BUSCAR
BUSCAR
Articulação
Bolsonaro tenta renovar votos com policiais, avalia presidente da bancada da bala
Em evento no Palácio do Planalto, presidente afirmou que se reunirá com Ministério da Economia para tratar do reajuste das corporações federais
CNN
14/12/2021 | 17:50

A decisão do presidente Jair Bolsonaro (PL) em negociar reajuste com policiais federais, policiais rodoviários federais e polícia penal joga pressão sobre governadores para que os estados também discutam a concessão de novos reajustes das polícias militares e civis, na avaliação do presidente da bancada da bala, deputado Capitão Augusto (PL-SP)

“Espero que os governadores possam usar essa decisão do governo federal como exemplo. Acaba pressionando os outros, pelo menos para a reposição inflacionária”, disse à CNN.

Apoiador de Bolsonaro, o deputado não esconde a insatisfação da bancada. Para ele, o presidente busca a “renovação de votos” de categorias da segurança pública, que foram consideradas decisivas para sua vitória nas eleições de 2018.

“Nós fizemos um café da manhã recentemente com o presidente e falamos disso, que o governo não aprovou nada que contemplasse realmente os policiais nestes três anos”, analisou.

Um dos motivos do descontentamento, afirma o parlamentar, foi a falta de empenho de lideranças governistas na aprovação da lei orgânica das polícias militares e civis, que garantiria reestruturação das carreiras – uma pauta antiga das categorias.

Nesta terça-feira (14), em evento no Palácio do Planalto, com uma plateia de policiais, Bolsonaro contou que se reunirá com o Ministério da Economia para tratar do reajuste das corporações federais. Os percentuais ainda não foram definidos.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.