BUSCAR
BUSCAR
Criminalidade
Após investigar “baile da Disney”, polícia prende Mulher-Gato: travesti que furtava e era amante de traficantes
Polícia chegou até Luana Rabello durante investigação sobre o baile da Disney, da Maré. Travesti é apontada por 24 furtos, inclusive a arma de um PM durante programa
O Dia
31/10/2021 | 09:35

Investigação da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) sobre o tráfico do Complexo da Maré e o baile da Disney, que ocorre aos finais de semana na Vila do João, identificou que uma travesti, conhecida como Mulher-Gato, é amante de pelo menos três chefes do tráfico local. O que os agentes não esperavam era descobrir que, além dos seus serviços sexuais, oferecidos no baile, a Mulher-Gato, que se identifica como Luana Rabello, é apontada em 24 diferentes registros de ocorrência, entre roubos e furtos, inclusive, da pistola Glock de um policial militar a quem cobrou R$ 50 pelo programa.

Com um mandado de prisão pendente por um furto de um celular, de um casal, na Ilha do Governador, Mulher-Gato foi presa em casa, em Irajá, na última semana. Os policiais também prenderam outra travesti no mesmo local, que participou do mesmo furto.

O DIA teve acesso aos registros de ocorrência em que as vítimas apontam Luana Rabello como autora. Em um deles, Luana aborda um casal por volta das 2h30 da manhã, do dia 07 de março deste ano. “Inicialmente, Luana ficou fazendo palhaçadas com ele e sua esposa, porém era apenas uma distração enquanto sua amiga realizava o furto do celular em seu bolso”, diz trecho do registro.

Nas mais de 20 anotações criminais, esse modo de agir de Luana se sobressai: quando a vítima era um homem, usando de sua beleza, ela se aproximava, pedia abraços e o empurrava contra a parede. Nesse momento, ela furtava objetos.

Na delegacia, Mulher-Gato contou que foi expulsa da Maré, mas não quis revelar o motivo. A reportagem encontrou uma possível justificativa: nas redes sociais, a esposa de um dos chefes a ameaça após saber de uma relação íntima que ela teve com seu marido.

Furto de arma de PM

Luana Rabello também oferecia programas sexuais. E, para esse serviço, ela não diferenciava sua clientela: atendia desde bandidos a policiais. Num deles, no entanto, sua atuação virou caso de polícia.

No dia 11 de março, ela foi abordada por um praça da PM na Taquara, que a contratou por R$ 50. Mas, segundo a travesti, ele não se contentou somente com ela e solicitou mais uma acompanhante, também travesti, que cobrou R$ 30.

As duas entraram no carro com o policial e, no momento do ápice do serviço, uma delas pegou a arma (de fogo) do agente e saiu correndo.

O caso foi registrado na 32ªDP (Taquara), onde o policial contou um relato diferente. Segundo comunicou, ele estava dirigindo à noite no bairro quando “ofereceu carona para duas mulheres, que estavam sozinhas na rua”. Uma delas, sentada no banco de trás, colocou uma faca em seus pescoço e disse: “Você já sabe do que se trata, não? Passa a arma”. A pistola glock do agente, que pertencia à corporação, não foi encontrada.

Planos na cadeia: ‘Quero um marido’

Na DRE, Mulher-Gato perguntou aos agentes se poderia ser levada para um presídio masculino. “Quero sair de lá casada”, contou. A Secretaria de Administração Penitenciária não respondeu para qual presídio ela foi encaminhada.
Ainda na delegacia, a criminosa teria dito que ao frequentar o baile da Disney, na Maré, era bastante procurada. “Não existe fidelidade. No baile, ninguém é de ninguém”, relatou um agente. Indagada sobre os nomes dos seus clientes, ela não quis revelar.

Os furtos e programas sustentavam sua vida de luxo, com passeios de lanchas, festas em camarotes e roupas diversificadas, além de plásticas. Seu dia a dia era retratado nas redes sociais. Em uma das fotos, ela escreveu que estava passando pela terceira troca de silicone e registrou: “Lipada e siliconada”.

Confira trechos de alguns registros de ocorrência em que ela é citada:

29.05.2017

“(…)por volta das 14 horas, foi fazer uma entrega de cabelo humano, no valor de R$4.660, (…), no bairro de Rocha Miranda; O comunicante conduzia sua motocicleta (…); Ao chegar na porta da cliente, LUANA RABELLO, que trata-se do travesti identificado como LUCAS CLAUDIO CRUZ RABELLO SOARES, no momento em que entregou o cabelo humano, apareceu um homem, armado com um revólver, que anunciou um assalto e mandou que entregasse seus pertences e a motocicleta; O homem mandou que Luana entregasse o cabelo; Após o homem se evadiu; Ocorre que o homem que praticou o roubo foi identificado como GABRIEL CLAUDIO CRUZ RABELLO SOARES, que vem a ser IRMÃO GÊMEO da travesti Luana”.

