BUSCAR
BUSCAR
Bastidores
Após rejeitar ser ministra da Saúde, médica demonstra a senadores receio em depor à CPI da Covid
Em reunião neste domingo 6, integrantes do chamado G7 da comissão defenderam que a cardiologista seja ouvida nas próximas semanas
Igor Gadelha, do Metrópoles
07/06/2021 | 17:49

A cardiologista Ludhmila Hajjar demonstrou, a alguns integrantes da CPI da Covid do Senado, receio em depor à comissão nas próximas semanas, como querem alguns senadores.

Segundo dois parlamentares membros da CPI ouvidos pela coluna, a médica teria dito temer que o depoimento intensifique os ataques que vem sofrendo por parte de bolsonaristas.
Ludhmila passou a ser atacada após ter recusado sondagem do presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Saúde e criticado algumas ações do governo federal no combate à pandemia.
Em reunião neste domingo 6, integrantes do chamado G7, grupo majoritário da CPI, defenderam que a comissão ouça a cardiologista sobre as razões que a levaram a negar essa sondagem.
Para evitar constrangimentos, senadores do G7 defendem que a comissão aprove a convocação, e não convite, para Ludhmila ser ouvida. Dessa forma, ela teria o argumento de que é obrigada a comparecer.

Procurada pela coluna, a cardiologista não respondeu.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.