BUSCAR
BUSCAR
De virada!
Brasil busca reação em jogo coletivo, bate a Rússia e vai à semi no vôlei
Brasil vence a Rússia por 3 sets a 1 no vôlei feminino e, agora, encara a semifinal contra a Coreia do Sul, na sexta
Olímpiada Todo Dia
04/08/2021 | 11:45

Foi um show de vontade e jogo coletivo, com emoção, é claro! O Brasil encarou o Comitê Olímpico Russo, nesta quarta 4, saiu atrás no placar em um jogo difícil e disputado, e buscou a reação na partida. Vitória muito comemorada pelas comandadas por Zé Roberto Guimarães por 3 sets a 1 com parciais de 23/25, 25/21, 25/19 e 25/22). Agora, a seleção de vôlei feminino se prepara para encontrar a Coreia do Sul, nesta sexta, em horário a definir, na semifinal dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Assim, o Brasil chega a seis jogos e seis vitórias nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. A seleção feminina liderou o grupo A com 5 vitórias, seguida da Sérvia ficou em segundo (4V e 1D), seguida da Coreia do Sul e da República Dominicana (classificadas para o mata-mata), Japão e Quênia (eliminados).

Agora, as comandadas de José Roberto Guimarães terão pela frente a Coreia do Sul, que venceu a Turquia e contra quem o Brasil estreou com vitória na Olimpíada. Do outro lado da chave, o caminho também é duro e conta com fortes equipes. Mesmo com a ausência da China, que já ficou pelo caminho, teremos confrontos de peso. A Itália, de Egonu, foi derrotada pela Sérvia, que vai encarar os Estados Unidos, que superaram a República Dominicana.

Vale lembrar que Brasil e Rússia tem longo histórico no vôlei feminino nos Jogos Olímpicos. Em Atenas 2004, as russas bateram a seleção feminina de virada, com direito a cinco match points salvos no quarto set, que era vencido pelo Brasil por 24 a 19.

No título do Brasil em Pequim 2008, não houve chance de revanche contra as russas. Em 2012, no entanto, a alma brasileira foi lavada. Após uma primeira fase complicada com direito a quase eliminação, o Brasil passou em quarto e enfrentou as rivais, vencendo por 3 sets a 2 em uma das partidas mais espetaculares da história olímpica. A partida fez a seleção embalar, bater o Japão na semifinal e os Estados Unidos na final para garantir o bicampeonato.

O Brasil começou o jogo com Fê Garay, Tandara, Roberta, Gabi, Carol Gattaz, Carol e Camila Brait. Macris tem se recuperado da lesão no tornozelo e começou no banco. O Comitê Olímpico Russo, no entanto, saiu na frente de forma avassaladora e abriu boa vantagem por 5 a 1. Mesmo assim, o Brasil buscou. Fernanda Garay e Ana Carol eram as maiores pontuadoras do set. Zé Roberto colocou Macris em algumas oportunidades. O jogo era difícil e a Rússia se mantinha na frente. Com o set point para as adversárias, o Brasil marcou duas vezes, mas Goncharova atacou mais uma vez e fechou 25 a 23.

O segundo set começou com vantagem russa. Carol empatou e Gabi marcou o ponto que colocou o Brasil na frente no placar. O ataque russo, no entanto, passou pelo bloqueio triplo e abriu três de vantagem. Na força e vontade, o Brasil igualou e passou à dianteira. O jogo era difícil e disputado ponto a ponto. A comissão da CBV fez a função da torcida. Com Rosamaria e Gabi, o jogo foi pra sua igualdade: 1 a 1. Set com 25 a 21 para o Brasil.

A terceira parcial começou com adversárias na frente. Fê Garay logo empatou. O jogo era repleto de rallys. A vantagem brasileira chegou a cinco pontos. O time se encontrou e vibrava muito com cada ponto conquistado. E o jogo era cheio dos bloqueios. Gattaz estava bem e foi a responsável por fechar o set para o Brasil com 25 a 19.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.