02.04.2018

“Trata-se de apreensão de estiletes, ocorrida na data de hoje, por volta das 01h15min, na Av. Mem de Sá, em frente ao Bar Levianos, por policiais militares da Operação Lapa Presente. Segundo o Comunicante CB Vigo, ele e seus companheiros de farda, entre eles o CB Neves, estavam baseados, quando receberam denúncia de que travestis tentaram roubar na localidade. Diante disso, indagaram sobre as características dos autores e se dirigiram até o local, logrando êxito em encontrar os nacionais (…), nome social “LUANA”, vulgo “MULHER GATO” e (…) nome social “ÁGATHA”, exatamente com as mesmas características (short jeans claro e top branco, bem como short jeans azul escuro e blusa preta “vazada”). Em busca pessoal não foi encontrado documentos, entretanto, cada um portava consigo um estilete com lâmina superior a 10cm”

25.04.2019

“(…) por volta de 09h20min, marcou com um cliente de entregar um celular que havia pego para consertar em frente a escola de samba Unidos de Padre Miguel, na Avenida Brasil. Ao chegar no local, o indivíduo, que o declarante não sabe o nome, sabendo apenas que é um travesti identificado como Mulher Gato, entrou no carro do declarante e perguntou onde estava o celular. No mesmo momento em que mulher gato entrou no veículo do declarante, um homem também entrou no banco de trás. O declarante perguntou quem era e a mulher gato disse que era um amigo e que era para o declarante seguir até a Vila onde ela morava para pegar o dinheiro. Assim que o declarante deu partida no veículo, um carro que estava parado próximo, um Fiat/Punto, Tjet, de cor vermelha, fechou o veículo do declarante e desceram dois indivíduos com armas em punho. Um dos homens tirarou o declarante do veículo, colocou um saco em sua cabeça e levou para outro carro. Dali o comunicante foi levado para uma casa, onde ficou em um quarto amarrado. Foram exigidas as senhas do declarante”.

28.12.2019

“A comunicante (…) vem registrar que no dia de hoje, 28.12.2019, por volta as 1h estava a caminhando na Rua Henrique Lacombe 157, com sua amiga (…), a caminho do carro que estava estacionado nesta via, quando um HB20 branco saíram três travestis dizendo ” VOCÊ PEGOU MEU MACHO” e já roubaram o celular da (…) que estava em cima do carro, quando a comunicante se tocou que era um roubo jogou o seu aparelho no mato, um dos travestis a viu jogando o aparelho no mato e foi atrás, então entrou em luta corporal com a travesti e ela tentou fugir , chegou a entrar no HB20 segurando a travesti e quando o carro começou a andar e comunicante desistiu e deixou o carro ir. Que quem dirigia o veículo era um homem branco de óculos de grau, camisa polo branca. Que uma travesti gorda, de peruca loira. Que outras duas eram magras, altas e morenas”

04.01.2020

“O comunicante (…) vem registrar que no dia de hoje, 04.01.2020, por volta das 3h e 20 min tinha acabado de sair do estabelecimento Cocomanbo, e foi caminhando junto com sua namorada, em direção seu carro, e quando estava em frente a um predio, na Praia da Bica , 253, dois travestis vieram puxando assunto, se aproximaram amistosamente , brincando, uma delas disse que estava passando mal e pediu um chiclete , que em lance de segundos , uma delas puxou o celular do comunicante do bolso, (…), e deu para outra travesti e correram para dentro de um carro prata, sedan pequeno, insulfilmado , quatro portas, com um adesivo atras que parecia ser o S do Senna”.

06.03.2020

“Eu e mais 2 amigos andando pela Praia da Bica fomos abordados por 3 mulheres ou travestis. Sem hostilidade uma das assaltantes começou a passar a mão para tentar pegar o celular sem chamar atenção. Logo notei o que estava acontecendo e percebi que a pessoa já havia pegado meu celular. As 3 assaltantes ao perceber que eu tinha notado, recuaram em direção ao carro e uma delas com um estilete me ameaçou evitando qualquer movimento meu. Antes das 3 assaltantes darem partida com o carro, eu e meus amigos anotamos a placa”

16.03.2020

“A comunicante (…) vem registrar que no sábado, 16.03.2020, por volta das 1h e 45min estava com seu esposo, Fábio (…) caminhando pela Praia da Bica a caminho de casa, pois havia acabado de sair do Coco Mambo, quando estava em frente ao número 227 uma travesti loira , baixinha, vem em direção a comunicante e pede um cigarro, a comunicante fala que não fuma e logo depois o travesti começou a apalpar FÁBIO (…) e a comunicante falou para ela para de fazer aquilo. Que ela discuti com a comunicante e nisso chegam mais dois travestis, que cercam FÁBIO (…) subtraem dois celulares que estava no bolso dele , entram num Logan Branco, sedam, vidro fumê, placa mercosul, onde havia um motorista”

13.08.2021

!”Comparece a esta Delegacia Policial, o senhor LUCAS (…), para comunicar FURTO DE CELULAR, fato este ocorrido no dia de hoje, por volta das 00hs 01 min, na Av. Olegário Marciel – Barra da Tijuca. Narra o declarante que ontem, por volta das 00hs 01 min, estava em companhia da sua namorada, caminhando pela Av. Olegário, em direção para a Av. do Pepê, onde haviam estacionado os carros e assim que entrou seu carro. o declarante foi surpreendido por dois travesti, onde um deles o abraçou dizendo ” estou muito feliz “. Que, em ato seguido o declarante a empurrou. Que, a segunda travesti, pediu desculpas, dizendo que ela estava bêbada em ato continuo entraram em um carro de cor branca e foram embora , não sabendo precisar o modelo. Que, logo em seguida o declarante deu por falta do seu aparelho celular que estava no seu bolso, informa ainda que o travesti que o abraçou era parto, 1m 75 cm, cabelos longo de cor preta aparentando 40 anos e o segundo não saberia descrever”

05.09.2021

“Disse que estava acompanhado de seus amigos e após passar pelo bar Seu Vidal, foi surpreendido pelas autoras que o encurralaram contra a grade de um prédio e ficaram fazendo brincadeiras o chamando de “gato e gostoso”, bem como, ficar insinuando que “sarraria” no declarante. Disse que não queria nada e tentou deixar o local, mas foi impedido pela Autora 1, sendo necessário usar de força física para se desvencilhar dela que o encurralavam violentamente contra a grade do prédio, enquanto Autora 2 dava cobertura”

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.