BUSCAR
BUSCAR
Entrevista
Álvaro Dias deve concorrer ao Governo do RN em 2022, acredita Carlos Alberto
Ele avalia que prefeito Álvaro Dias se aproveitará da repercussão política obtida na pandemia para se projetar na sucessão ao Governo do RN
Redação
21/12/2020 | 06:16

O atual prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), não deve concluir o mandato que se estende até 2024, pois concorrerá ao Governo do Estado nas eleições de 2022. A avaliação é do presidente do Partido Verde (PV) em Natal, Carlos Alberto Medeiros, que aponta ainda para os perigos da decisão do gestor municipal por conta da atual situação financeira da Prefeitura de Natal, que “não está em uma posição confortável”.

Somado a isso, Carlos Alberto, que concorreu à Prefeitura do Natal, destaca que Álvaro aproveitará a repercussão política que conseguiu durante a gestão da pandemia na capital para projetar o próprio nome e alçar a gestão do estado potiguar.

Além do tucano, Carlos Alberto, que é empresário e professor universitário, aponta que o senador Styvenson Valentim (Podemos) e a atual governadora, Fátima Bezerra (PT), também buscarão ocupar a vaga de gestão do Executivo Estadual. A atuação da petista, do ponto de vista financeiro, é bem avaliada pelo político.

Carlos Alberto, que já foi candidato a vice-prefeito de Natal em 2012, acredita que a vitória de Álvaro ainda em primeiro turno em 2020 se deve a satisfação dos natalenses com a gestão municipal. O que, segundo ele, não é necessariamente positivo, uma vez que “os indicadores (do município) não são bons”.

Nesta entrevista ao Agora RN, Carlos Alberto comenta sobre os desafios de um transporte público de qualidade na capital, analisa o atual cenário econômico da Prefeitura do Natal e reflete sobre uma possível reeleição do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) em 2022.
Confira a entrevista completa:

AGORA RN – Como avalia a reeleição do prefeito Álvaro Dias (PSDB) ainda em primeiro turno?
CARLOS ALBERTO –
Eu acredito que o natalense está satisfeito com a cidade, com o prefeito e com a gestão. A eleição mostrou isso. Apesar de eu acreditar que, do ponto de vista técnico, os indicadores (do município) não são bons, a população demonstra satisfação e não percebeu ainda o mesmo que eu. Comparando com outras cidades, sabemos que a nossa gestão não vai bem.

AGORA RN – Em sua visão, quão importante é o Plano Diretor de Natal?
CARLOS ALBERTO –
Antes do plano diretor, temos outros pontos mais importantes para discutir, como o plano de mobilidade. A prefeitura nunca contratou uma consultoria para saber onde as pessoas moram e quais os caminhos que elas fazem para irem para o trabalho ou escola. É necessário entender a necessidade de locomoção da população. Essa mobilidade é uma grande interrogação. Não existe, sequer, um estudo nem planejamento para que o plano de mobilidade seja viabilizado. Não temos produtividade no transporte, o que é um grande desperdício para sociedade. Talvez, esse seja o maior prejuízo que o RN enfrenta hoje. Mas que pode ser sanado.

AGORA RN – A falta de um plano de mobilidade gera quais impactos?
CARLOS ALBERTO –
O principal é fazer as pessoas demorarem mais no trânsito. A cidade precisa ser adensada. Isso é quase que um consenso na discussão do plano diretor. Todo mundo sabe que Natal precisa ser mais adensada, pois a cidade se espraiou demais. Há lugares que não sabemos se é Natal ou Parnamirim, por exemplo. Nós precisamos reconhecer que o adensamento é uma necessidade. Tem que adensar próximo das estações de modais, de trens, onde tem capacidade de tráfego em massa. Não adianta fazer adensamento nas principais avenidas de Natal, pois vamos travar a cidade. Ninguém vai conseguir se locomover, assim como acontece naquele horário de rush em São Paulo, que até rodízio de carro tem. Para não enfrentarmos isso no futuro, precisamos fazer com que as pessoas andem de transporte público coletivo.

AGORA RN – Qual seria o caminho para viabilizar esse plano?
CARLOS ALBERTO –
Faltam consultorias a serem contratadas que apresentem modelos para serem aplicados. A partir desse estudo de origem e destino, a gente tem como definir quais e onde serão as estações centrais da cidade, porque entre elas temos que fazer transporte em alto volume. Dessa forma, faremos com que o passageiro não fique em ônibus que param a cada 300 metros no trajeto entre a zona Norte e Sul.

