BUSCAR
BUSCAR
Voto a voto
Campanha de Trump perde processos na Geórgia e em Michigan
A advogada que representou o estado do Michigan, Heather Meingast, disse que o caso era irrelevante, pois a contagem já havia acabado
CNN
05/11/2020 | 16:46

Dois dos processos registrados pela campanha de Donald Trump e pelo partido Republicano no Michigan e na Geórgia contra apuração de votos foram negados pela Justiça desses estados nesta quinta-feira 6.

O tribunal do estado da Geórgia rejeitou o processo imputado pelo partido Republicano para impedir “a contagem ilegal de votos recebidos após a eleição” na cidade de Savannah. Eles iniciaram o processo após um fiscal de urnas do partido supostamente ter visto cédulas recebidas pelos correios que ainda não haviam sido processadas misturadas com cédulas que já estavam tabuladas.

No documento, o partido Republicano e a campanha de Trump afirmam que “o processo de custódia das cédulas não foi seguido corretamente”.

As cédulas em questão eram poucas em quantidade: uma pilha de três cédulas, e uma segunda pilha de 53 cédulas, de acordo com uma cópia dos registros do processo concedidos pelo partido.

O juíz James F. Bass deu a sentença oralmente no tribunal na manhã de quinta-feira 5, e o processo foi arquivado durante a tarde.

Uma juíza do Michigan também rejeitou um pedido da campanha de Trump que pedia a paralisação imediata da contagem dos votos até que seus representantes tivessem acesso “significativo” à contagem das cédulas.

A juíza Cynthia Stephens estava cética em audiência virtual na quinta-feira sobre a falta de evidências legais no caso. “O que eu tenho é, no melhor dos casos, a declaração de um boato que insinua uma violação que seria significativa”, disse a juíza Stephens.

A advogada que representou o estado do Michigan, Heather Meingast, disse que o caso era irrelevante, pois a contagem já havia acabado.

A juíza afirmou que o pedido da campanha de Trump será negado em uma ordem escrita, que não sairá hoje. Tambem disse que não estava convencida do mérito do caso.

Pressão em outros estados

Além de Michigan e Geórgia, a campanha de Trump já pediu a revisão da contagem dos votos no estado de Wisconsin.

Em alguns estados, o candidato que perde o pleito por uma margem menor do que 1% tem o direito pedir a recontagem dos votos. Em outros, porém, a questão precisa ser levada à Justiça.

Tanto em Michigan quanto em Wisconsin, o resultado da apuração surpreendeu a campanha republicana. Os estados ao norte do país indicavam Trump na frente por uma margem mínima durante a maior parte do processo, que acabou sendo revertida, dando à Biden os deputados desses estados.

O presidente também prometeu que entrará com um processo alegando fraude eleitoral em Nevada, que ainda conta seus votos. Em Las Vegas, aliados de Trump alegaram, sem apresentar evidências, que houve irregularidades na votação no condado de Clark, o maior do estado e onde está localizada a cidade.

A diminuição da diferença entre os dois candidatos em estados como Geórgia e Pensilvânia também pressionam o presidente. Com a contagem dos votos enviados pelos correios, a porcentagem para Biden aumentou.

Na Pensilvânia, a campanha republicana conseguiu uma decisão da Corte de apelações da Filadélfia que permite a presença de um membro da equipe de Trump no centro de apuração de votos. Desde quarta-feira 4, o presidente já vinha pedindo publicamente a paralisação da contagem dos votos no estado, e afirmando que o caso seria levado à Suprema Corte dos Estados Unidos.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.