476. Em 2020, no mesmo período, foram notificados 11.687 casos, sendo confirmados 2.888, descartados 5.234 e 6.453 casos prováveis. Cinco óbitos foram notificados, e 1 confirmado em 2021 e 26 óbitos notificados e 08 confirmados em 2020.

As maiores taxas de incidência estão nos municípios de: Santa Cruz, São Bento do Trairi, Coronel Ezequiel, Tangará, São José do Campestre, Angicos e Ipanguaçu.

Chikungunya

Foram notificados 4.154 casos prováveis de Chikungunya, sendo confirmados 1.370, e 817 descartados. Em 2020, no mesmo período, foram notificados 5.047 casos prováveis, sendo confirmados 3.153 e 2.151 descartados. Foram 4 óbitos notificados e nenhum confirmado. O município de Santa Cruz se destaca com as maiores taxas de incidência de Chikungunya no Estado.

Zika

Foram notificados 691 casos de Zika, sendo confirmados 161, 330 descartados e 361 casos prováveis. Em 2020, no mesmo período foram notificados 1.392 casos, sendo confirmados 280, 933 descartados e 459 casos prováveis.

Os municípios da V Região de Saúde apresentam maiores taxas de incidência, principalmente: Coronel Ezequiel, Serra de São Bento, São José de Campestre e Santa Cruz.

Zika em Gestantes

Em 2021, um total de 28 municípios notificaram casos em gestantes, sendo 11 confirmados nos municípios de Santa Cruz, Parnamirim, Parazinho, Parelhas e São Bento do Trairí.

O quantitativo de casos de Zika notificados e confirmados em mulheres em idade fértil é fator de preocupação, principalmente se ocorrer em gestantes, devido à capacidade do Zika Vírus provocar microcefalia ou alterações no sistema nervoso central no feto gestado.

Em 2021, um total de 14 municípios já receberam a indicação para aplicação do “carro-fumacê” (Ultra Baixo Volume – UBV), baseada na notificação/investigação e confirmação oportuna dos casos suspeitos de arboviroses. São preconizadas para o controle de populações de mosquitos adultos do vetor Aedes aegypti e indicada em localidades onde existe alto índice de infestação do Aedes e transmissão das arboviroses com casos notificados e confirmados, de acordo com as normas do Ministério da Saúde.

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.