AGORA RN – Nesse contexto, há o impasse da licitação do transporte público de Natal. Como avalia esse problema atual?
CARLOS ALBERTO –
O problema no processo de licitação é que o nosso transporte público é deficitário. As empresas não ganham mais dinheiro. Eu acredito que tornar o transporte gratuito, através do subsídio público, seria uma alternativa para que o ônibus voltasse a ter protagonismo. Eu analisei as planilhas e documentos elaborados pela Seturn, e as empresas de ônibus antes da pandemia faturavam R$ 18 milhões por mês. É um faturamento hoje muito baixo para manter toda a estrutura, que reúne aproximadamente 600 ônibus rodando na cidade. A passagem tem um limite, que ela não consegue ultrapassar, por causa da percepção do consumidor. Afinal, se precisar pagar mais que R$ 4, ele vai de carro com motorista por aplicativo. Aumentar o preço é fazer as pessoas deixarem de usar o ônibus, o que é ruim para sociedade. Ao andar de ônibus, é possível gerar renda, pois o dinheiro que o passageiro economiza pode ser usado em outros setores econômicos, o que estimulará o movimento da economia. Esse é o grande objetivo de se ter um transporte público gratuito, que eu acho bom começar em Natal com essa frota atual que temos, já que ela é barata.

AGORA RN – Qual seria o custo dessa proposta para o cofre municipal?
CARLOS ALBERTO –
Sabemos que 70% da nossa frota tem 10 anos de uso. São ônibus muito baratos. O custo para manter esse sistema é de R$ 18 milhões por mês. A prefeitura tem uma arrecadação de R$ 2,3 bilhões, o que permite bancar um sistema desse. Temos 400 mil veículos em Natal.

AGORA RN – Acredita que Álvaro terá como fazer a cidade avançar em áreas importantes, como o desenvolvimento sustentável?
CARLOS ALBERTO –
A situação da prefeitura, do ponto de vista das finanças municipais, é tão delicada, que eu acredito que Álvaro não termina o mandato. Ele deve se arriscar e se candidatar ao governo estadual daqui a 2 anos, porque a situação está muito difícil na prefeitura. A capacidade de investimento de Natal e do Estado acabou. Não vemos grandes obras sendo realizadas. Nos últimos quatro anos não foram construídos um grande hospital ou uma grande escola. Não tivemos um grande investimento público, nem fizemos uma grande obra de infraestrutura com recursos municipais e estaduais.

AGORA RN – O prefeito Álvaro Dias já negou, em uma entrevista ao Agora RN, que seria candidato ao governo estadual.
O que lhe faz acreditar que ele mudará de ideia?
CARLOS ALBERTO –
Antes das eleições, eu já sabia que se Álvaro fosse bem sucedido nas eleições ele naturalmente seria candidato a governador. Depois de analisar os números e saber que a prefeitura não está em uma posição confortável, acredito que ele não vai terminar o mandato. Álvaro provavelmente vai aproveitar esse momento em ascensão. Até porque se ele continuar na prefeitura e não resolver os problemas da cidade em quatro anos, sabe que será sacrificado por isso.

AGORA RN – Além de Álvaro, quais nomes devem concorrer ao governo estadual em 2022?
CARLOS ALBERTO –
Já devia estar em discussão um programa de desenvolvimento para o estado. Antes de discutir política, temos que discutir os caminhos que o RN tem que seguir. Isso deveria ser uma coisa anterior. Pensamos muito em nomes. O Styvenson Valentim, que em 2022 estará na metade do mandato, é um possível candidato. A atual governadora Fátima Bezerra é um nome certo. Temos inúmeras pessoas com capacidade de ser governador, mas para que esse projeto seja bem sucedido tem que haver um grande diálogo e um grande fórum de discussão para empoderar as pessoas e estimular a discussão.

AGORA RN – Acredita que seu nome é um dos possíveis para assumir a vaga?
CARLOS ALBERTO –
Ainda é cedo para pensar em movimentos políticos para 2022. No momento, estou focado em retornar para minhas atividades acadêmicas e empresariais. Vou aproveitar para descansar das duas últimas campanhas que participei. Elas foram pesadas e intensas. Eu não descarto concorrer ao governo em 2022, mas não tenho uma opinião formada sobre isso, até o momento.

AGORA RN – Como avalia a gestão da atual governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra?
CARLOS ALBERTO –
Fátima tem feito o possível para equilibrar as finanças. Isso ela tem feito bem, tem arrumado a casa do ponto de vista financeiro. Mas do ponto de vista econômico, o estado ainda não deu um norte para a sociedade. Essa é a grande falha do governo. Precisamos mostrar a direção, a visão a longo prazo dos programas de investimentos públicos e orientar o crescimento econômico. Eu acho que estamos parados, especialmente no interior.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.