BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Biden acusa Putin de ser “ditador assassino” e “bandido”
Na quarta-feira (16/3), presidente dos EUA já havia chamado Putin de "criminoso de guerra". Rússia disse que fala é "inaceitável"
Metrópoles
17/03/2022 | 16:40

O presidente dos EUA, Joe Biden, voltou a criticar Vladimir Putin nesta quinta-feira (17/3). Desta vez, o norte-americano chamou o russo de “ditador assassino” e “bandido”

Na quarta-feira (16/3), o chefe da Casa Branca já havia dito que Putin é um “criminoso de guerra“. Na ocasião, o Kremlin reagiu e afirmou ser “imperdoável” e “inaceitável” a fala do presidente dos Estados Unidos.

Biden declarou que não está vendo a Rússia tomar nenhuma ação para diminuir os ataques. “Putin quer a devastação da Ucrânia. Ele está bombardeando hospitais, escolas… É muito triste. Os russos estavam mantendo pacientes e médicos reféns em Mariupol”, lamentou o chefe da Casa Branca.

Guerra chega ao 22° dia

O conflito na Ucrânia chegou ao 22º dia nesta quinta. O país é alvo de bombardeios diário e vê cidades inteiras sendo dizimadas.

Durante participação em evento comemorativo do Dia de São Patrício, padroeiro da Irlanda, o presidente norte-americano falou que “Putin promove uma guerra imoral”. A crítica mais acentuada ocorre após a morte de um cidadão americano no conflito.

Depois, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, reafirmou o discurso e disse que o Exército russo, a mando de Putin, está cometendo crimes de guerra na Ucrânia.

Em pronunciamento transmitido ao vivo de Washington, Blinken acusou a Rússia de usar “fantoches” para acentuar o conflito. “Crimes de guerra estão sendo cometidos pela Rússia”, afirmou com veemência.

Os norte-americanos estão montando uma espécie de dossiê reunindo os possíveis crimes, adiantou o secretário de Estado. “Especialistas dos EUA estão documentando e avaliando possíveis crimes de guerra na Ucrânia”, resumiu.

No pronunciamento, Blinken confirmou que um cidadão americano morreu na Ucrânia. Ele foi morto durante um ataque russo em Chernihiv, no norte ucraniano. Ao todo, 50 pessoas morreram no ataque.

Acordo de paz

Na manhã desta quinta-feira, russos e ucranianos retomaram, por videoconferência, a reunião que discute os pontos de um possível cessar-fogo. Simultaneamente, o líder russo convocou o gabinete ministerial para uma reunião.

As movimentações político-diplomáticas em torno da guerra na Ucrânia continuam pressionando os governos ao redor do mundo, no 22º dia de conflito. Negociadores da Rússia e da Ucrânia tentam entrar em consenso em três pontos: militares, políticos e humanitários.

Ataques

Um ataque com míssil matou ao menos 21 pessoas e feriu outras 25 na manhã desta quinta-feira (17/3), pelo horário de Brasília, em Merefa, no leste da Ucrânia, segundo autoridades locais.

A Promotoria Regional atribuiu o bombardeio ao Exército russo. O governo ucraniano afirma que o ataque atingiu uma escola e um centro cultural.

A cidade fica perto de Kharkiv, que também foi alvo de bombardeio pesado. Tropas de Vladimir Putin tentam avançar sobre a região.

Ataques

A madrugada na Ucrânia seguiu a tendência dos últimos dias: tropas militares russas efetuaram bombardeios massivos e miraram em civis. Kiev, capital e coração da política, e cidades do sul ucraniano, que dão acesso ao Mar Negro e constituem importante rota comercial, são as mais afetadas.

]Enquanto russos e ucranianos não se entendem, os bombardeios continuam. Civis e áreas residenciais voltaram a ser alvejados durante a madrugada.

O país liderado por Volodymyr Zelensky viveu mais uma noite de intensos bombardeios. Um prédio de 16 andares foi atingido por partes de um míssil destruído em Kiev. Uma pessoa teria morrido e outras três ficaram feridas. Ao todo, 30 moradores foram resgatados do local.

Em 22 dias de guerra na Ucrânia, a Rússia perdeu 7 mil soldados no front. Outros 14 mil militares ficaram feridos durante os bombardeios, iniciados em 24 de fevereiro.

Os números são uma estimativa dos órgãos de segurança dos Estados Unidos e foram repercutidos por agências internacionais de notícias nesta quinta-feira.

A Ucrânia informou que abateu, ao todo, 10 alvos russos nas últimas 24 horas. Segundo o comandante-chefe das Forças Armadas do país, Valeriy Zaluzhny, um avião russo Su-25 foi destruído e um caça Su-35, atingido no céu na região de Kiev, capital da Ucrânia.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.