BUSCAR
BUSCAR
Delivery
5 dicas para tirar o máximo de pedir cerveja em casa
Dicas de duas especialistas para você tirar o melhorar da experiência e o serviço do seu bar em casa ficar 100%
Heloisa Lupinaci, O Estado de S.Paulo
26/07/2020 | 08:06

Se você gosta de cerveja boa e está seguindo a orientação de ficar em casa, aposto que você está arrepiando nos pedidos de delivery de cervejas especiais. Muito bem. Para melhorar essa experiência, tirar o máximo proveito dessa situação tão cheia de limitações, pedi a Carol Chieranda, sommeliére de cerveja que arrasa no balcão da Trilha Cervejaria (ao lado de outra supersommeliére, a Natália Marcigaglia), que passasse aquelas dicas de especialista para o serviço do seu bar em casa ficar 100%.

1 – Peça ajuda

“Os bares e as cervejarias têm mantido, ainda que de maneira reduzida, suas equipes de salão. A pessoa que atendia você no bar está do lado de lá do WhatsApp, pegando e preparando seu pedido. Pode usar esse canal para tirar as suas dúvidas, pedir indicações, contar do que você gosta e o que quer beber. A pessoa vai ajudar com o mesmo cuidado com que recebia você no salão ou no balcão. Na maior parte das vezes, essas pessoas são sommeliers de cerveja, estudaram o assunto, então aproveite e explore esse conhecimento.”

2 – Lata ou crowler?

“Menos é mais! No caso da cerveja, menos volume é mais variedade! As cervejarias seguem lançando novidades, coisas diferentes. Pedir latinhas permite experimentar mais coisas novas. No caso das cervejarias pequenas, que trabalham com a bebida não pasteurizada, quase sempre é o mesmo lote que está na torneira está na lata. O frescor é o mesmo. O que vai mudar é que:

1. As latas ocupam menos espaço na sua geladeira.

2. Têm durabilidade maior (latas: 5 a 6 meses; crowler, 5 a 7 dias).

3. Têm envase melhor. Quando vale a pena pedir crowler/growler? Quando aquela cerveja específica está disponível apenas na torneira e você quer provar. Do contrário, latinha é mais negócio.”

3 – Copo é legal

“Copos fazem diferença na experiência cervejeira. Existe uma regra geral: para cervejas mais leves e aromáticas, copos mais estreitos (pense na tulipa). Para cervejas mais encorpadas e aromáticas, copos mais largos e bojudos. Mas não precisa sair comprando copo novo. Se gostar do assunto e quiser experimentar, existem kits de copo de cerveja a preços acessíveis, coisa de R$ 50 (5 copos).

Mas a verdade é que pode ser o copo que for, o que você tiver em casa. Um copo legal contribui, mas não vai sair de casa só por causa disso. E se você acha que a cerveja que vai abrir merece tratamento especial, pode servir na taça de vinho!” 

4 – Copo limpo é fundamental

“Independentemente do copo, garanta que ele esteja limpo. Copo sujo compromete a formação de espuma e altera o sabor da cerveja. Sabe quando a cerveja faz bolhinhas parede do copo? Isso é copo sujo. Pode ser poeira, pelinho do pano usado para secar, sobra de sabão ou gordura.

Para limpar seu copo: tenha uma esponja só para lavar copos, guarde essa esponja bem longe da outra (a que você usa para panelas e pratos). A ideia é que ela não entre em contato com gordura. Nunca seque o copo por dentro. Use água e sabão neutro e deixe o copo secar com a boca para baixo.” 

5 – Desfrute o momento

“São tempos difíceis, principalmente para quem gosta de mesa de bar. Mas é necessário ficar em casa, então procure entender a melhor forma de aproveitar sua cerveja. Escolha um lugar legal (é a varanda? O quintal? Seu cantinho favorito da sala?).

Coloque um som, arme uma sessão virtual de bate-papo com os amigos ou assista a algo que quer ver mas nunca tem tempo. Escolha uma comida legal – pode pedir dica de harmonização para pessoa que atender você na cervejaria! Esses momentos de prazer são fundamentais nesses tempos difíceis. Aproveite sua cerveja!”

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.