BUSCAR
BUSCAR
Maranhão
Após repercussão na internet, cirurgia de garoto maranhense é marcada para janeiro
Transferência para o Hospital Regional veio após a repercussão de um vídeo publicado pelo médico potiguar Dr.José Madson Vidal, que mostra a situação crítica do garoto, diagnosticado com cardiopatia
Elias Bernardo
29/12/2020 | 10:34

O menino de 9 anos José de Ribamar, que ficou conhecido após vídeo publicado nas redes sociais, foi transferido do Hospital da Criança Dr. Odorico Amaral de Mattos para o Hospital Regional Juvêncio Matos, em São Luiz, Maranhão, na tarde desta segunda-feira, 28.

A transferência para o Hospital Regional veio após a repercussão de um vídeo publicado pelo médico potiguar Dr.José Madson Vidal, que mostra a situação crítica do garoto, diagnosticado com cardiopatia. De acordo com Luiza Ciliveste, 37, mãe do garoto, devido ao período de festas, a cirurgia foi marcada para 12 de janeiro de 2021.

Ao Agora RN, a mãe acrescenta que após a medicação o menino recebeu alta pois a cirurgia de substituição de válvulas cardíacas não pode ser realizada esta semana devido ao recesso de fim de ano e será realizada em outro hospital, o Hospital de Referência Estadual de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira.

“Agora ele está se sentindo melhor graças a Deus, foi medicado no hospital e vai continuar tomando até a cirurgia. A cardiologista também me disse que se ele continuasse num ambiente hospitalar, poderia pegar uma bactéria e com isso agravar a situação dele, então até dia 12 de janeiro eu vou ficar aqui em São Luiz na casa de um conhecido, porque eu moro muito longe, na cidade de Carutapera a mais de 500km aqui da capital” explica.

Veja o vídeo:

Há pouco mais de um ano o garoto foi diagnosticado com cardiopatia e a um mês passou a sentir os efeitos mais fortes da doença. José que também possui reumatismo, estava internado desde o dia 21 deste mês, no Hospital Municipal, em São Luís,Maranhão.

Ao ver o estado da criança no hospital, dona Luiza diz que por um momento pensou que perderia seu filho para a doença.

“A situação naquele Hospital da Criança está precária, cada dia que passava o menino ia piorando mais, eu achei que meu filho ia morrer, é cada vez mais o coração dele vai se esforçando, mas como me disse a médica, eu acredito em Deus que vai dar tudo certo, ele conseguir fazer a cirurgia direitinho” diz a mãe.

O caso veio ao conhecimento do Dr. Madson por meio de Karina Vale, mãe de uma criança que já foi atendida pelo médico. Ela faz parte de um grupo do WhatsApp “Mães de crianças cardiopatas do Maranhão”, onde recebeu o vídeo e compartilhou com o médico.

Ao analisar clinicamente os sintomas e aspectos físicos, o médico diz que a criança já está num estágio agudo da doença, conhecida como caquexia cardíaca, uma condição patológica prevalente em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) associada.

“Essa condição traz consequências como a perda da musculatura esquelética, além de afetar vários órgãos e sistemas” conta Dr. Madson.

As cardiopatias congênitas são anomalias na anatomia do coração e dos grandes vasos, que podem causar problemas respiratórios ou circulatórios.

Segundo o médico especialista em cardiopatia, José Madson, o tratamento e cirurgia para a doença acontecem em até pouco mais de um ano dependendo do grau de complexidade.
“A gente opera a criança com esse diagnóstico a partir dos primeiros meses de vida até a primeira infância, dependendo da cardiopatia. Na idade do José a criança está se curando da doença” esclarece Dr. Madson.

No vídeo que circula pelas redes sociais, o garoto aparece numa cama do Hospital Municipal, abaixo do peso, sentindo muito cansaço e dificuldade para respirar. Até a tarde deste domingo 27, ele aguardava na fila de espera por uma cirurgia de substituição de válvulas cardíacas, que necessita urgentemente.

De acordo com o médico, no Rio Grande do Norte o menino teria condições de ser operado, mas era necessário que o governo do estado autorizasse a cirurgia. A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap), informou que esse tipo de cirurgia no RN é feito pelo Instituto do Coração de Natal (Incor), e a solicitação é formalizada pela Sesap, mas o governo do Estado do Rio Grande do Norte não havia recebido até o momento nenhum pedido formal de regulação da criança para cirurgia cardíaca vinda do Estado do Maranhão.

Até o final da reportagem a Secretaria de Saúde do Maranhão não se pronunciou oficialmente sobre o caso, mas estava buscando informações do andamento da cirurgia de José de Ribamar, que agora já está medicado e aguarda até o dia 12 de janeiro do ano que vem para cirurgia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.