BUSCAR
BUSCAR
Dia do Psicólogo
A importância da atuação de profissionais da psicologia do luto diante da pandemia
Saúde emocional se tornou tema em evidência durante a crise
Redação
27/08/2020 | 16:31

Uma mente saudável é fundamental para o bem-estar de qualquer pessoa, principalmente diante de dúvidas, controvérsias e medo, causados pela pandemia do coronavírus, que já chega ao seu sexto mês no Brasil. A crise trouxe à tona de uma forma direta um dos temas mais presentes em nossa vida, que é tratado como certeza, mas que costumamos ignorar: a morte.

Neste dia 27 de agosto é celebrado o dia do Psicólogo no Brasil. Diante de tantas apreensões, no Grupo Vila, o trabalho realizado pelas psicólogas do luto tem ajudado potiguares a vivenciar e aprender a lidar com as consequências diretas e indiretas causadas pela Covid-19.

Para a psicóloga do Grupo Vila, Mariana Simonetti, o grande desafio de trabalhar com luto é lidar com uma das dores mais profunda do existir humano. “Nem sempre a gente vai conseguir em um primeiro momento retirar ou melhorar a dor daquela pessoa, a gente tem várias etapas para poder construir com a pessoa um caminho nesse processo de luto que está sendo vivido. É desafiador não ter respostas prontas, mas é imprescindível respeitar o tempo e o processo do outro”, explica.

De acordo com Mariana, diante da pandemia a questão da saúde emocional ganhou mais evidência. “No início muitos começaram a ter crises de ansiedade, pânico, quadros depressivos pioraram e as pessoas passaram a perceber mais a questão psicológica como algo importante de se tratar e prevenir. Assim a nossa classe foi muito chamada, apesar de ser uma demanda inesperada, recebemos muitas perguntas e muitas a gente não podia responder, porque também estamos vivendo algo nunca antes vivido. Dizemos que não temos a solução, mas estamos construindo essa história em conjunto”, disse.

Já a psicóloga Beatriz Mendes, que também atua no Grupo Vila, observa que sua profissão ainda sofre com alguns estigmas que geram distanciamento da sociedade com relação ao fazer psicológico.

“Muitas pessoas ainda sentem que esse é um serviço destinado a situações específicas, como também acreditam que a procura por um profissional da área representa fragilidade ou incapacidade de lidar com suas próprias questões. Quando falamos em luto, isso se intensifica, muitas vezes pelo tabu que existe sobre o que acontece depois da morte. Por isso, nosso papel também é construir pontes para que a sociedade valide caminhos de autocuidado no campo da saúde mental”, afirma a psicológa.

Segundo Beatriz, exercer a profissão trabalhando com luto é uma experiência de sintonia entre valores e prática. “Trabalhar com luto, sobretudo no Grupo Vila tem muito sentido para mim, pois é um lugar pautado por valores em que eu acredito. Temos compromisso em mudar a forma como as pessoas lidam com a morte, valorizando a vida de quem colabora com essa missão. Assim, conseguimos oferecer um trabalho formado por cuidado técnico de excelência, caráter, empatia e respeito em todos os momentos de assistência ao enlutado”, relata.

Momentos que reforçam a importância da profissão
A psicóloga do Grupo Vila, Mariana Simonetti, relata um dos momentos marcantes de sua atuação profissional. O episódio aconteceu durante um sepultamento no Morada da Paz, em um dia de plantão.

“Eu ouvi uma criança chorando desesperadamente, sendo contida pelo pai. Ao me aproximar, percebi que ela queria ver o sepultamento da avó e o pai relutava, certamente com medo de que a criança desenvolvesse um trauma. Tentei conversar com eles e disse que era indicado que a criança pudesse se despedir e ele deixou. Ao final do sepultamento, bem mais calma, a criança de cerca de seis anos se aproximou de mim e pediu o celular da mãe para me mostrar fotos da avó e por fim me abraçou silenciosamente, com cara de choro”, conta.

Para Beatriz, momentos de cuidado como esse, apesar de simples, são marcantes para os enlutados e para os profissionais. “É comum para nós acolher pessoas que apresentam um sofrimento, que parece não ter lugar no mundo. Esse espaço que a psicologia pode proporcionar permite que a gente acompanhe processos bonitos de transformação, mesmo com a dor”, finaliza.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.